Menu
2019-06-06T16:44:21-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Foco na população de baixa renda

Dedicação total a você: Via Varejo, dona das Casas Bahia, lança seu próprio banco digital

A Via Varejo entrou no mundo dos bancos digitais e lançou o banQi, uma iniciativa voltada às classes C, D e E. A ideia é aproveitar a capilaridade das Casas Bahia

5 de junho de 2019
19:41 - atualizado às 16:44
Fachada da loja Casas Bahia, rede pertencente à Via Varejo
Casas Bahia é uma das redes de lojas operadas pela Via Varejo - Imagem: Shutterstock

Um novo competidor irá entrar na arena dos bancos digitais: a Via Varejo. E ela chega com um objetivo claro em mente: conquistar a parcela da população que possui acesso limitado aos meios financeiros tradicionais.

Enquanto o mercado estava focado na novela da venda da fatia detida pelo Grupo Pão de Açúcar (GPA) na dona das Casas Bahia e do Ponto Frio — uma saga que se arrasta há anos e que teve novos episódios nesta semana —, a empresa anunciou o lançamento do banQi, um banco digital voltado às classes C, D e E.

A ideia da Via Varejo é aproveitar a capilaridade das Casas Bahia — a rede possui cerca de 750 unidades no país — para impulsionar as adesões ao novo sistema. O aplicativo do banQi já está disponível para download, mas apenas para usuários do sistema operacional Android.

Por enquanto, a inciativa já oferece serviços de conta digital, pagamento de boletos e contas, transferência de dinheiro, recarga de celular e bilhete único, pagamento com QR code e carnê digital. Além disso, os correntistas podem realizar saques e depósitos nos caixas das Casas Bahia.

Mas a Via Varejo promete mais — muito mais. A empresa planeja disponibilizar em breve os serviços de empréstimos pessoais, carão pré-pago e conta remunerada. Também estão nos planos a portabilidade de conta salário, a criação de um programa de incentivo e a criação de cartões de crédito.

Para o futuro, a companhia ainda tem como objetivo viabilizar a contratação de empréstimos pessoais "com juros potencialmente mais baixos", mas sem especificar quais seriam essas taxas — a Via Varejo apenas diz, de maneira vaga,  que usará "tecnologia machine learning" para criar modelos de crédito mais dinâmicos, sem entrar em maiores detalhes.

Os planos para o banQi não se resumem às Casas Bahia. Apesar da maior proximidade da empresa com as classes C, D e E, os serviços do banco digital estarão disponíveis para qualquer pessoa — a Via Varejo diz ter, ao todo, uma base de cerca de 60 milhões de clientes, e que tem como meta expandir o alcance da nova iniciativa para além desse círculo.

O banQi nasce como fruto da parceria entre Via Varejo e a Airfox, uma empresa que presta serviços de pagamento. A colaboração entre as companhias, selada em setembro de 2018, dá à dona das Casas Bahia a opção de adquirir até 80% do capital social da Airfox no futuro.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

entrevista

‘Orçamento está falido e não deveria ser sancionado’, diz Rodrigo Maia

Para ex-presidente da Câmara, governo e Congresso tem responsabilidade por esse Orçamento em que as emendas parlamentares são maiores do que os gastos discricionários

ESTRADA DO FUTURO

O que o mercado está tentando te dizer sobre as ações do Banco Inter (BIDI11)

Como analistas, gastamos cada vez mais tempo avaliando histórias. E se você quer investir bem o seu dinheiro, também deveria fazê-lo

termômetro

Tesla, Robinhood e GM: as apostas do bilionário Jorge Paulo Lemann

Empresário brasileiro respondeu quais seriam os investimentos de curto e longo prazo, em uma espécie de termômetro sobre a confiança em torno do negócio

escolha da CEO

Criptomeme bilionário, $moda$ de Hering e Arezzo, aposta contra o BC… veja o que bombou na semana no Seu Dinheiro

Você apostaria contra o Banco Central do Brasil?  Não falo de apostas mequetrefes com a turma do escritório, do tipo “quem perder paga uma rodada”.  Estou falando de colocar o seu patrimônio em investimentos que podem dar retornos altos se o BC estiver errado. Pois é justamente o que defende Rogério Xavier, da SPX Capital, um […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies