Menu
2019-04-05T10:44:24-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Reformas

Idade mínima de 57 anos para mulheres e 62 para homens volta ao debate

Presidente Jair Bolsonaro já tinha aventado essa possibilidade em entrevista no começo do ano. Paulo Guedes e Rodrigo Maia são defensores de idades iguais

12 de fevereiro de 2019
19:15 - atualizado às 10:44
Presidente da República, Jair Bolsonaro, fala com a imprensa sobre rompimento de barragem da Vale em Brumadinho
Presidente da República, Jair Bolsonaro - Imagem: Isac Nóbrega/PR/Fotos Públicas

A informação não é oficial, mas circula em diferentes sites, como “Correio Braziliense” e “G1”, que o presidente Jair Bolsonaro teria decidido que as idades mínimas na reforma da Previdência serão de 57 anos para as mulheres e 62 para os homens, a contar do fim de seu mandato em 2022.

Essas idades já tinham sido abertamente sugeridas por Bolsonaro em entrevista no dia 3 de janeiro. A primeira reação, na época, foi negativa, mas depois uma segunda avaliação foi feita, considerando que o tempo de transição para idades maiores seria mais rápido do que o modelo proposto pelo governo Michel Temer.

Ainda de acordo com o “senhor fontes”, haverá um mecanismo de ajuste para cima das idades de forma automática e que quem ganha mais, pagará maiores contribuições sobre o recebimento da aposentadoria. Numa segunda rodada de notícias, veio a informação de que se pretende que homens e mulheres se aposentem aos 65 anos após o período de transição.

O discurso oficial continua sendo de que os detalhes ainda serão definidos por Bolsonaro, assim que ele tiver alta do hospital onde está internado desde o dia 27.

Nesta terça-feira, o secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, falou que o texto-base tinha sido fechado e que seria diferente da minuta que vazou na semana passada que, entre outros coisas, defendia idade mínima de 65 anos para homens e mulheres.

A paridade de idades foi defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Aliás, os dois atacaram o vazamento de informações da reforma, na semana passada, atribuindo essa atitude a pessoas que defendem interesses corporativos.

A primeira reação do mercado não foi muito positiva, pois o Ibovespa reduziu o ritmo de alta. Mas parece prevalecer no mercado o entendimento de alguma coisa está sendo feita e que a reforma, em linhas gerais, caminha na direção certa.

Reação mais consistente ao desenho da reforma deve acontecer mesmo com a oficialização do texto, que permitirá saber se a economia pretendida vai permitir a estabilização e posterior redução da relação dívida/PIB. Guedes falou em economia de R$ 1 trilhão em 10 anos, mas não deu mais detalhes. Aliás, "detalhes" é algo que Guedes não deu sobre nada nesses seus 43 dias como ministro.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

CRIPTOMOEDA

Bitcoin ultrapassa US$ 60 mil antes de abertura de capital da Coinbase Global

Criptomoeda teve alta de 4,87%, a quatro dias de IPO da maior corretora de moedas digitais dos EUA

pandemia

Mortes por Covid-19 cresceram 468% no Brasil entre janeiro e março, alerta Fiocruz

Para os novos casos, o aumento foi de 701%; Sul e Centro-Oeste tendem a cenário mais crítico nas próximas semanas.

IPCA DE MARÇO

Inflação vai a 0,93% e mercado vê risco de estourar meta

Taxa acumulada passou a 6,10% no mês passado, reforçando temor de que inflação oficial termine o ano acima do teto da meta, de 5,25%.

congresso X executivo

Orçamento tem guerra de pareceres

Câmara e Senado se armaram com notas técnicas para mostrar que o presidente Jair Bolsonaro pode sancionar o Orçamento sem vetos a emendas; Ministério da Economia já prepara próprio embasamento jurídico.

Aura e Aeris: veja o que dizem os CEOs das novatas da bolsa e outras notícias que bombaram na semana no Seu Dinheiro

Novidade na praça sempre causa burburinho. Na bolsa não é diferente. É bem verdade que as opiniões divergem:Lindas!Não são lá tudo isso…Não sei, nunca ouvi falarA bolsa brasileira recebeu 43 novas integrantes em 2020 e 2021. E a fila para entrar continua a aumentar. Para você, amigo leitor, isso é excelente. São mais ações na […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies