Menu
2019-04-04T14:19:05-03:00
Estadão Conteúdo
Ladeira abaixo

Fitch rebaixa rating da Vale e coloca nota em revisão para novo rebaixamento

Agência diz esperar que a empresa tenha pesados custos de reparação como resultado do acidente em Brumadinho

28 de janeiro de 2019
20:08 - atualizado às 14:19
Barragem da Vale rompe em Brumadinho, MG
Vale pode sofrer novo rebaixamento de rating - Imagem: Divulgação/Corpo de Bombeiros

A agência de classificação de risco Fitch rebaixou a nota de crédito em moeda estrangeira da Vale de BBB+ para BBB- e colocou o rating em observação para um eventual novo corte.

Em comunicado divulgado nesta segunda-feira, 28, a Fitch aponta que o rebaixamento reflete a expectativa de que a empresa terá pela frente "pesados custos de reparação como resultado do acidente em Brumadinho". De acordo com a agência, o corte na nota de crédito da Vale também vem na esteira de expectativas de que as multas contra a empresa serão "substanciais, já que o acidente de mineração ocorreu aproximadamente três anos depois que outra barragem se rompeu".

Além disso, a Fitch argumenta que suas ações de rating são uma expectativa de diminuição da produção no curto prazo e no investimento adicional para remediação e outras despesas para garantir a segurança em várias outras barragens da Vale. "O acesso da empresa ao financiamento provavelmente também será prejudicado devido a preocupações com questões ambientais, sociais e de segurança", afirmou a agência.

Nos cálculos da Fitch, em um cenário em que a Vale perde toda a produção do complexo de Paraopeba, o Ebitda da companhia cairia de estimados US$ 15 bilhões em 2019 para US$ 13,6 bilhões, considerando US$ 60 por tonelada o preço do minério de ferro. "Em uma base pro forma, isso elevaria a alavancagem líquida projetada da empresa de 0,7x para 0,8x", aponta a agência, que acredita em uma elevação desses índices devido a reparações, multas e outras possíveis obrigações a serem impostas sobre a Vale.

No comunicado, a agência também aponta que a Vale utilizou processamento a seco para cerca de 40% de sua produção, enquanto os 60% restantes exigiram barragens de rejeitos, sendo 136 no Brasil. "Se a produção nessas barragens for interrompida em qualquer um dos outros locais devido a qualquer uma das agências reguladoras e/ou a preocupação de autoridades federais sobre essas várias barragens de rejeitos, os ratings da Vale podem sofrer rebaixamentos adicionais", afirmou a Fitch.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Mercado secundário

Conselho do BNDESPar aprova regras para venda de Units da Copel

O BNDESPar possui participação de 24% na Copel, e no final do ano passado, já havia anunciado sua intenção de se desfazer dos ativos

cardápio de balanços

Via, Suzano, Eletrobras, Equatorial, MRV, Eneva, Locaweb, BRF, Natura e Hapvida: os balanços que mexem com o mercado nesta quinta

Veja abaixo os principais resultados, divulgados entre a noite desta quarta-feira e a manhã desta quinta

Fim de uma história de amor?

Elon Musk anuncia que Tesla suspendeu compras com bitcoins e volta a falar de dogecoin

O bilionário levantou a questão ambiental para deixar as transações com a criptomoeda de lado

IR 2021

Imposto de Renda: Quem pode deduzir honorários advocatícios?

A repórter Julia Wiltgen conversou com o advogado tributarista Samir Choaib e respondeu às principais dúvidas dos leitores do Seu Dinheiro.

Ivan Sant'Anna

O novo superciclo das commodities já é uma realidade. Como você pode ganhar dinheiro com ele

Nas últimas décadas, tivemos três grandes bull markets de commodities. Agora, os astros estão se alinhando para um novo superciclo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies