Menu
2019-04-05T10:44:24-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Reformas

Idade mínima de 57 anos para mulheres e 62 para homens volta ao debate

Presidente Jair Bolsonaro já tinha aventado essa possibilidade em entrevista no começo do ano. Paulo Guedes e Rodrigo Maia são defensores de idades iguais

12 de fevereiro de 2019
19:15 - atualizado às 10:44
Presidente da República, Jair Bolsonaro, fala com a imprensa sobre rompimento de barragem da Vale em Brumadinho
Presidente da República, Jair Bolsonaro - Imagem: Isac Nóbrega/PR/Fotos Públicas

A informação não é oficial, mas circula em diferentes sites, como “Correio Braziliense” e “G1”, que o presidente Jair Bolsonaro teria decidido que as idades mínimas na reforma da Previdência serão de 57 anos para as mulheres e 62 para os homens, a contar do fim de seu mandato em 2022.

Essas idades já tinham sido abertamente sugeridas por Bolsonaro em entrevista no dia 3 de janeiro. A primeira reação, na época, foi negativa, mas depois uma segunda avaliação foi feita, considerando que o tempo de transição para idades maiores seria mais rápido do que o modelo proposto pelo governo Michel Temer.

Ainda de acordo com o “senhor fontes”, haverá um mecanismo de ajuste para cima das idades de forma automática e que quem ganha mais, pagará maiores contribuições sobre o recebimento da aposentadoria. Numa segunda rodada de notícias, veio a informação de que se pretende que homens e mulheres se aposentem aos 65 anos após o período de transição.

O discurso oficial continua sendo de que os detalhes ainda serão definidos por Bolsonaro, assim que ele tiver alta do hospital onde está internado desde o dia 27.

Nesta terça-feira, o secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, falou que o texto-base tinha sido fechado e que seria diferente da minuta que vazou na semana passada que, entre outros coisas, defendia idade mínima de 65 anos para homens e mulheres.

A paridade de idades foi defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Aliás, os dois atacaram o vazamento de informações da reforma, na semana passada, atribuindo essa atitude a pessoas que defendem interesses corporativos.

A primeira reação do mercado não foi muito positiva, pois o Ibovespa reduziu o ritmo de alta. Mas parece prevalecer no mercado o entendimento de alguma coisa está sendo feita e que a reforma, em linhas gerais, caminha na direção certa.

Reação mais consistente ao desenho da reforma deve acontecer mesmo com a oficialização do texto, que permitirá saber se a economia pretendida vai permitir a estabilização e posterior redução da relação dívida/PIB. Guedes falou em economia de R$ 1 trilhão em 10 anos, mas não deu mais detalhes. Aliás, "detalhes" é algo que Guedes não deu sobre nada nesses seus 43 dias como ministro.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Oferta inicial de ações

Kalunga protocola pedido de IPO na CVM; veja alguns números da varejista

Com foco na expansão e reforço de caixa, varejista é a terceira empresa a solicitar abertura de capital na B3 nesta semana

Corrida espacial

Elon Musk quer levar humanos para Marte até 2026

A empresa aeroespacial do bilionário, SpaceX, pretende criar uma cidade no planeta nos próximos 10 anos; ações da Tesla podem se beneficiar

Recuou!

Captação da poupança cai pela 1ª vez desde janeiro

Apesar do recuo, a poupança acumula entrada líquida de R$ 145,71 bilhões de janeiro a novembro – melhor desempenho para o período

Retrospectiva da semana

Coquetel anticrise: vacina e dinheiro na veia

Na onda das boas notícias, Ibovespa fechou a sexta-feira, 4, perto das máximas

Pandemia

Covid-19: Bolsonaro diz que governo não terá como socorrer os necessitados se ‘fechar tudo de novo’

Presidente avalia que o país não tem mais condições de se endividar

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies