O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
É CEO do Seu Dinheiro
2019-06-15T12:23:35-03:00
BOMBOU NA SEMANA

MAIS LIDAS: Sai da minha aba, Estado

O Estado é aquele gigante metido que mais atrapalha do que ajuda. Os empreendedores precisam tirar ele do seu caminho. Confira as mais lidas da semana no Seu Dinheiro

15 de junho de 2019
12:23
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Dona Maria está desempregada e resolveu se virar para pagar as contas. Ela sabe cortar o cabelo e a sua filha já faz a unha em casa para as amigas.

Que tal abrir um salão de beleza? Para fazer tudo certinho, dentro da lei, elas precisavam de registros diversos, entre eles, um alvará de funcionamento. Uma pentelhação que só vai atrasar o projeto.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

O Estado é aquele gigante metido que mais atrapalha do que ajuda. Os empreendedores precisam tirar ele do seu caminho. Lembrei até de um sambinha sobre um “amigo” mala:

“Sai da minha aba
Sai pra lá
Sem essa
De não poder me ver
Sai da minha aba
Sai pra lá
Não aturo mais você”

Acho que Jair Bolsonaro ouviu os versos de Alexandre Pires. Nesta semana o governo divulgou uma lista de 287 atividades consideradas de “baixo risco” e dispensou os empreendedores de autorização prévia para lançar seus negócios, como os alvarás. Estão contemplados, por exemplo, cabeleireiros, psicólogos e borracharias.

A decisão está na medida provisória da “liberdade econômica”, editada em maio. É uma pequena vitória da agenda liberal, que defende a redução do peso do Estado na economia. O Eduardo Campos escreveu sobre isso nesta matéria, o texto mais lido da semana.

Antes de correr para ler, dá uma olhada na matéria de hoje da Julia Wiltgen. Ela fala sobre um tipo de risco pouco observado na hora de definir seus investimentos que é capaz de deixar até famílias ricas sem dinheiro para pagar as contas. Recomendo muito a leitura.

Veja as 5 notícias mais lidas da semana:

  1. Mais de 280 profissões podem ser exercidas sem autorização do Estado
  2. Perto de um final feliz? Ações da Oi atraem investidores, mas disputas internas de poder preocupam
  3. Moeda única entre Brasil e Argentina parece piada, mas na verdade é sonho antigo de Paulo Guedes
  4. Economia com abono salarial na reforma da Previdência pode cair quase à metade
  5. É hora de vender as ações de Itaú e Bradesco e comprar as da B3, diz Goldman Sachs
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

CERCO FECHANDO?

Com big techs na mira dos órgãos reguladores, Cade britânico manda Meta, a dona do Facebook, vender a Giphy

A Autoridade de Concorrência e Mercados do Reino Unido considera que o negócio tem potencial de prejudicar usuários de redes sociais e anunciantes

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro recua com novos temores sobre a covid-19 no mundo e dólar também cai

Os investidores permanecem de olho na votação da PEC dos precatórios na CCJ do Senado, marcada para esta terça-feira (30)

O melhor do Seu Dinheiro

Ômicron de “A” a “Z”, dividendos, balanço da Black Friday e outros destaques

A variante ômicron recebeu este nome para evitar maiores conflitos de linguagem, mas Matheus Spiess vai além da semântica em sua análise

A BOLSA HOJE

Esquenta dos mercados: notícia sobre possível baixa eficácia das vacinas contra ômicron derruba mercados, em dia de discurso de Powell e votação dos precatórios

O investidor local ainda permanece de olho nas falas de Roberto Campos Neto e Paulo Guedes em eventos separados hoje

SÓ NO SAPATINHO

Dividendos: Arezzo (ARZZ3) vai distribuir R$ 60 milhões aos acionistas; veja como participar

Serão R$ 33,78 milhões em JCP e R$ 26,22 milhões em dividendos a serem depositados até 31 de janeiro de 2022