Menu
2019-09-30T16:55:03-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Migração de mais de R$ 1 tri

Títulos do Tesouro que vencem nos próximos 5 anos devem impulsionar ações de dividendos, diz Itaú

Segundo relatório da Itaú Corretora, recursos aplicados em títulos públicos que devem vencer nos próximos cinco anos podem migrar para a bolsa, sobretudo para as ações que pagam bons dividendos; confira as sugestões da corretora de ações com esse perfil

30 de setembro de 2019
16:34 - atualizado às 16:55
Atleta dá impulso para salto em distância
Corretora do Itaú espera migração de recursos da renda fixa para o mercado de ações depois que títulos vencerem. Imagem: Shutterstock

Os títulos públicos do Tesouro Nacional que vencem nos próximos cinco anos devem dar um senhor impulso ao mercado de ações brasileiro, sobretudo àquelas ações que são boas pagadoras de dividendos, diz relatório da Itaú Corretora divulgado a clientes nesta segunda-feira (30).

Segundo o relatório, o Brasil tem atualmente R$ 2,9 trilhões em títulos do governo que vencem dentro deste prazo. Destes, R$ 1,3 trilhão está investido em títulos atrelados à Selic (Tesouro Selic ou LFT) e tem grande chance de ser reinvestido, uma vez que sua remuneração já vem acompanhando a queda da Selic.

O R$ 1,6 trilhão restante, porém, está investido em títulos prefixados ou atrelados à inflação que pagavam taxas de juros mais altas quando foram adquiridos pelos investidores. Com o vencimento desses papéis, seus detentores não conseguirão renová-los por taxas semelhantes, uma vez que a Selic vem numa trajetória de queda.

Para os analistas do Itaú, isso significa que essa quantia de quase R$ 2 trilhões tem grande potencial de migrar, nos próximos anos, para outros tipos de investimento, em busca de melhores retornos.

Os mais promissores, segundo o relatório, são as ações que pagam bons dividendos, uma vez que elas têm menos volatilidade que as ações de empresas em crescimento e compartilham, com os títulos públicos, a característica de gerar renda para o investidor.

Apenas nesta terça-feira (1º), R$ 100 bilhões já serão despejados no mercado com o vencimento de um título prefixado tipo LTN. No Tesouro Direto, a LTN é negociada como Tesouro Prefixado, mas o título com vencimento em 2019 não está disponível na plataforma de negociação on-line de títulos públicos, apenas no mercado secundário, onde atuam os investidores institucionais.

  • Veja mais: Investidores comuns estão aprendendo como antecipar o movimento das ações com um dos maiores analistas técnicos do país. VAGAS LIMITADAS. Corra. Entre aqui.

Momento é perfeito para a migração da renda fixa para a renda variável

Ainda segundo os analistas da Itaú Corretora, nunca houve momento melhor que o atual para ocorrer essa migração de recursos dos títulos públicos para as ações. A relação entre earnings yields (retornos com os lucros das ações) e os bonds yields (retornos dos títulos) está mais favorável para a renda variável desde 2017.

Os juros mais baixos no mundo e a perspectiva de novas quedas para a taxa Selic tendem a aumentar essa diferença.

"Acreditamos que alguns efeitos de vencimento de títulos do Tesouro serão observados no mercado de ações, uma vez que no grande vencimento de maio [R$ 88 bilhões referentes ao vencimento de um título indexado à inflação] foi possível observar um aumento das entradas nos fundos de ações", diz o relatório.

Os analistas lembram, porém, que essa conversão de renda fixa para ações não deve ser imediata, porque muitos investidores demoram a realocar sua carteira adequadamente.

Por que as ações de dividendos seriam as melhores opções?

Segundo os analistas da Itaú Corretora, essas ações pertencem a empresas com elevada geração de caixa e ótimo histórico de pagamento de dividendos, apresentando também baixa volatilidade e menor risco operacional. Elas são descritas como ações "bond-like", por terem características similares aos títulos públicos prefixados e atrelados à inflação (bonds).

Investidores acostumados a investimentos seguros e com os altos retornos como os que a renda fixa brasileira apresentava no passado provavelmente seriam os primeiros a migrarem para estas ações que apresentam menor volatilidade, diz o relatório.

Além disso, elas funcionam também como porta de entrada desses investidores no mercado de ações.

Boas pagadoras de dividendos se saíram melhor que as NTN-B

Ainda de acordo com o relatório da Itaú Corretora, as companhias boas pagadoras de dividendos vêm apresentando, neste ano, retorno maior que o das NTN-B, os títulos públicos atrelados à inflação.

Enquanto estes renderam, em média, 27,2% em 2019 - mais que o Ibovespa, que subiu 19,8% até agora -, as boas pagadoras de dividendos apresentaram um retorno de 36,0% no ano.

As baixas taxas de juros e novas quedas na Selic devem ajudar ainda mais essas ações.

E quais ações de dividendos a Itaú Corretora indica?

Entre as ações com esse perfil para receber os investimentos de quem hoje está com o dinheiro aplicado em títulos públicos prefixados e atrelados à inflação, a Itaú Corretora indica CPFL (CPFE3), Copasa (CSMG3), Multiplan (MULT3) e Rumo (RAIL3).

O portfólio de ações brasileiras recomendadas pela Itaú Corretora tem hoje 40% em ações "bond-like", contra apenas 9% da composição do Ibovespa. As demais ações da carteira são Bradesco, Cyrela, Hapvida e Randon (que devem se beneficiar da melhora do ciclo doméstico) e Vale (considerada barata).

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

seu dinheiro na sua noite

E essa Black Friday em ano de crise, vai dar bom?

Estamos prestes a viver uma Black Friday num ano de forte crise, em que as pessoas ficaram confinadas em casa. Definitivamente não é o melhor dos cenários para uma data tão voltada para o consumo. Por outro lado, foi na internet que a Black Friday ganhou força no Brasil, e o e-commerce deu um enorme […]

alta de 32% no ano

Parte da desvalorização maior do real se deve à dívida, diz presidente do BC

Roberto Campos Neto lembrou que o encerramento do ano é, tradicionalmente, um período de mais remessas de recursos ao exterior

fim do dia

O rali continua: Ibovespa deixa Wall Street de lado e sobe quase 20% em novembro

Ações de CVC e siderúrgicas lideram alta do índice. Dólar cai com fluxo e divulgação do dado das contas externas e juros recuam de olho em fiscal

Em pleno calendário eleitoral

Senado aprova mudanças na Lei de Falências

O projeto amplia o financiamento a empresas em recuperação judicial, permite o parcelamento e o desconto para pagamento de dívidas tributárias e possibilita aos credores apresentar plano de recuperação da empresa

Olha o Gol

Boeing 737-8 Max é autorizado a retornar operações no Brasil pela Anac

A informação é vista com bons olhos pela Gol, que é a única credenciada a operar o modelo no Brasil.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies