Menu
2019-04-05T15:54:48-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Ficou no zero a zero

Deputados do Centrão dizem que desarticulação do governo na CCJ fez com que Guedes não ganhasse votos para a reforma

Avaliação é de que o ministro não conseguiu surpreender a ponto de angariar votos para a reforma da Previdência

4 de abril de 2019
16:49 - atualizado às 15:54
Paulo Guedes
Paulo Guedes - Imagem: Jefferson Rudy/Agência Senado

Parlamentares do chamado Centrão avaliaram que a atuação do ministro da Economia, Paulo Guedes, na sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, nesta quarta-feira, 3, se deu dentro do que era previamente esperado. A avaliação é de que o ministro não conseguiu surpreender a ponto de angariar votos para a reforma da Previdência, em grande parte pela desarticulação do governo.

"O governo não tinha base para blindar o ministro, que ficou sendo massacrado pela oposição. A gente já esperava que isso iria acontecer. Faltou articulação", afirmou o líder do DEM, Elmar Nascimento (BA), ao Broadcast/Estadão.

No mesmo sentido, o líder do PRB, Jhonatan de Jesus (RR), afirmou que a atuação do ministro não foi suficiente para convencer nem mesmo parlamentares da possível base aliada. "Nem ajudou a convencer e nem definiu voto, porque o que define voto é a negociação de uma proposta com o Congresso e não a imposição de um texto já pronto", disse.

Para o deputado, a ida de Guedes à comissão não demonstrou necessariamente uma disposição de diálogo com o Congresso. "Ele só veio porque, se não, teria sido convocado e seria pior para ele", disse.

Guedes ficou por mais de seis horas respondendo perguntas dos deputados na tarde de quarta. O ministro, porém, acabou participando de vários bate-bocas com a tropa de choque da oposição e não viu uma base aliada capaz de defendê-lo.

Com isso, o primeiro teste político do ministro acabou em briga e troca de palavrões, após provocações do deputado Zeca Dirceu (PT-PR), que acusou Guedes de ser "tigrão" com os aposentados, idosos de baixa renda e agricultores, mas de ser "tchutchuca" com os privilegiados do Brasil.

Durante a sessão, Guedes defendeu o modelo de capitalização para as aposentadorias. No caso do BPC e da aposentadoria rural, os pontos mais polêmicos da proposta, Guedes admitiu a retirada deles do texto.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

nos estados unidos

Remuneração de CEOs cresceu em meio à pandemia

Recuperação do mercado de ações impulsionou ganhos de executivos em 2020, que tiveram remuneração média de US$ 13,7 mi no período

Após estremecimentos

China quer parceria estratégia com Brasil, diz chanceler asiático

Chanceler chinês, Wang Yi, falou com o novo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos Alberto Franco França.

entrevista

Bittar reafirma que Guedes sabia de acordo para destinar verba a emendas

Apontado como um dos artífices da “maquiagem” no Orçamento, o senador Marcio Bittar diz que não chegou sozinho ao valor de R$ 29 bilhões em emendas

Apesar da pandemia

Saúde perde espaço em emendas parlamentares

Números mostram estratégia dos parlamentares para destinar recursos para obras e projetos de interesse eleitoral em seus redutos

Renovação do Conselho

Comitê interno da Petrobras desaprova dois nomes indicados ao Conselho

Indicados foram considerados inaptos pelo Comitê de Pessoas por terem atuado em empresas com relação direta com a estatal nos últimos três anos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies