Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-03-13T19:14:16-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Carruagens de fogo

Bolsa volta a flertar com os 100 mil pontos; no exterior, Trump veta operações dos Boeings 737 MAX 8 e 9

13 de março de 2019
19:14
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Uma trilha sonora me vem à cabeça quando penso em contagens regressivas. É o tema da largada da corrida de São Silvestre, que até 1988 acontecia durante a noite, bem perto da virada do ano.

A música de autoria de Cesar Camargo Mariano e Nelson Ayres que embalava os corredores na TV se chama Prisma. Outra trilha que costuma ser relacionada à tradicional prova de rua é a do filme Carruagens de Fogo. Ambas estão no YouTube para quem quiser relembrar.

Ainda estamos longe do fim do ano, mas temos uma contagem regressiva acontecendo na bolsa. Agora faltam apenas 1.097 pontos para o Ibovespa atingir a marca histórica dos 100 mil.

A largada da tramitação da reforma da Previdência, prevista para acontecer ainda hoje com a instalação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, ajudou a impulsionar as ações hoje.

A notícia de que o projeto de mudança na aposentadoria dos militares também está pronto para sair do forno deu o gás que faltava para o sprint da bolsa.

Ainda é cedo para dizer quando a corrida da reforma vai acabar, muito menos se o governo vai sair vencedor. Mas a expectativa é que a nova Previdência já esteja aprovada na manhã de 31 de dezembro de 2019, quando está marcada a próxima edição da São Silvestre. Leia na nossa cobertura o que mexeu com a bolsa e com o dólar hoje.

Um veto de peso

Os Estados Unidos decidiram agir sobre o caso da queda do avião da Boeing na Etiópia, a segunda do mesmo modelo em um intervalo de poucos meses. Donald Trump veio a público para anunciar que nenhuma aeronave 737 MAX 8 e 9 voará pelo espaço aéreo norte-americano. Foi mais um duro baque contra a fabricante que é sócia da brasileira Embraer. A empresa corre agora contra o tempo para achar uma solução para o problema.

Economia na brasa

A cerimônia era de posse do novo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, mas quem acabou roubando a cena foi Paulo Guedes. O ministro falou em reforma da Previdência, mais uma vez confiante na aprovação, e também de outros temas da agenda liberal, como as privatizações e a promessa de déficit fiscal zero em 2019. O “posto Ipiranga” de Bolsonaro aproveitou ainda para tratar de um tal de “churrasquinho chinês”, que seria o destino do Brasil caso a nossa economia se abrisse de uma vez ao exterior.

Dia 71 de Bolsonaro - Tiros em Suzano

O presidente Jair Bolsonaro usou sua conta no “Twitter” para prestar condolências aos familiares das vítimas do atentado ocorrido na escola professor Raul Brasil, em Suzano, São Paulo. “Uma monstruosidade e covardia sem tamanho”, escreveu.

Mesmo sendo uma monstruosidade e covardia, não levou minutos para que o tema fosse politizado. A oposição... (leia mais)

Me dá um tempo

A CSN entrou com um pedido no Cade para ganhar mais tempo para vender suas ações na Usiminas, segundo informou a Broadcast/Estadão. A siderúrgica havia comprado a participação na empresa mineira em 2011 na tentativa de entrar em seu bloco de controle, mas a estratégia foi vista pelo Cade como um ataque à concorrência. Ainda não se sabe se o órgão do governo vai dar uma colher de chá para a CSN, mas as ações da siderúrgica deram um novo salto no pregão de hoje da B3.

Quem paga a conta?

Parecia que finalmente a Eletrobras teria um desfecho do caso envolvendo uma dívida bilionária que pretende dividir com a União. Pois é, parecia: depois de três ministros do STJ darem seu voto, a Corte voltou a suspender o julgamento, com um placar desfavorável à estatal. A Eletrobras carrega uma conta de R$ 18 bilhões relacionada à cobrança feita nas contas de luz das empresas para financiar o sistema elétrico brasileiro. Saiba mais sobre esse imbróglio e como ele pode afetar as ações da estatal.

Sem taxa, sem ação

Por falar em conta, a decisão do STJ de barrar a cobrança de taxas de conveniência para ingressos de evento vendidos online até pode ter caído bem para quem costuma comprar tíquetes para shows na internet, mas acabou deixando marcas no mercado financeiro. Um dia depois da sentença que afetou a Ingresso Rápido, as ações da concorrente Time for Fun amargaram uma queda de mais de 2% na bolsa. Os detalhes dessa história você confere com a Bruna Furlani.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

CHAPA CONFIRMADA

Eleições 2022: Veja quantos milhões Lula e Alckmin declararam ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

7 de agosto de 2022 - 12:49

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin confirmaram a chapa ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

NÃO ENTRE NESSA

AMTD Digital (HKD): A ação desconhecida que subiu mais de 32.000% em menos de um mês e agora entra em queda meteórica

7 de agosto de 2022 - 11:18

Recém-chegada a Nova York, as ações da AMTD Digital levaram a companhia a valer mais do que grandes bancos como o Goldman Sachs e BofA

ROTA DO BILHÃO

O Lobo de Cashmere: Como Bernard Arnault, dono da LVMH, fez uma fortuna de US$ 168,6 bilhões a partir de bolsas e joias

7 de agosto de 2022 - 8:15

Formado em engenharia e apelidado como “Exterminador do Futuro”, o francês transformou uma empresa de tecidos falida na maior companhia da Europa

IVAN SANT'ANNA

Sob a névoa da guerra: as chances de Rússia e Ucrânia após seis meses de conflito

7 de agosto de 2022 - 7:29

As coisas não se passaram da maneira que Putin queria, e já é muito remota a chance de a Rússia anexar integralmente o seu vizinho do oeste

Existe esperança

Elon Musk flerta com a possibilidade de seguir em frente com a compra do Twitter — mas antes quer certeza sobre o número de usuários da rede

6 de agosto de 2022 - 15:19

O bilionário Elon Musk, dono da Tesla, voltou a usar o próprio Twitter para pressionar os executivos da rede social

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies