Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-01-28T15:28:49-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Bye bye, Brasil?

Participação de estrangeiro na dívida pública é a menor desde 2011

Fatia do não residente fechou 2018 em 11,2% do endividamento interno, mas houve compra líquida de dívida pela primeira vez desde 2015

28 de janeiro de 2019
15:28
Baú de tesouro com moedas e bússola
Imagem: PaulPaladin/Shutterstock

Depois de um saque de mais de R$ 80 bilhões entre 2016 e 2017, o investidor estrangeiro fechou 2018 com compra líquida de dívida interna brasileira. Mas o volume foi pouco expressivo, coisa de R$ 2 bilhões. Assim, a participação relativa voltou a cair e fechou o ano em 11,2%, menor desde junho de 2011.

Vale lembrar que a parcela do não residente oscilou ao redor dos 20% durante boa parte de 2014 e começo de 2015. Mas a perda do grau do investimento em setembro daquele ano mudou a relação do estrangeiro com a dívida brasileira desde então.

Em coletiva para apresentar os resultados do ano, o subsecretário da Dívida Pública, José Franco Medeiros de Morais, avalia que essa atuação do estrangeiro em 2018 foi positiva e que esse aumento de R$ 2 bilhões pode ser visto como um indicador de “cenário positivo, com expectativa de entrada de recursos estrangeiros” ao longo de 2019.

A dívida interna encerrou 2018 em R$ 3,728 trilhões. Os maiores detentores são os fundos de investimento, com 26,91% ou R$ 1 trilhão. Na sequência aparecem as instituições de Previdência, com 24,96%, ou R$ 930 bilhões. As instituições financeiras aparecem com R$ 848 bilhões, ou 22,74% do total.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Ajuste seu relógio

Pregão terá uma hora a mais a partir de novembro; entenda a mudança e veja a nova agenda da bolsa

As alterações começam a valer a partir do dia 8 de novembro; a B3 vai ajustar a bolsa para refletir o fim do horário de verão nos EUA

Nada de penny stock

Na Saraiva (SLED3 e SLED4), uma medida para aliviar a pressão da CVM — mas que não tira a corda do pescoço

A Saraiva (SLED3 e SLED4) quer fazer um grupamento de ações na proporção de 35 para 1, saindo da casa dos centavos — mas perdendo liquidez

Seu Dinheiro no sábado

O que esperar para os seus investimentos até 2024?

Como parte das comemorações de três anos do Seu Dinheiro, montamos um conteúdo especial para discutir o cenário de investimentos até 2024

PAPO CRIPTO #004

Bitcoin (BTC) pode chegar aos US$ 100 mil ainda este ano, tudo depende dos EUA, afirma André Franco ao Papo Cripto

As gamecoins como o Axie Infinity devem movimentar ainda mais o mercado até o final do ano

ATENÇÃO, ACIONISTA

Hapvida (HAPV3) vai recomprar até 100 milhões de ações; papéis acumulam queda de 17% no ano

A operadora de saúde anunciou hoje que dará início a um programa de recompra de papéis com duração de até 18 meses

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies