Menu
2019-10-14T14:28:26-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Cartas na manga

Procurando boas ações para investir? O Bradesco BBI recomenda as small caps

Em relatório, o Bradesco BBI pondera que as small caps são opções interessantes por estarem menos expostas às incertezas vistas no mercado internacional

30 de agosto de 2019
15:01 - atualizado às 14:28
Small caps
As small caps são uma aposta do Bradesco BBI - Imagem: Shutterstock

O mês de agosto foi marcado por um novo acirramento das tensões na guerra comercial entre Estados Unidos e China — e essa situação, é claro, trouxe instabilidade ao mercado de ações no Brasil e no mundo. Mas, apesar das incertezas, o Bradesco BBI destaca que alguns ativos da bolsa continuam atraentes, especialmente as small caps.

Caso você não esteja familiarizado com o termo, as small caps são as ações de empresas de menor capitalização. Em geral, essas companhias são mais expostas à economia doméstica e, assim, tendem a apresentar um bom desempenho com a retomada da atividade local — eu expliquei tudo sobre esses papéis nesta matéria especial.

E, de fato, é essa característica que desperta a atenção do Bradesco BBI: se é verdade que o cenário externo enfrenta turbulências elevadas, também é verdade que as perspectivas para a economia brasileira são mais animadoras. Assim, as small caps aparecem bem posicionadas para aproveitar o momento.

Em relatório assinado pela analista Marina Valle, a instituição diz que cerca de 70% da recente correção vista no mercado acionário brasileiro — o Ibovespa, por exemplo, saiu dos 104 mil pontos em 8 de agosto para o nível de 96 mil pontos no dia 26 — se deve a fatores externos.

"Acreditamos que algumas das incertezas ligadas ao panorama global ainda devem continuar por um bom tempo, o que aumenta a atratividade das ações brasileiras mais ligadas ao mercado doméstico, em detrimento dos nomes com maior exposição ao cenário internacional", escreve a analista.

Com esse cenário em mente, a instituição destaca seis small caps em particular: Cesp PNB (CESP6), CVC ON (CVCB3), Iguatemi ON (IGTA3), Santos Brasil ON (STBP3), Tenda ON (TEND3) e Totvs ON (TOTS3). E há quatro grandes temas que fizeram com que a o Bradesco BBI optasse por essas ações específicas.

Em primeiro lugar, o banco crê que a taxa de juros deve ser mantida em níveis baixos por um período prolongado — a equipe macroeconômica do Bradesco BBI trabalha com um cenário de Selic em 5% ao ano ao fim de 2019. E, nesse cenário, eventuais fusões e aquisições podem ser facilitadas.

Além disso, Valle pondera que empresas dos setores de shoppings centers, concessões rodoviárias, construção civil e utilities são particularmente beneficiadas pelo ambiente de juros baixos — o que dá força ao argumento favorável às ações da Iguatemi e da Tenda.

Um segundo ponto levantado pelo Bradesco BBI é o de que a economia brasileira deve entrar num ciclo de expansão moderado, mas duradouro. Para a analista, a aprovação da reforma da Previdência deve ajudar a dar força ao PIB, mas sem grandes saltos num horizonte de quatro a cinco anos.

"Um ciclo de crescimento mais longo deve ser um fator positivo para as small caps, especialmente as que estão primariamente focadas em setores domésticos", escreve Valle, destacando a CVC e a Santos Brasil como bons exemplos de empresas com esse setor.

A instituição ainda pondera que a aceleração nas privatizações e vendas de ativos tende a ser um fator importante para os setores de óleo e gás, transportes e utilities. "Apesar de esse tema ser mais importante para as large caps, também vemos oportunidades entre as empresas de menor capitalização", diz o banco, destacando a Cesp.

Por fim, as permanência das incertezas políticas também deve influenciar o panorama de investimentos em small caps, já que o governo tem mostrado dificuldades para construir uma base de apoio sólida no Congresso. E, nesse ambiente, os prêmios de risco podem comprimir — o que torna nomes mais defensivos, como a Totvs, uma boa opção.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Os três mosqueteiros do varejo e outros destaques da noite

Na bolsa e no setor de varejo, a máxima do “um por todos e todos por um” não se aplica. Empresas competem umas com as outras e investidores buscam as melhores aplicações — o “cada um por si” tem bem mais adeptos. Mas, quem diria, três mosqueteiros juntaram suas espadas para comemorar os bons resultados […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa sobe puxado pelo minério de ferro e encosta nos 123 mil; NY fecha o dia no vermelho

Com a economia chinesa aquecida, a demanda por commodities segue em alta e sustenta bons níveis para o Ibovespa.

Seleção Empiricus

🔴 AO VIVO: Quais são os investimentos para o segundo semestre? | Seleção Empiricus

Caminhando para o fim do primeiro semestre, nosso time do Seleção Empiricus de hoje discute o que podemos esperar da Bolsa para os próximos meses. A escalação do jogo de hoje conta com Max Bohm, Matheus Spiess, Cris Fensterseifer e Marcos Queiroz.

Segure seus bitcoins

Golpistas se passam por Elon Musk e roubam dinheiro de investidores de criptomoedas

Os criminosos usaram perfis falsos do CEO da Tesla para levar ao menos US$ 2 milhões de entusiastas do bitcoin e outras moedas digitais

Orçamento apertado

Segmentos mais impactados de comércio e serviços tiveram perdas de R$ 225,7 bi em 2020

Montante é maior que o total produzido por países como Sérvia e Tunísia. Varejo de roupas perdeu 10% do seu tamanho no ano passado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies