Menu
2019-05-10T08:46:19-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Balanço da tragédia

Despesas da Vale por Brumadinho ultrapassam a marca de US$ 4,5 bilhões

A Vale divulgou nesta quinta-feira (9) seu balanço referente aos três primeiros meses de 2019 — o primeiro a contabilizar os impactos do rompimento da barragem em Brumadinho. E a mineradora teve um prejuízo bilionário.

9 de maio de 2019
19:45 - atualizado às 8:46
Desabamento de barragem da Vale em Brumadinho (MG)
Vale teve prejuízo bilionário e encerrou o trimestre com Ebitda negativo - Imagem: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Quase quatro meses depois do rompimento da barragem I na mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, o mercado finalmente consegue ter uma dimensão mais concreta dos impactos financeiros da tragédia para a Vale. E as despesas são bilionárias.

Ao todo, a mineradora estima que os custos relacionados a Brumadinho cheguem a US$ 4,504 bilhões. Desse montante, US$ 2,423 bilhões dizem respeito a provisões para os programas e acordos de compensação, enquanto as provisões para o descomissionamento de barragens soma US$ 1,855 bilhão.

Despesas incorridas no processo totalizam US$ 104 milhões, enquanto outros gastos respondem por US$ 122 milhões. A Vale ressalta que as cifras relacionadas a Brumadinho são resultado de estimativas com base nos fatos conhecidos até o momento.

Com os efeitos de Brumadinho, a empresa encerrou o primeiro trimestre de 2019 com prejuízo líquido de US$ 1,642 bilhão, revertendo o ganho de US$ 1,590 bilhão apurado no mesmo período do ano passado.

Além disso, o Ebitda ajustado da mineradora — isto é, o resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização — ficou negativo em US$ 652 milhões entre janeiro e março deste ano, ante Ebitda positivo de US$ 3,926 bilhões nos primeiros três meses de 2018.

Trata-se de uma situação sem precedentes na história da Vale: é a primeira vez na que a mineradora fecha um trimestre com Ebitda negativo.

A receita operacional líquida também recuou na base anual, somando US$ 8,203 bilhões no primeiro trimestre de 2019 — cifra 4,6% menor que a apurada há um ano.

Investimentos caem

Os investimentos da Vale no trimestre somaram US$ 611 milhões, uma queda de 31,3% ante os US$ 890 milhões investidos nos três primeiros meses de 2018. No entanto, na comparação com o período entre outubro e dezembro do ano passado — quando os desembolsos chegaram a US$ 1,498 bilhão — o recuo foi bem maior: de 59,2%.

Desses US$ 611 milhões investidos, a maior parte diz respeito à manutenção dos projetos já existentes, com US$ 512 milhões. Também neste caso, os montantes gastos diminuíram: a cifra é 3,2% menor que a alocada no primeiro trimestre de 2018 e 60,5% inferior à contabilizada no quarto trimestre do ano passado.

Dívida de US$ 12 bi

A dívida líquida da Vale ficou em US$ 12,031 bilhões ao fim de março. Em relação ao mesmo mês de 2018, o endividamento recuou 19,2%, mas, na comparação com o nível de dezembro, a dívida da mineradora saltou 24,6%.

Com isso, a alavancagem da Vale, medida pela relação entre dívida líquida e o Ebitda ajustado dos últimos 12 meses, fechou o primeiro trimestre deste ano em uma vez — mesmo patamar registrado há um ano. No fim de 2018, contudo, a alavancagem era menor: de 0,6 vez.

Receitas diminuem em todas as divisões

As três principais divisões de negócio da Vale — minerais ferrosos, carvão e metais básicos — tiveram queda na receita operacional líquida no trimestre.

A principal área de atuação da Vale, minerais ferrosos, gerou US$ 6,343 bilhões de receita entre janeiro e março deste ano, uma retração de 2,81% na mesma base de comparação. O setor de metais básicos foi responsável por US$ 1,451 bilhão (-11,2%), e o de carvão respondeu por US$ 333 milhões (-12,4%).

Os dados operacionais da Vale, divulgados na quarta-feira (8), já davam uma pista de que as receitas da Vale poderiam cair na base anual. A produção de minério de ferro totalizou 72,870 milhões de toneladas, queda de 11% ante os primeiros três meses do ano passado.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

O melhor do seu dinheiro

Avanço na PEC Emergencial e dólar a R$ 5,70

Hoje foi um dia daqueles em que Ibovespa e dólar caminharam para o mesmo sentido – para cima. As notícias têm sido agridoces para o mercado financeiro, então enquanto algumas coisas animam de um lado, outras preocupam do outro. No front da PEC Emergencial, as coisas avançaram, e parece que vai ter, afinal, algum controle […]

Primeiro passo

Os documentos que você deve reunir para declarar o imposto de renda 2021

Reunir a documentação que te auxilia no preenchimento da declaração é o primeiro passo. Empresas tiveram até a última sexta (28) para entregar os informes de rendimentos.

FECHAMENTO

Ibovespa reage na reta final e sobe mais de 1% com novidades sobre PEC Emergencial; dólar também sobe refletindo cautela

A bolsa chegou a cair mais de 2%, enquanto o Banco Central precisou injetar mais de US$ 2 bilhões para tentar segurar o câmbio

Chama o Max

Devo comprar ações da Jereissati para surfar na retomada da economia? Confira a análise

Como investidor, você pode tirar proveito da retomada da economia através dos papéis de uma das mais promissoras microcaps nacionais.

Fundos de investimento

Ney Miyamoto deixa equipe de gestão da Alaska

Fundador e um dos executivos mais experientes da equipe da Alaska, Miyamoto permanece como sócio e investidor dos fundos da casa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies