Menu
2020-04-23T18:23:56-03:00
Bons tempos

As empresas que mais pagaram dividendos em 2019; bancos lideram ranking

Companhias abertas distribuíram mais de R$ 119 bilhões em proventos no ano passado, o maior volume nominal em dez anos; bancos lideram ranking de maiores pagadoras

23 de abril de 2020
15:59 - atualizado às 18:23
Bancos - Itaú - Santander - Bradesco - Banco do Brasil
Bancos foram os maiores pagadores de dividendos em 2019, mas proventos devem ser mais magros neste ano. Imagem: Montagem Andrei Morais / Estadão Conteúdo / Shutterstock

O volume de dividendos e juros sobre capital próprio (JCP) distribuídos em 2019 pelas empresas abertas em bolsa foi o maior dos últimos dez anos, mostra levantamento da Economatica. O setor que mais distribuiu proventos foi o de bancos, liderado pelo Itaú Unibanco.

O levantamento considerou 234 companhias que tinham histórico de pagamento de proventos na base de dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) desde 2010. No ano passado, elas pagaram, no total, R$ 119,2 bilhões em dividendos e JCP a seus acionistas, o maior volume nominal (sem ajuste pela inflação) de todo o período.

Trata-se de um volume 13% maior do que o de 2018. Nos últimos quatro anos, o volume distribuído veio crescendo continuamente, saltando de R$ 67,16 bilhões em 2016 para R$ 119,2 bilhões em 2019, alta de 77,6%. O menor volume nominal da série histórica foi visto em 2010, quando foram distribuídos R$ 59,6 bilhões em proventos.

Os setores que mais pagaram

A Economatica também fez um recorte dos últimos dois anos, no qual figuram 291 empresas. Dentro desse universo, os setores que mais distribuíram dividendos e JCP no ano passado foram, nesta ordem: Bancos (22 empresas e R$ 60,4 bilhões), Petróleo e Gás (8 empresas e R$ 15,1 bilhões), Energia Elétrica (34 empresas e R$ 13 bilhões), Alimentos e Bebidas (10 empresas e R$ 10,3 bilhões) e Serviços Financeiros e Seguros (8 empresas e R$ 9,7 bilhões).

As empresas que mais distribuíram dividendos e JCP em 2019

As 25 empresas que mais distribuíram proventos no ano passado pagaram quase 80% de todo o volume distribuído no ano, R$ 111,4 bilhões.

Isso deve se repetir em 2020?

Segundo a Economatica, considerando-se que os dividendos distribuídos em 2019 são, em sua grande maioria, referentes aos lucros das empresas no em 2018, é de se esperar que em 2020 o volume de proventos distribuídos seja ainda maior que o do ano passado, uma vez que a distribuição se dará com base nos lucros auferidos pelas empresas em 2019.

"O lucro das 25 maiores empresas distribuidoras de dividendos no ano de 2019 é 13,7% superior ao do ano de 2018, o que em teoria representaria um crescimento nos mesmos patamares de dividendos, caso as empresas não mudem a sua política de distribuição de dividendos no ano de 2020 com relação ao ano de 2019."

O problema é que, conforme foi mostrado nesta outra reportagem, a crise desencadeada pela pandemia do coronavírus deve mudar este cenário. Isso porque as companhias têm feito alterações nas suas políticas de distribuição de proventos neste ano, na tentativa de preservar caixa para atravessar esse período difícil.

Os bancos, que costumavam distribuir mais de 60% dos seus lucros, terão que distribuir apenas 25%, por determinação do Banco Central. Os bancos lucraram R$ 91 bilhões em 2019 e o mercado esperava cerca de R$ 74 bilhões em proventos, mas agora o esperado são R$ 18 bilhões.

Além do segmento bancário, pelo menos seis das 25 principais pagadoras de dividendos do país também já afirmaram que devem reduzir os desembolsos ao mínimo ou, na melhor das hipóteses, postergar os pagamentos para o fim do ano.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

inflação de alimentos

Após ouvir cobrança, Bolsonaro reforça que preço do arroz não será tabelado

Ministra da Agricultura avisou que atual patamar de preços só deve baixar mesmo a partir de 15 de janeiro, quando entrar a safra brasileira.

ranking da forbes

Varejo invade lista de mais ricos do Brasil; saiba mais sobre os bilionários

Luiza Trajano, Ilson Mateus e Luciano Hang chegam entre os 10 mais ricos do país, em um ano marcado por mudanças no setor varejista, alta das ações e IPOs

Seu Mentor de Investimentos

Como proteger seus investimentos diante do risco de sanções comerciais por causa das queimadas

País tornou-se um pária no mundo por conta do que acontece no Pantanal e na Amazônia, diz colunista Ivan Sant’Anna; ele aponta uma série de tipos de ativos que podem estar imunes a uma eventual protesto da comunidade internacional

caso de fevereiro

Guedes ‘excedeu barbaramente’ limites ao comparar servidor a parasita, diz juíza

Cláudia da Costa Tourinho Scarpa, da 4ª Vara Federal Cível da Bahia, afirmou que o ministro da Economia ‘insultou’ os servidores públicos

em recuperação judicial

Justiça dos EUA libera empréstimo de US$ 2,4 bi da Latam

Nova proposta retirou cláusula questionada por minoritários

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements