Menu
2020-11-10T16:28:30-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
mercados agora

Ibovespa dispara acima dos 105 mil com Petrobras e bancos e ignora NY

Nem a falta de ímpeto das bolsas americanas tira o principal índice acionário da B3 de sua trajetória de forte alta. Papéis de siderúrgicas e e-commerce operam em baixa

10 de novembro de 2020
10:57 - atualizado às 16:28
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Após a euforia de ontem nas bolsas globais com base na esperança pela vacina contra o coronavírus, os índices acionários americanos dão sinais mistos na sessão desta terça-feira (10), mas o Ibovespa ignora o movimento e dispara.

Por volta das 16h30, o principal índice acionário da B3 superava os 105 mil pontos — e por muito —, marcando forte avanço de 1,8%, cotado aos 105.410 pontos — no maior nível intradiário desde 31 de julho.

Em Nova York, as bolsas operam em campos diferentes, com o índice S&P 500 em queda e o Dow Jones, em alta.

O índice Nasdaq, por sua vez, continua sua trajetória de baixa e cai forte, em meio a um "sell-off" das ações de tecnologia, as grandes vencedoras do mundo corporativo com a pandemia de coronavírus.

Hoje, os papéis da Amazon operam em forte baixa, atraindo a atenção especial dos investidores do ponto de vista jurídico.

O principal órgão antitruste da União Europeia acusa a "big tech" de distorcer injustamente o mercado de varejo online e utilizar dados privados de vendedores independentes, coletados em sua plataforma, para competir contra eles.

Os principais índices da Europa, em praças como Londres, Paris e Frankfurt, continuaram em desempenho positivo e registraram altas de ao menos 0,55% hoje.

Destaques da bolsa

No cenário local, os holofotes estão nas ações da BRF estão entre os grandes destaques positivos desta terça, após a empresa divulgar um lucro maior do que o esperado por analistas, de R$ 218,7 milhões, no balanço de ontem.

O BTG Pactual avaliou, em relatório, que o resultado trimestral foi melhor do que o esperado em razão das margens da operação no Brasil e reconheceu uma forte geração de fluxo de caixa livre da BRF.

A recomendação do BTG para o papel BRF ON (BRFS3), que avança forte hoje, é neutra até haver mais confiança acerca da BRF poder superar os desafios no mercado de aves, além de alguma normalização do consumo no Brasil.

Pesos-pesados do índice, papéis de bancos como Bradesco, Itaú e Banco do Brasil sobem forte e embalam o índice a alçar voos maiores.

Além disso, outras ações que brilham hoje são as Petrobras ON (PETR3) e Petrobras PN (PETR4), agora entre as cinco principais altas percentuais do índice, em dia de ganhos do petróleo Brent. Com a composição importante que possuem no índice, os papéis sustentam a alta vigorosa do Ibovespa hoje.

Confira as principais altas percentuais:

CÓDIGOEMPRESASPREÇO (R$)VARIAÇÃO
UGPA3Ultrapar ON             21,83 9,10%
PETR3Petrobras ON             23,35 6,62%
BRFS3BRF ON             19,69 6,43%
YDUQ3Yduqs ON             27,84 6,38%
PETR4Petrobras PN             22,89 5,92%

Os papéis da Embraer caem mais de 2% hoje no índice, após a fabricante de aviões registrar um prejuízo maior na comparação anual. Você pode conferir mais dos balanços que mexem os mercados neste compilado do Seu Dinheiro.

Ações com alta correlação com o Nasdaq, os papéis da B2W estão entre as maiores baixas do índice. Ações Via Varejo ON (VVAR3), do mesmo setor, também operam em queda neste momento.

Papéis de siderúrgicas continuam o movimento de queda, com realização de lucros dos investidores — ações de CSN e Usiminas subiram mais de 40% no acumulado do ano. Veja as maiores baixas:

CÓDIGOEMPRESAPREÇO (R$)VARIAÇÃO
TOTS3Totvs ON             27,65 -5,86%
GGBR4Gerdau PN             20,89 -5,05%
BTOW3B2W ON             75,71 -4,99%
GNDI3Intermédica ON             69,41 -3,73%
CSNA3CSN ON             20,19 -3,63%

Após a boa notícia de ontem vinda da Pfizer, farmacêutica que divulgou que a vacina contra a covid-19 desenvolvida em parceria com a BioNTech teve 90% de eficácia em testes clínicos, o Brasil trouxe uma novidade sobre a "coronavac" — o imunizante da Sinovac aplicado em voluntários por aqui.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou que os testes foram suspensos após um "evento adverso grave".

O Instituto Butantan, que utiliza a vacina da Sinovac em testes por aqui e a produzirá nos próximos anos a depender da transferência de tecnologia da empresa, disse que estranhou a decisão, uma vez que disse não haver relação da morte de voluntário com a testagem.

Há pouco, relatos da imprensa local noticiaram que o Instituto Médico Legal apontou, em laudo, que a causa da morte do voluntário da vacina foi suicídio.

Dólar para baixo, juros para cima

O dólar se firmou no campo negativo e opera em queda, ainda que seja de pouca intensidade.

A moeda começou o dia apontando para baixo e, depois, passou a operar em leve alta, mas neste momento consegue se manter em baixa em uma nova sessão de volatilidade no mercado de câmbio.

A divisa iniciou a terça caindo até 1%, para R$ 5,3363, e, depois de moderar as perdas, virou para alta. Por volta das 16h30, no entanto, cai 0,1%, para R$ 5,3835.

"Existe a esperança da vacina e a vitória do Biden, mas também existem os nossos problemas fiscais de sempre, que limitam a queda, e não tem nenhuma novidade nessa frente, é mais do mesmo", diz Alessandro Faganello, operador de câmbio da Advanced Corretora.

Os juros, por sua vez, que voltam a subir, após terem reduzido a alta com o dólar e terem passado a adotar comportamentos mistos.

Mais cedo, as taxas já se mantinham um leve avanço, em um dia de realização de leilão do Tesouro, que vendeu títulos públicos NTN-Bs.

Confira as taxas dos principais vencimentos agora:

  • Janeiro/2021: de 1,924% para 1,926%
  • Janeiro/2022: de 3,27% para 3,28%
  • Janeiro/2023: estável em 4,81%
  • Janeiro/2025: de 6,44% para 6,47%

Lá fora

Durante a madrugada, as bolsas asiáticas aproveitaram o bom humor do mercado americano. No entanto, o movimento foi insuficiente e os negócios fecharam no vermelho na China: a desaceleração da inflação e o desempenho negativo das montadoras de carros elétricos puxou para baixo as bolsas do país.

Nos Estados Unidos, o atual presidente Donald Trump ainda se recusa a conceder a vitória ao presidente eleito Joe Biden.

Com Trump dificultando o início dos trabalhos da equipe de transição, os investidores adotam um tom mais cauteloso e menos eufórico, o que deixa os índices futuros operando com sinais mistos nesta manhã.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

gestão segue independente

Holding do BTG Pactual compra consultoria de energia PSR

Um dos principais objetivos da parceria é propiciar a expansão da companhia no mercado global de energia

recursos contra a doença

Câmara aprova liberação de R$ 1,9 bilhão para compra de vacinas contra Covid-19

Dinheiro vai custear contrato entre a Fiocruz, vinculada ao Ministério da Saúde, e o laboratório AstraZeneca; recursos virão da emissão de títulos públicos

permissão especial

Anvisa divulga regras para autorização emergencial de vacina contra covid-19

Modo simplificado terá menos exigências do que os registros de outros medicamentos e tratamentos, mas a agência declarou que serão garantidos requisitos de segurança

seu dinheiro na sua noite

Uma previsão (conservadora) para a bolsa em 2021

Depois de tudo que passamos em 2020 (e o ano ainda não acabou), eu admiro a coragem de quem se arrisca a fazer previsões para o desempenho dos investimentos. As estimativas podem parecer mero chute — e às vezes são mesmo — mas no geral têm fundamento. Com algum trabalho, é possível calcular o fluxo […]

emissão de dívida em dólar

Tesouro capta US$ 2,5 bilhões no exterior com títulos de 5, 10 e 30 anos

Houve forte demanda pelos títulos de dívida externa, que superou a oferta em mais de 3 vezes, diz instituição; volume emitido com bônus de 10 anos foi o maior, de US$ 1,25 bi

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies