Menu
2019-04-26T11:20:33-03:00
Estadão Conteúdo
dívida interna e externa

Dívida Pública Federal sobe 1,15% e fecha março em R$ 3,917 tri, diz Tesouro

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira, 26, pelo Tesouro Nacional; em fevereiro, o estoque estava em R$ 3,873 trilhões

26 de abril de 2019
11:20
Dinheiro; notas e moedas de real
Imagem: Shutterstock

O estoque da Dívida Pública Federal (DPF) subiu 1,15% em março, quando atingiu R$ 3,917 trilhões. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira, 26, pelo Tesouro Nacional. Em fevereiro, o estoque estava em R$ 3,873 trilhões.

A correção de juros no estoque da DPF foi de R$ 35,72 bilhões em março. Já as emissões de papéis totalizaram R$ 77,68 bilhões, enquanto os resgates chegaram a R$ 68,98 bilhões, o que resultou em uma emissão líquida de R$ 8,70 bilhões.

A DPF inclui a dívida interna e externa. A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) subiu 0,87% e fechou o mês passado em R$ 3,764 trilhões.

Já a Dívida Pública Federal externa (DPFe) ficou 8,30% maior, somando R$ 153,70 bilhões no terceiro mês do ano.

12 meses

A parcela da DPF a vencer em 12 meses subiu de 15,57% em fevereiro para 16,41% em março, segundo o Tesouro Nacional.

O prazo médio da dívida subiu de 4,13 anos em fevereiro para 4,15 anos no mês passado. O custo médio acumulado em 12 meses da DPF passou de 9,69% ao ano em fevereiro para 9,79% ao ano em março.

Parcela prefixada

A parcela de títulos prefixados na DPF subiu de 31,30% em fevereiro para 32,01% em março. Os papéis atrelados à Selic, por sua vez, diminuíram a fatia, de 37,01% para 35,86%.

Os títulos remunerados pela inflação subiram levemente para 28,01% do estoque da DPF em março, ante 27,85% em fevereiro. Os papéis cambiais elevaram a participação na DPF de 3,84% em fevereiro para 4,11% no mês passado.

Os porcentuais de papéis atrelados a índices de preços e à Selic estão fora das metas do Plano Anual de Financiamento (PAF) para este ano, enquanto o restante está enquadrado. Os papéis remunerados pela Selic devem ficar entre 38% a 42% e, no caso dos que têm índices de preço como referência, a meta é de 24% a 28%. O intervalo do objetivo perseguido pelo Tesouro para os títulos prefixados em 2019 é de 29% a 33%. No de câmbio, de 3% a 7%.

Estrangeiros

Os estrangeiros aumentaram a participação na dívida pública brasileira em março. A fatia dos investidores não-residentes no Brasil no estoque da DPMFi subiu de 12,18%, em fevereiro, para 12,24% no mês passado, somando R$ 460,88 bilhões, segundo os dados do Tesouro Nacional. Em fevereiro, o estoque nas mãos de estrangeiros estava em R$ 454,61 bilhões.

O grupo Previdência foi o maior detentor de papéis do Tesouro, com a participação passando de 24,56%, em fevereiro, para 24,15% no mês passado.

A parcela das instituições financeiras no estoque da DPMFi teve elevação de 22,10% em fevereiro para 22,33% em março. Os fundos de investimentos mantiveram a fatia de 27,24% em março. Já as seguradores tiveram recuo na participação, de 4,19% para 3,98%.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Radiocash

“Quando comecei a criar o Me Poupe, eu queria transformar finanças em mainstream”, conta Nathalia Arcuri

A plataforma de conteúdo e educação financeira tem uma CEO com uma jornada polêmica e impactante; confira no RadioCash

Economia na defesa

Privatização da Eletrobrás é ‘entrega elevadíssima’, afirma secretário de Guedes

Segundo associações do setor, o texto aprovado vai aumentar o custo da energia para consumidores em R$ 84 bilhões nas próximas décadas

Entre a cruz e a espada

Bitcoin se aproxima da “Cruz da Morte”: O que isso significa para a criptomoeda?

O bitcoin tocou essa linha imaginária no último final de semana, o que deve determinar o futuro da moeda para os próximos meses

Buscando confiança

Números de abril mostram melhora do IRB, mas queda da ação mostra que desconfiança persiste

Estratégia de rever contratos, principalmente no exterior, diminuiu as receitas fora do Brasil, mas ajudou sinistralidade e resultado final

Economia dos eua

Dirigente do Fed admite inflação alta, mas defende contínuo apoio monetário

Presidente da distrital do banco admitiu que as leituras recentes de inflação estão “altas” e devem ser monitoradas de perto

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies