2019-01-31T19:21:12-02:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Tristeza sem fim...

Número de mortos em Brumadinho sobe para 110 e Vale deve ter o maior acidente trabalhista da história do Brasil

Até o momento 67 corpos já foram identificados. O número de desaparecidos é de 238 e o de resgatados é de 192.

31 de janeiro de 2019
18:43 - atualizado às 19:21
Bombeiros em local de resgate em Brumadinho - Imagem: Fernando Moreno/Estadão Conteúdo/Futura Press

Após o desabamento de um pavilhão que estava em fase de construção em Minas Gerais, em 1971, a tragédia da Vale deve ser o maior acidente trabalhista da história do Brasil. Em nota divulgada na noite desta quinta-feira, 31, a Defesa Civil de Minas Gerais disse que há 110 mortes, sendo que 67 corpos já foram identificados.

O número de desaparecidos é de 238 e o de resgatados é de 192. Além disso, 394 corpos já foram localizados. No acidente de 1971, 69 pessoas morreram.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Para evitar novos desastres do tipo, a Vale anunciou na última terça-feira (29) que vai eliminar todas as barragens a montante, tecnologia usada nas estruturas de Brumadinho e de Mariana, da Samarco.

O presidente disse que a companhia possuía 19 barragens do tipo e que todas já estavam inativas. Agora, o trabalho vai focar em acelerar a eliminação de rejeitos armazenados, o que levará entre um e três anos. O plano de segurança custará R$ 5 bilhões.

Ontem à noite, a empresa também anunciou que a ex-ministra do STF Ellen Gracie vai liderar comitê para apurar desastre de Brumadinho.

Em nota, a empresa destaca que o comitê "foi criado para apoiar o Conselho de Administração na apuração de causas e eventuais responsabilidades no contexto do rompimento da Barragem I da Mina Córrego de Feijão, em Brumadinho (MG)".

Vale e a bolsa

Os papéis da Vale possuem o maior peso no Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3 (ISE) com 15,3% da carteira teórica do índice, que reúne 35 ações de 30 companhias. As ações da empresa foram incluídas no índice neste ano. Em tese, ele deveria reunir apenas empresas com práticas mais rigorosas de sustentabilidade.

A empresa também está presente no Ibovespa. Lá, as ações ordinárias da Vale (VALE3) representam cerca de 9% da composição da carteira. Veja neste vídeo como o tombo da companhia arrastou a bolsa junto.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

CERCO FECHANDO?

Com big techs na mira dos órgãos reguladores, Cade britânico manda Meta, a dona do Facebook, vender a Giphy

A Autoridade de Concorrência e Mercados do Reino Unido considera que o negócio tem potencial de prejudicar usuários de redes sociais e anunciantes

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro recua com novos temores sobre a covid-19 no mundo e dólar também cai

Os investidores permanecem de olho na votação da PEC dos precatórios na CCJ do Senado, marcada para esta terça-feira (30)

O melhor do Seu Dinheiro

Ômicron de “A” a “Z”, dividendos, balanço da Black Friday e outros destaques

A variante ômicron recebeu este nome para evitar maiores conflitos de linguagem, mas Matheus Spiess vai além da semântica em sua análise

A BOLSA HOJE

Esquenta dos mercados: notícia sobre possível baixa eficácia das vacinas contra ômicron derruba mercados, em dia de discurso de Powell e votação dos precatórios

O investidor local ainda permanece de olho nas falas de Roberto Campos Neto e Paulo Guedes em eventos separados hoje

SÓ NO SAPATINHO

Dividendos: Arezzo (ARZZ3) vai distribuir R$ 60 milhões aos acionistas; veja como participar

Serão R$ 33,78 milhões em JCP e R$ 26,22 milhões em dividendos a serem depositados até 31 de janeiro de 2022