Menu
2019-04-24T12:16:46-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Expectativa

Com teto e reforma da Previdência, Brasil voltará ao superávit primário em 2022, diz FMI

Segundo relatório, orçamento do País registrará um saldo positivo de 0,1% do PIB em 2022; no ano seguinte, o indicador deve avançar para 0,6% e chegar em 1,0% em 2024

11 de abril de 2019
7:01 - atualizado às 12:16
Previdência Social,Reforma da Previdência

Reforma da Previdência Social e o teto de gastos públicos ajudarão o Brasil a antecipar em um ano o retorno ao superávit primário. É o que indica o Fundo Monetário Internacional (FMI), segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo.

O superávit primário é o dinheiro que “sobra” nas contas do governo após pagar as despesas, exceto juros da dívida pública.

A entidade divulgou o relatório Monitor Fiscal, argumentando que, com esses dois projetos, o orçamento do País registrará um saldo positivo pequeno, de 0,1% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2022. No ano seguinte, o indicador deve avançar para 0,6% do PIB e chegar em 1,0% do PIB em 2024.

Em outubro, a entidade previa que o superávit primário somente seria alcançado em 2023, quando atingiria 0,5% do PIB.

Segundo a entidade, o ajuste fiscal fundamentado na reforma e no teto ajudará o País a reduzir a velocidade de expansão da dívida pública bruta e líquida entre este ano e 2023.

No caso do passivo bruto, o FMI passou a prever agora que subirá, como proporção do PIB, de 90,4% para 96,5% no período. O Monitor Fiscal de outubro indicava uma variação maior: de 90,5% a 98,3%.

A estimativa para o indicador em 2024 aparece apenas no documento de abril, indicando 97,6%. Esse número, ainda de acordo com a reportagem, seria uma marca desconfortável: está pouco abaixo do patamar psicológico de 100% do PIB, o que é encarado como ruim por muitos analistas internacionais.

O FMI diz que a desaceleração da dívida líquida é um pouco mais acentuada, mas não deixa claro quais variáveis levou em conta para chegar a tal conclusão. Para este ano, a projeção é atingir, também como parcela do PIB, 56,2% — em outubro esperava 59,9%.

Em 2020, a previsão é alcançar 58,7% — a estimativa de outubro era 63,4%. Essa dinâmica continua até 2023, quando a diferença da previsão atual para a realizada em outubro baixou 7,4 pontos porcentuais do PIB, pois agora é de 64,2%, mas antes era de 71,6%. Em 2024, o FMI prevê que a dívida líquida alcançará 65,7%.

Por outro lado, o ritmo de ascensão do déficit público nominal registrou uma leve redução de 2019 a 2023, sobretudo porque o FMI pondera que os gastos com juros devem continuar relativamente estáveis nos próximos anos. Isso porque o maior movimento de corte da Selic ocorreu entre 2016 e 2018.

Diz a entidade que "entre países não exportadores de petróleo, aqueles sem espaço fiscal, Argentina e Brasil, devem continuar a consolidar (as contas públicas) para colocar a dívida em firme tendência de queda".

*Com informações do jornal O Estado de S. Paulo

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Fenômeno da internet

O ataque dos memes: Conheça 5 ações de empresas “quebradas” que mexem com Wall Street

O caso mais famoso foi o da GameStop, mas outras empresas que não contam com fundamentos sólidos vêm passando por movimentos de valorização estimulados por fóruns de internet

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

FECHAMENTO DA SEMANA

Juros futuros são grandes protagonistas da semana e ainda prometem mais emoção; dólar recua 1% e bolsa fica no vermelho

Com Copom duro e a sinalização de uma possível elevação nas taxas de juros nos EUA, os principais contratos de DI dispararam. Na semana, o dólar recuou com o forte fluxo estrangeiro e a bolsa seguiu o ritmo das commodities (mais uma vez)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies