Menu
2019-10-17T18:47:20-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Jornalista formado pela Universidade de Federal do Paraná (UFPR). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros veículos.
falam os analistas

UBS eleva preço-alvo da Via Varejo, mas diz que ainda não é hora de comprar a ação da companhia

Analistas do banco suíço avaliam que mudanças promovidas na varejista após a retomada do controle acionário pelo bloco da família Klein ainda não são suficientes para recomendar a compra dos papeis, que ontem fecharam cotados a R$ 7,82

17 de outubro de 2019
15:55 - atualizado às 18:47
Fachada de uma loja das Casas Bahia
Casas Bahia é uma das redes de lojas operadas pela Via Varejo - Imagem: Divulgação

As ações da Via Varejo (VVAR3) encerraram o dia cotadas a R$ 7,90. Mas para os analistas do banco suíço UBS, elas valem menos que isso, ou mais precisamente R$ 7,50. Em relatório divulgado a clientes, o UBS manteve a recomendação neutra para os papeis da varejista. Acompanhe nossa cobertura de mercados.

Os analistas até elevaram o preço-alvo em 50% em relação ao relatório anterior. Os especialistas recalibraram suas expectativas diante das mudanças recentes que a empresa promoveu internamente, mas ainda não recomendam a compra das ações porque dizem que é cedo para identificar como a empresa vai ser beneficiada pela nova fase.

Em junho, o bloco da família Klein — formado por Michael, seus dois filhos mais velhos e sua irmã —retomou o controle acionário da Via Varejo e, desde então, trocou ao menos 12 executivos de cargos estratégicos.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

O varejo físico e o digital foram reintegrados, revertendo a decisão de separação tomada pelo GPA e que, lá atrás, foi muito criticada. Agora, a Via Varejo tenta correr atrás para vencer o seu atraso tecnológico — recentemente, lançou um banco digital, o BanQi.

Por enquanto...

Para os analistas do UBS, ainda não está claro como os movimentos até aqui vão beneficiar a companhia. "É preciso estabilizar a situação das lojas físicas enquanto investe em uma nova estratégia digital", dizem Gustavo Piras, Gabriela Katayama e Rodrigo Alcantara, que assinam o documento.

Os analistas dizem que o crescimento da receita líquida é o principal fator de avaliação para essa fase inicial do processo de recuperação da Via Varejo.

Eles lembram que, em 1º de julho, a integração da CNova com o Ponto Frio e as Casas Bahia foi concluída. Dizem acreditar que a estratégia "omni-channel" (estratégia de uso simultâneo e interligado de diferentes canais de comunicação) deve melhorar o perfil da Via Varejo — aumentando o poder de compra, capacidade logística e capilaridade do grupo.

No entanto, os analistas do banco vêem os sistemas ainda como instáveis, apresentando problemas que impedem a empresa de ter total sucesso nas operações de produtos físicos online. "Além disso, os problemas de TI na plataforma de comércio eletrônico da Via Varejo ainda persistem", comentam.

"Considerando problemas de TI ainda não resolvidos e a desaceleração do crescimento online e o tráfego da loja, prevemos que a Via Varejo continuará a perder participação de mercado em 2019 com um encolhimento de 3% do volume bruto de mercadoria (GMV, na sigla em inglês)".

Em 2020, à medida que novas iniciativas amadurecerem e os sistemas de vendas começaram a se estabilizar, o banco avalia que haverá uma normalização de crescimento do volume bruto de mercadoria e uma expansão de 5,5% no indicador de vendas nas mesmas lojas (SSS). "Isso se traduz em 7% de crescimento da receita para R$ 28 bilhões".

Os analistas também também veem como positiva a queda da Selic. Como a Via Varejo tem parte de suas dívidas atreladas à taxa básica de juros, a tendência é que a empresa seja beneficiada pelo atual ciclo de alívio monetário.

"Aguardamos evidências de que a nova equipe de gerenciamento possa estabilizar o crescimento da receita e colocar a empresa volta a uma trajetória de crescimento", dizem os analistas.

No último trimestre

A dona da rede Casas Bahia amargou um prejuízo líquido de R$ 154 milhões entre abril e junho, revertendo um lucro de R$ 14 milhões no mesmo período de 2018.

Receita líquida e Ebitda sem efeitos da regra contábil IFRS 16 também registraram queda, respectivamente, de 6,5% e 58,3%. Enquanto o primeiro ficou em R$ 6,024 bilhões, o segundo em R$ 189 milhões.

A receita bruta das lojas físicas somou R$ 5,673 bilhões, um avanço 1,9%. As vendas online, por sua vez, recuaram 23,2%, para R$ 1,286 bilhão.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

NOVAS NORMAS

Nova norma sobre lavagem de dinheiro influencia entrada do Brasil na OCDE, diz BC

A Circular nº 3.978 busca modernizar os procedimentos de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento ao Terrorismo (PLDFT) no Brasil

DE OLHO NO PIB

Nova grade de parâmetros pode trazer previsão de PIB maior que 2,4%, diz Waldery

Por outro lado, Waldery admitiu a possibilidade de retirada da projeção de receitas com a descotização de hidrelétricas da Eletrobras, que depende da privatização da companhia

VEM GRINGO

Bolsonaro autoriza entrada do Brasil em acordo que abre licitação a estrangeiros

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já havia dito na terça-feira, 21, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, que o Brasil entraria no acordo

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Nada como um minuto após o outro

Quem disse que o futebol é uma caixinha de surpresas não conhece a bolsa de valores. Quando deixei a redação do Seu Dinheiro no começo da tarde para fazer uma entrevista, o dia estava azedo nos mercados. Na mínima, o Ibovespa chegou a ficar abaixo dos 117 mil pontos. Não faltavam razões para o mau humor. Pela […]

Eye of the tiger

Ibovespa Balboa: índice leva uma surra no começo do dia, mas vira a luta e crava uma nova máxima

Os temores quanto à disseminação do coronavírus colocaram o Ibovespa nas cordas durante a manhã. Mas, ajudado pelo bom desempenho das ações dos bancos, o índice partiu para cima e fechou em alta, chegando pela primeira vez aos 119 mil pontos

CURSO DO SEU DINHEIRO

Qual é a REAL sobre a aposentadoria aos 40 anos?

O Seu Dinheiro lançou nesta semana um projeto para acelerar a sua aposentadoria. Recebi diversos e-mails de leitores com dúvidas sobre o projeto. Aqui está tudo que você precisa saber.

NOVO IMPOSTO NO RADAR

Paulo Guedes está de olho em criar “imposto do pecado” sobre bebidas, cigarros e açúcar

Tal medida poderia impactar no futuro ações de empresas de bebidas como Ambev, além de sucroenergéticas, como São Martinho, Biosev e Cosan

POLÍTICOS NA MIRA

BC aperta cerco contra políticos e familiares envolvidos em transações suspeitas

Atualmente, políticos como deputados federais, senadores e ministros já são considerados politicamente expostos, assim como seus parentes de primeiro grau

NADA DE VÍRUS POR AQUI

Ministério da Saúde afasta suspeita de casos de coronavírus no Brasil

Segundo o secretário, o Brasil está preparado para lidar com uma eventual epidemia da doença

Olho na Linx

Credit Suisse mantém recomendação de compra para Linx, mas reduz preço-alvo para ações

Em relatório divulgado hoje (23), os analistas Daniel Federle, Felipe Cheng e Juan Pablo Alba disseram que o corte tem a ver com as estimativas mais baixas para o volume de compras (TPV) dentro do Linx Pay e com a taxa que é cobrada pelo uso do sistema de pagamentos, que é conhecida como MDR

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements