Menu
2019-01-25T19:08:30-02:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
IMPACTO PARA O ACIONISTA

Analistas estimam que acidente em Brumadinho trará danos financeiros e de imagem à Vale e pode derrubar ação no curto prazo

Mercado busca entender a dimensão do acidente e o volume de rejeitos despejados para mensurar perdas da empresa e dano de imagem.

25 de janeiro de 2019
15:42 - atualizado às 19:08
Barragem da Vale rompe em Brumadinho, MG
Barragem da Vale rompe em Brumadinho, MG - Imagem: Divulgação/Corpo de Bombeiros

O acidente com barragem da Vale em Brumadinho penaliza as ADRs da empresa na bolsa americana. Os analistas ainda tentam entender a dimensão da tragédia e os danos à empresa, mas já estimam que o acidente provocará prejuízos e uma crise da imagem para a companhia que vai derrubar o valor da ação da mineradora no curto prazo. Nesta sexta-feira (25), a bolsa de valores brasileira está fechada diante do feriado pelo aniversário da cidade de São Paulo. A ação deve despencar na segunda-feira.

Os analistas estão ainda avaliando a dimensão do acidente. O grande comparativo é com o desastre da Samarco em Mariana em novembro de 2015, que provocou a morte de 19 pessoas e derrubou rejeitos nos rios de Minas Gerais que chegaram até o litoral do Espírito Santo.

Os analistas do Bank of America minimizaram, no entanto, o efeito do acidente para os negócios da Vale. Para eles, o impacto ambiental será menor do que o da Samarco e a as ações da companhia na bolsa brasileira não devem refletir o efeito visto nesta sexta-feira nos ADRs em Wall Street. O banco manteve a recomendação de compra dos papéis.

O analistas do Itaú BBA observaram que o tombo das ADRs da mineradora nos EUA chegou a superar 10%, exatamente o mesmo declínio visto no dia seguinte ao rompimento da barragem da Samarco.

"Acreditamos que o acidente pode continuar a pesar no desempenho do preço das ações no curto prazo, considerando-se que pode atrasar as concessões de operação e licenças ambientais no Brasil. Também pode atrasar o reinício das operações da Samarco, se as autoridades decidirem aumentar os padrões de segurança para os resíduos de mineração."

Em busca de informações

O analista da XP Investimentos que acompanha o papel da Vale, Karel Luketic, já entrou em contato com a área de relações com investidores da mineradora, mas a companhia ainda espera mais informações para poder dar uma dimensão melhor do acidente.

"O mais importante agora é saber o impacto para a vida e para a cidade. O aspecto financeiro é secundário", diz o analista da XP Investimentos Karel Luketic.

Impacto na produção

A estimativa de analistas é que o impacto na produção tende a ser menor do que o ambiental e de imagem para a empresa. O acidente ocorreu um uma mina do complexo de Paraopeba, que respondeu em 2017 por cerca de 7% da produção da Vale.

Brumadinho X Mariana

O analista de um grande banco comenta que, nesse momento, busca entender a dimensão do acidente e o volume de rejeitos - se são menores ou maiores - que os do rompimento da barragem de Fundão em Mariana (MG). Fundão tinha capacidade de estocar 55 milhões de metros cúbicos em rejeitos.

Em novembro de 2015, a barragem se rompeu, provocando a morte de 19 pessoas e a destruição do distrito de Bento Rodrigues, próximo à represa.

Os rejeitos alcançaram o litoral do Espírito Santo, afetando a flora e a fauna. Segundo informações da Vale, a barragem em Brumadinho tem volume de 12,7 milhões de metros cúbicos de rejeito de mineração.

Teste de impacto

O desastre ambiental ocorre em um momento em que a Vale está finalizando uma operação de captação de crédito de US$ 3 bilhões. Apesar de o acidente não cair bem para imagem da mineradora, os analistas esperam que ela consiga financiadores.

"A Vale é muito forte financeiramente. Esperamos que vários bancos ofereçam para a empresa crédito em condições favoráveis", destaca o analista americano John Tumazos, da John Tumazos Very Independent Research, a Broadcast.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Mudanças

BB confirma Ieda Cagni para presidência do Conselho de Administração

Nesta quarta-feira, foi realizada a primeira reunião do novo Conselho do Banco do Brasil. Na ocasião, os membros eleitos na assembleia definiram os ocupantes dos cargos de presidente e vice-presidente do colegiado.

Seu Dinheiro na sua noite

A receita do dr. Copom: +0,75 ponto de Selic na veia

O Copom cumpriu as expectativas e aumentou a Selic ao nível de 3,5%. No entanto, o comunicado trouxe algumas surpresas

Ficou para 31 de maio

Bolsonaro veta novo adiamento de prazo para entrega do Imposto de Renda

O presidente aceitou a recomendação feita pelo Ministério da Economia, que previa um impacto negativo na arrecadação da União e estados com uma nova data

Mudança nos juros

COMPARATIVO: Veja o que mudou no novo comunicado do Copom

Veja o que ficou igual e o que mudou na decisão do Copom a respeito da taxa Selic, elevada ao patamar de 3,5% ao ano

CRYPTO NEWS

O mercado está cheio de bitcoin, mas as prateleiras estão vazias

O fluxo de saída da criptomoeda mais famosa das exchanges é algo inédito deste ciclo e pode representar a falta do ativo nas exchanges de cripto

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies