Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-01-31T19:21:12-02:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Tristeza sem fim...

Número de mortos em Brumadinho sobe para 110 e Vale deve ter o maior acidente trabalhista da história do Brasil

Até o momento 67 corpos já foram identificados. O número de desaparecidos é de 238 e o de resgatados é de 192.

31 de janeiro de 2019
18:43 - atualizado às 19:21
Bombeiros em local de resgate em Brumadinho
Bombeiros em local de resgate em Brumadinho - Imagem: Fernando Moreno/Estadão Conteúdo/Futura Press

Após o desabamento de um pavilhão que estava em fase de construção em Minas Gerais, em 1971, a tragédia da Vale deve ser o maior acidente trabalhista da história do Brasil. Em nota divulgada na noite desta quinta-feira, 31, a Defesa Civil de Minas Gerais disse que há 110 mortes, sendo que 67 corpos já foram identificados.

O número de desaparecidos é de 238 e o de resgatados é de 192. Além disso, 394 corpos já foram localizados. No acidente de 1971, 69 pessoas morreram.

Para evitar novos desastres do tipo, a Vale anunciou na última terça-feira (29) que vai eliminar todas as barragens a montante, tecnologia usada nas estruturas de Brumadinho e de Mariana, da Samarco.

O presidente disse que a companhia possuía 19 barragens do tipo e que todas já estavam inativas. Agora, o trabalho vai focar em acelerar a eliminação de rejeitos armazenados, o que levará entre um e três anos. O plano de segurança custará R$ 5 bilhões.

Ontem à noite, a empresa também anunciou que a ex-ministra do STF Ellen Gracie vai liderar comitê para apurar desastre de Brumadinho.

Em nota, a empresa destaca que o comitê "foi criado para apoiar o Conselho de Administração na apuração de causas e eventuais responsabilidades no contexto do rompimento da Barragem I da Mina Córrego de Feijão, em Brumadinho (MG)".

Vale e a bolsa

Os papéis da Vale possuem o maior peso no Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3 (ISE) com 15,3% da carteira teórica do índice, que reúne 35 ações de 30 companhias. As ações da empresa foram incluídas no índice neste ano. Em tese, ele deveria reunir apenas empresas com práticas mais rigorosas de sustentabilidade.

A empresa também está presente no Ibovespa. Lá, as ações ordinárias da Vale (VALE3) representam cerca de 9% da composição da carteira. Veja neste vídeo como o tombo da companhia arrastou a bolsa junto.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

COMO ESPERADO

Evergrande paga credores locais; estrangeiros seguem a ver navios

Apesar da perspectiva de calote aos credores externos, reação à notícia foi positiva nos mercados de bônus chineses

bitcoin (BTC) hoje

Bitcoin (BTC) se aproxima das máximas históricas após estreia do primeiro ETF em criptomoeda nos EUA; acompanhe

Nos primeiros minutos de negociação, o ETF da ProShares movimentou cerca de US$ 280 milhões de acordo com o analista de fundos de índice da Bloomberg

NA ESTEIRA DA VACINA

Beneficiada por venda de imunizante contra covid-19, Johnson & Johnson lucra mais que o esperado no 3º trimestre

Depois dos grandes bancos, agora é a vez de a J&J surpreender positivamente o mercado, impulsionada por sua divisão farmacêutica

MERCADOS HOJE

Auxílio emergencial ‘turbinado’ e fora do teto pesa e faz Ibovespa perder os 113 mil pontos; dólar avança mesmo com leilão do BC

A agenda local está esvaziada neste início de semana, mas os investidores aguardam ansiosamente por um desfecho para a PEC dos precatórios.

RadioCash

Com cenário macroeconômico instável, não dá pra ser Warren Buffet no Brasil, diz Paolo Di Sora, fundador da RPS Capital

Para o megainvestidor e CEO da Berkshire Hathaway, que compra ações de empresas na maior economia do mundo, é fácil se concentrar na análise microeconômica. Já o investidor brasileiro, por sua vez, está sempre sujeito a instabilidades e crises domésticas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies