Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-10-07T12:20:27-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
De olho no balanço

Citigroup eleva ações da Uber para compra e papéis têm alta em Nova Iorque

Entre os motivos apontados pelos analistas estão a expectativa mais positiva com os resultados do terceiro trimestre deste ano. Segundo eles, os números devem indicar uma melhora nos fundamentos da gigante do setor de transportes por aplicativo

7 de outubro de 2019
12:18 - atualizado às 12:20
shutterstock_1394391065
Imagem: Shutterstock

Depois de uma certa frustração tomar conta dos investidores que apostavam nos papéis da Uber (código UBER) após a abertura de capital na bolsa, o Citigroup emitiu um sinal que gerou certo alívio ao mercado. As informações são do site Market Watch.

Em relatório divulgado hoje (7), os analistas do banco elevaram a recomendação dos papéis da companhia de neutro para compra. Mas optaram por manter o preço-alvo da ação em US$ 45, o que significaria uma alta de 51,4% em relação ao preço de fechamento da última sexta-feira (4).

E o mercado gostou do que viu. Por volta das 12h06, as ações da Uber apresentavam alta de 2,90%, cotadas em US$ 30,53.

Entre os motivos apontados pelos analistas estão a expectativa mais positiva com os resultados do terceiro trimestre deste ano. Segundo eles, os números devem indicar uma melhora nos fundamentos da gigante do setor de transportes por aplicativo.

E não é só isso. Na visão dos analistas, um dos pontos que podem ajudar a valorizar a ação é a avaliação que o mercado fez da Uber Eats, que funciona como um serviço de entrega de comida. Eles destacam que o valor dela ainda não está refletido no atual preço dos papéis da Uber.

Números da companhia

Ainda que a expectativa seja de melhora no balanço do próximo trimestre, os resultados do segundo trimestre deste ano não trouxeram informações muito animadoras para os seus acionistas.

Na ocasião, a empresa reportou um prejuízo líquido de US$ 5,24 bilhões. A cifra é muito maior que a verificada no mesmo período do ano passado, quando a perda foi de US$ 878 milhões.

Ainda que boa parte do prejuízo tenha sido por conta de compensações de despesas relacionadas ao processo de abertura de capital, que chegaram a US$ 3,9 bilhões. Descontado esse efeito, a Uber teria registrado perdas de US$ 1,3 bilhão no trimestre.

O resultado implicaria num prejuízo por ação de US$ 4,72, mais que o dobro do registrado em igual intervalo de 2018, de US$ 2,01. O número ficou aquém da expectativa do mercado — a média das estimativas compiladas pela Bloomberg apontava para um prejuízo por ação de US$ 3,23, já considerando as despesas com o IPO.

O aumento nas perdas teve como principal fator o crescimento de 12% da receita líquida na mesma base de comparação, para US$ 2,87 bilhões. Além dos custos ligados ao IPO, a Uber reportou crescimentos expressivos nas despesas gerais e administrativas e nos gastos com vendas e marketing.

Outro fator que também decepcionou foi a receita líquida. Segundo dados compilados pela Bloomberg, o mercado projetava que essa linha atingiria US$ 3,05 bilhões neste trimestre.

As reservas brutas — ou seja o valor total arrecadado pela Uber em todas as suas modalidades de serviço — também não foram muito atraentes e somaram US$ 15,75 bilhões no trimestre. A cifra representa um crescimento de 31% na base anual, mas também ficou abaixo das expectativas dos analistas.

Agora, um fator que surpreendeu foi a evolução no número de usuários ativos por mês nas diferentes plataformas da empresa, que alcançou 99 milhões de usuários entre abril e junho deste ano, ante 76 milhões no segundo trimestre. Tais números representam um salto de 30%.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Exile on Wall Street

Felipe Miranda: Entre “O fim do Brasil —parte 2” e o começo da terceira via

Depois do desastre com o teto de gastos, o que podemos esperar de uma resolução que não envolva nem Lula nem Bolsonaro?

COLUNA DO JOJO

Bolsa hoje: Suas definições de “responsabilidade fiscal” foram atualizadas

A temporada de resultados brasileira, que começou na última sexta-feira, segue hoje com EcoRodovias, EDP Brasil, Neoenergia e TIM, após o fechamento do mercado. Enquanto isso, ao longo do dia, o presidente Jair Bolsonaro deverá lançar o Programa de Crescimento Verde, indicativo positivo para a COP26 de novembro

CRIPTOMOEDAS HOJE

Bitcoin (BTC) retoma os US$ 63 mil após cair na sexta-feira e outras criptomoedas sobem até 10% hoje; confira

Destaque para a Solana (SOL), que vem apresentando resultados acima da média das dez principais moedas do mundo

UM OLHO NO GATO, OUTRO NO PEIXE

Como a encrencada Evergrande pretende se inspirar em Elon Musk para sair da draga

Depois de depositar dinheiro devido a credores externos, fundador fala em deixar em segundo plano os empreendimentos imobiliários para investir em setores considerados mais promissores

MERCADOS HOJE

Ibovespa tenta se recuperar do baque fiscal e abre a semana em alta de mais de 2%; dólar recua

Os investidores começam a semana ainda digerindo a confirmação do rompimento do teto de gastos, mas como a situação deixou de ser especulativa, abre espaço para uma recuperação do Ibovespa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies