Menu
2020-09-29T13:07:10-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Mercado imobiliário

BofA está otimista com a construção civil e considera a Cyrela sua ação preferida do setor

Em relatório, analistas da instituição se mostraram otimistas com construtoras brasileiras e disseram que mercado imobiliário está apenas no começo de uma recuperação de vários anos

29 de setembro de 2020
13:07
Prédio em construção MRV Cyrela Tenda EZTec Even Direcional
Imagem: Shutterstock

Os analistas do Bank of America (BofA) estão bastante otimistas com o setor de construção civil brasileiro, o qual consideram estar nos "estágios iniciais de uma recuperação de vários anos", se os juros realmente se mantiverem baixos, com ampla oferta de crédito e estímulos do governo. Nesse sentido, a ação da Cyrela é a preferida do banco no setor.

Em relatório divulgado nesta terça (29), o BofA destaca que os juros no Brasil estão extremamente baixos, o que atrai investidores para o mercado imobiliário e torna o custo do financiamento da casa própria acessível para mais gente.

Outro fator que tem tudo para estimular o mercado imobiliário, diz o BofA, é a "criatividade" dos bancos ao oferecer crédito habitacional, destacando as novas linhas com juros prefixados ou atreladas à inflação, o que também vem contribuindo para baixar os juros dos financiamentos.

Os estímulos do governo - como o fato de a construção civil ter sido classificada como atividade essencial durante a pandemia, e também o anúncio do programa habitacional Casa Verde Amarela - também têm contribuído para os bons prognósticos do setor.

"Foi um dos poucos setores com criação líquida de empregos (9 mil nos 12 meses terminados em junho) e investimento positivo (14,6% em maio e 6,5% em junho, na comparação mensal)", diz o relatório do BofA.

Entre os riscos do setor, o banco destaca: uma possível reversão no ciclo de queda nos juros, deterioração do mercado de trabalho e alto endividamento dos consumidores.

"Nós esperamos que as taxas de juros permaneçam baixas, mantendo alívio nas taxas dos financiamentos imobiliários. Entretanto, uma deterioração maior no cenário fiscal e expectativas de pressões inflacionárias podem levar a repiques nos juros mais cedo do que o esperado. Além disso, se o mercado de trabalho não melhorar, dado que o endividamento das famílias continua alto (47% da renda em julho), a demanda por imóveis residenciais pode vacilar", diz o relatório.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

o melhor do seu dinheiro

A bolsa e o teto sobre nós

É sempre bom ouvir o que Luiz Fernando Figueiredo tem a dizer. Em junho passado, quando falou com o Seu Dinheiro pela última vez, o ex-diretor do Banco Central e sócio-fundador da Mauá Capital praticamente cantou a bola de quais seriam os próximos movimentos da taxa básica de juros (Selic). De lá para cá, o […]

EXPECTATIVAS

Economistas melhoram projeções para déficit fiscal em 2021

Relatório Focus aponta ainda revisão positiva nas projeções para inflação e crescimento da economia neste ano

números mistos

‘Prévia do PIB’, IBC-Br aponta para nova desaceleração da economia

Índice registra crescimento de 0,59% em novembro, abaixo dos 0,75% de outubro, mas acima do esperado por analistas

De um para três

Visando liquidez, Ânima Educação anuncia desdobramento de ações

A empresa explica que o valor do capital social continuará o mesmo, de aproximadamente R$ 2,5 bilhões.

Aquisição

Movida anuncia compra da Vox Frotas por R$ 89 milhões

De acordo com a empresa, o valor será pago em dinheiro, sendo 50% à vista e 50% em um ano após a transação.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies