Menu
2019-04-05T10:20:02-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Vídeo

Você investe na bolsa brasileira? Então é bom ficar de olho também na bolsa americana! Entenda por quê

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, costuma acompanhar as bolsas americanas, e isso não é mera coincidência; o que acontece lá fora afeta diretamente o seu investimento em ações por aqui

15 de março de 2019
5:30 - atualizado às 10:20

O desempenho das bolsas americanas é acompanhado de perto por quem investe na bolsa brasileira, e não é à toa. O Ibovespa, nosso principal índice de ações, costuma acompanhar o desempenho do mercado americano, sobretudo do índice S&P500.

Ou seja, se você investe ou pretende investir na bolsa, deve saber que o que acontece lá fora afeta o seu investimento por aqui. Mas você sabe por que isso acontece? Eu respondo no vídeo a seguir:

Veja a seguir a transcrição do texto do vídeo:

Por que o Ibovespa tende a acompanhar o desempenho das bolsas americanas?

Os mercados do mundo inteiro ficam de olho no sobe e desce das bolsas americanas. E por aqui, o desempenho do nosso Ibovespa, o mais importante índice da bolsa brasileira, tá muito ligado ao que acontece com os índices dos Estados Unidos, principalmente o S&P500. Mas por quê? Desempenho das bolsas americanas: e eu com isso?

O que acontece nas bolsas americanas praticamente determina o destino das nossas ações, e o Ibovespa tende a acompanhar o movimento gringo. Muitas vezes, mesmo um mero soluço lá fora se sobrepõe a acontecimentos importantes no mercado doméstico. A correlação do Ibovespa é especialmente forte com o S&P500, o índice mais representativo da economia dos Estados Unidos.

Não é que a bolsa brasileira não possa se descolar das bolsas americanas. Muitas vezes isso acontece, e por períodos longos de tempo. Mas a verdade é que o mercado de ações brasileiro é super dependente do mercado americano.

Em primeiro lugar, hoje em dia todas as economias do mundo, e consequentemente os seus mercados de ações, tão meio que interligados. Então tudo que acontece em bolsas importantes, principalmente nos países com as maiores economias, influencia o resto do mundo. E como a economia americana é a maior do planeta, a sua influência nas bolsas globais tende a ser mais relevante.

Em segundo lugar, os países emergentes, como o Brasil, são altamente dependentes de capital estrangeiro. E isso não só pra investimentos diretos, na atividade produtiva propriamente dita, mas também no nosso mercado de ações. Cerca de 50% do volume financeiro da B3 tem origem estrangeira.

Uma aversão a risco significativa pode levar os investidores gringos a venderem ações não só em Nova York, mas em vários outros mercados. Especialmente os de maior risco, como o Brasil. Nesse outro vídeo, eu falei, inclusive, sobre por que a alta nos juros americanos tende a tirar recursos estrangeiros do país e derrubar o Ibovespa.

De maneira geral, se as coisas vão mal nos Estados Unidos, a tendência é que a bolsa não consiga subir muito por aqui, mesmo que no Brasil as coisas estejam indo bem. A valorização das nossas ações fica bastante limitada se os gringos resolvem sair do mercado brasileiro ou se relutam a voltar depois de já terem saído.

Gostou do vídeo? Então assine o nosso canal de YouTube e deixe suas dúvidas e sugestões para os próximos vídeos no campo de comentários!

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

BALANÇO

Receita bruta da Cia Hering soma R$ 502,9 milhões no 4º trimestre

Segundo a empresa, as vendas mesmas lojas apresentaram queda de 4% na rede Hering. Importante destacar que a rede apresentou nos últimos 7 trimestres crescimento desse indicador

AQUISIÇÃO

BC autoriza que Banco Inter compre 70% de controladora da DLM Invista

Hoje, a DLM possui R$ 4,5 bilhões em ativos sob gestão e é responsável pela gestão fundos de investimento e previdência privada, além de gestão de patrimônio por meio de fundos e carteiras de clientes de alta renda

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Nada além de céus azuis

“Blue days / All of them gone / Nothing but blue skies / from now on” Caro leitor, Os versos da canção otimista de Irving Berlin, composta há quase cem anos, dizem, numa tradução livre, que os dias “azuis” (no sentido de “tristes”, “depressivos”) se foram e que, de agora em diante, não haverá nada […]

Perto dos 119 mil pontos

Ibovespa ganha força na reta final, fecha em alta e crava um novo recorde; dólar sobe a R$ 4,18

Após passar boa parte da sessão flutuando perto do zero a zero, o Ibovespa acordou nos últimos minutos e chegou a uma nova máxima histórica, engatando a terceira alta consecutiva. O dólar à vista, por outro lado, teve um dia mais pressionado e subiu a R$ 4,18

DE OLHO NOS FUNDOS

Patrimônio dos fundos cresce 15,27% e vai a R$ 5 trilhões, diz Economatica

Em dólares, a indústria de fundos se mantém acima de US$ 1 trilhão desde dezembro de 2016.

UM PLANO DE INVESTIMENTOS

Já pensou em se aposentar aos 40 anos e viver de renda?

Esse conteúdo é para quem não está disposto a esperar até os 65 anos para se aposentar

Banco do Brasil zera custódia para investimentos em bolsa

Isenção já está em vigor e vale para os clientes do banco que investem em ações, fundos de índice (ETFs) e fundos imobiliários na bolsa

OLHOS ATENTOS

Bank of America rebaixa e corta preço-alvo das ações de Itaú e Bradesco; papéis caem

O banco cortou o preço-alvo em 12 meses para as ações de ambos. No caso do Itaú, o preço-alvo ficou em R$ 34, com potencial de queda de 3% em relação ao fechamento de sexta-feira (17). Já o Bradesco teve o preço-alvo reduzido para R$39, o que representa uma potencial expansão de 10%

Altas e baixas

Raia Drogasil, bancos e varejistas: os destaques do Ibovespa nesta segunda-feira

As ações da Raia Drogasil aparecem entre as maiores altas do Ibovespa após o Credit Suisse elevar a recomendação e o preço-alvo dos papéis

mais otimismo

FMI aumenta projeção para o PIB do Brasil para 2,2% em 2020

De acordo com o Fundo, a elevação da estimativa do PIB do Brasil para este ano ocorreu sobretudo devido à melhora do sentimento após a aprovação da reforma da Previdência

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements