Menu
2019-04-05T10:22:24-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Vídeo

Como investir na bolsa: o que você precisa fazer para conseguir comprar e vender ações

Do ponto de vista prático, você sabe qual o primeiro passo para começar a negociar ações na bolsa de valores? Neste vídeo eu te conto tudo que você precisa saber para se habilitar a investir na bolsa

8 de março de 2019
5:30 - atualizado às 10:22

Investir em ações diretamente exige um certo conhecimento sobre as empresas, os setores e a economia. Mas também requer algum conhecimento prático: afinal, por onde começar? Como se habilitar para negociar ações? O que significa comprar uma ação e quais os conceitos por trás do investimento? E quanto custa? No vídeo a seguir, eu respondo a essas e a outras questões sobre como investir na bolsa:

Leia, a seguir, a transcrição do texto do vídeo.

Como investir na bolsa

Uma ação é a menor parcela do capital social de uma companhia. Quem compra ações de uma empresa se torna dono de um pedaço dela. E, como tal, se torna sócio, com os mesmos direitos e deveres de qualquer outro sócio, na proporção da quantidade de ações que possui. Por meio da bolsa de valores, qualquer pessoa física pode se tornar acionista de uma empresa de capital aberto, sujeita a uma série de regras de transparência e governança. Quer saber como investir na bolsa? Então vem comigo!

Para investir diretamente em ações, você precisa, primeiro, abrir conta em uma corretora de valores devidamente credenciada junto à CVM, a Comissão de Valores Mobiliários. As corretoras atuam como intermediárias nesse mercado, mas as ações ficam custodiadas na bolsa no nome do investidor.

O processo de abertura de conta hoje em dia geralmente é bastante simples. Dá para fazer tudo pela internet. Mas você tem que preencher um cadastro e responder a algumas perguntas sobre o seu patrimônio e o seu perfil de investidor.

O mais comum é que as pessoas físicas comprem e vendam ações por meio do home broker, um tipo de plataforma de negociação on-line disponível na maioria das corretoras que atendem o segmento de varejo. Outra opção é dar as ordens por telefone, por meio da mesa de operações, mas os custos, nesse caso, podem ser um pouco diferentes.

O investimento em ações tá sujeito a três tipos de custos: a taxa de corretagem, geralmente cobrada por ordem; a taxa de custódia, que geralmente é mensal; e os emolumentos pagos à bolsa de valores. Algumas corretoras isentam o investidor de taxa de custódia e elaboram pacotes com preços de corretagem diferentes de acordo com o perfil do investidor. A concorrência nesse segmento é grande, então o ideal é pesquisar e comparar bastante antes de escolher a sua corretora.

O investimento em ações tem alto risco de mercado, porque os preços dos papéis flutuam muito. O investidor pode ter ganhos bem superiores aos da renda fixa no longo prazo, mas é preciso ter estômago para aguentar as oscilações.

Além de ser possível ganhar com a valorização das ações, você também pode lucrar com a distribuição de proventos: os dividendos e os juros sobre capital próprio.

Quando as companhias abrem o capital e realizam um IPO (Initial Public Offering), a oferta pública inicial de ações, geralmente os investidores compram os papéis da própria empresa, e o dinheiro vai para o caixa da companhia. Nesse caso, o investidor precisa reservar a quantidade de ações que deseja comprar no dia da abertura.

Já as negociações mais corriqueiras do dia a dia são feitas entre os investidores. O dinheiro vai para o bolso do vendedor, e não para o caixa da empresa.

Se você gostou do vídeo sobre como investir na bolsa, assina o nosso canal de YouTube! E deixa as suas dúvidas e sugestões para outros vídeos no campo dos comentários.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

na agenda

Questões sobre MP da privatização da Eletrobras serão decididas nesta quarta, diz Pacheco

Senado deve discutir inclusive os requerimentos de impugnação de jabutis – como são chamados as emendas com temas estranhos à proposta original

seu dinheiro na sua noite

De carona no trem das commodities

Quando falamos em ações que se beneficiam da reabertura da economia pós-covid, logo se destacam os papéis de empresas ligadas à produção de commodities. Quem vem apostando nesses ativos neste ano está se dando bem. Mas é bem verdade que a “tese da reabertura” já está em andamento. Para quem perdeu esse trem, ainda dá […]

aquisição via controlada

Ambipar compra 100% da Ecológica Nordeste

Negócio está em linha com seu plano estratégico de crescimento, com captura de sinergias e potencial maximização das margens e retorno, diz a empresa

denúncia da fup

Médicos da Petrobras receitam remédio sem eficácia a funcionários com covid-19

A estatal segue o comportamento do governo federal, que liderado pelo presidente Jair Bolsonaro, defende o tratamento precoce do covid-19 via medicamentos não aceitos pela OMS

fique de olho

Tesouro divulga cronograma dos leilões de títulos do 3º trimestre

No caso das Notas do Tesouro Nacional – Série F (NTN-F), a instituição deixará de ofertar o papel com prazo de referência de oito anos (1/1/2029)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies