Menu
2019-04-05T10:44:24-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Reformas

Idade mínima de 57 anos para mulheres e 62 para homens volta ao debate

Presidente Jair Bolsonaro já tinha aventado essa possibilidade em entrevista no começo do ano. Paulo Guedes e Rodrigo Maia são defensores de idades iguais

12 de fevereiro de 2019
19:15 - atualizado às 10:44
Presidente da República, Jair Bolsonaro, fala com a imprensa sobre rompimento de barragem da Vale em Brumadinho
Presidente da República, Jair Bolsonaro - Imagem: Isac Nóbrega/PR/Fotos Públicas

A informação não é oficial, mas circula em diferentes sites, como “Correio Braziliense” e “G1”, que o presidente Jair Bolsonaro teria decidido que as idades mínimas na reforma da Previdência serão de 57 anos para as mulheres e 62 para os homens, a contar do fim de seu mandato em 2022.

Essas idades já tinham sido abertamente sugeridas por Bolsonaro em entrevista no dia 3 de janeiro. A primeira reação, na época, foi negativa, mas depois uma segunda avaliação foi feita, considerando que o tempo de transição para idades maiores seria mais rápido do que o modelo proposto pelo governo Michel Temer.

Ainda de acordo com o “senhor fontes”, haverá um mecanismo de ajuste para cima das idades de forma automática e que quem ganha mais, pagará maiores contribuições sobre o recebimento da aposentadoria. Numa segunda rodada de notícias, veio a informação de que se pretende que homens e mulheres se aposentem aos 65 anos após o período de transição.

O discurso oficial continua sendo de que os detalhes ainda serão definidos por Bolsonaro, assim que ele tiver alta do hospital onde está internado desde o dia 27.

Nesta terça-feira, o secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, falou que o texto-base tinha sido fechado e que seria diferente da minuta que vazou na semana passada que, entre outros coisas, defendia idade mínima de 65 anos para homens e mulheres.

A paridade de idades foi defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Aliás, os dois atacaram o vazamento de informações da reforma, na semana passada, atribuindo essa atitude a pessoas que defendem interesses corporativos.

A primeira reação do mercado não foi muito positiva, pois o Ibovespa reduziu o ritmo de alta. Mas parece prevalecer no mercado o entendimento de alguma coisa está sendo feita e que a reforma, em linhas gerais, caminha na direção certa.

Reação mais consistente ao desenho da reforma deve acontecer mesmo com a oficialização do texto, que permitirá saber se a economia pretendida vai permitir a estabilização e posterior redução da relação dívida/PIB. Guedes falou em economia de R$ 1 trilhão em 10 anos, mas não deu mais detalhes. Aliás, "detalhes" é algo que Guedes não deu sobre nada nesses seus 43 dias como ministro.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Crypto News

As criptomoedas que estão longe de incomodar os reguladores

As stablecoins, criptomoedas com paridade com alguma moeda fiduciária ou ativo, hoje no mundo representam juntas um total de US$ 10 bilhões, o que ainda não merece atenção global para a criação de uma regulação

Contrariando recomendação

Para reduzir fila do INSS, TCU mantém contratação de militares e aposentados

Os técnicos do TCU farão, no entanto, um monitoramento da atuação dos servidores aposentados e dos militares no trabalho para acabar com a fila

Sem freio

Ladeira abaixo: dólar à vista cai pelo sexto dia seguido e chega a R$ 5,27

O dólar à vista voltou a ter um alívio intenso e, com isso, já acumula perdas de mais de 5% apenas nesta semana — com a baixa de hoje, a moeda chegou ao menor nível desde 17 de abril

Transferência de lucro do BC

Tesouro Nacional busca manter o colchão de liquidez em níveis confortáveis

A transferência do lucro do Banco Central para o Tesouro Nacional e a contratação de empréstimos com organismos internacionais ajudarão a manter o “colchão de liquidez” do órgão, uma reserva de recursos utilizada na gestão da dívida pública

Investigação do Supremo

Aras pede a Fachin para suspender inquérito das fake news

O pedido veio após apoiadores bolsonaristas terem celulares e computadores recolhidos em uma operação da Polícia Federal deflagrada nesta quarta

Inquérito sobre notícias falsas

Ministro do TCU suspende anúncios do BB em sites acusados de espalhar fake news

Pela decisão, ficam excluídos da suspensão os portais, sites, blogs e redes sociais vinculados a empresas concessionárias de serviços de radiodifusão

Dados do Tesouro

Fatia da dívida atrelada à Selic sobe e prefixada cai em abril

No primeiro mês totalmente impactado pela pandemia do coronavírus, a parcela de títulos atrelados à Selic na Dívida Pública Federal (DPF) subiu de 37,74% em março para 38,7% em abril

Proposta irá a voto amanhã

Maia defende prorrogar efeitos da MP 936, que reduz jornada de trabalho

A proposta está na pauta da Câmara de hoje, porém, Maia disse que é possível que ela seja votada só amanhã, porque o relatório, segundo ele, ainda não está pronto

Fluxo cambial

Saída de dólar supera entrada em US$ 10,264 bilhões no ano até dia 22 de maio, diz BC

Em igual período do ano passado, o resultado era positivo em US$ 3,787 bilhões. Os dados refletem, em grande parte, os efeitos da pandemia do novo coronavírus sobre o fluxo de moeda estrangeira

campanha teve um mês a mais

Campanha do BB com a ACRJ renegocia R$ 185 milhões em dívidas de empresários

Segundo o BB, este resultado representa um crescimento de 41% no valor total dos acordos, em comparação com os períodos anteriores

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements