Menu
2020-11-30T16:01:35-03:00
Estadão Conteúdo
mundo em crise

Para FMI, zona do euro não deve retirar estímulos fiscais prematuramente

Kristalina Georgieva avalia que há incerteza no cenário econômico, com novas infecções de covid-19 atrapalhando a retomada

30 de novembro de 2020
16:00 - atualizado às 16:01
Kristalina Georgieva
Kristalina Georgieva - Imagem: Shutterstock

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, recomendou nesta segunda-feira, 30, em entrevista coletiva que governos da zona do euro não tirem estímulos fiscais "prematuramente".

Georgieva avalia que há incerteza no cenário econômico, com novas infecções de covid-19 atrapalhando a retomada. "Vimos o começo da recuperação no terceiro trimestre, mas ainda estamos abaixo do pré-crise", avaliou.

Sobre o Banco Central Europeu (BCE), indicou que apoia a intenção do conselho de "recalibrar" suas medidas de estímulo na próxima reunião, marcada para dezembro. "Se for necessário o BCE fazer mais, tem de fazê-lo", afirmou.

"Temos de reconhecer que os apoios durante a crise foram sem precedentes", indo "além do esperado" e conseguindo evitar um colapso bancário e nos empregos na zona do euro, avaliou.

Segundo ela, as medidas de apoio foram generalizadas, e o objetivo agora deve ser tornar as ajudas mais direcionadas. A líder do FMI reforçou que empréstimos de má qualidade devem ser evitados e os setores com mais capacidade de geração de empregos devem ter prioridade, ainda que seja complicado enfrentar pressão e lobby.

Para ela, o pior cenário é não haver recuperação em 2021, com vacinas não sendo entregues e havendo uma terceira onda de covid-19. O FMI, segundo Georgieva, trabalha com a expectativa de disponibilidade de vacinas na zona do euro no meio de 2021 e no mundo todo até o final de 2022.

As condições atuais são estimulantes para reformas, indicou Georgieva, com especial enfoque em uma transição verde. Espanha e Itália estão tendo problemas com as dívidas, mas o momento de juros baixos pode ser utilizado para tornar a economia "mais competitiva e em trajetória de maior crescimento".

Para Georgieva, o tamanho dos fundos atuais para recuperação é adequado, a "questão é a qualidade dos gastos", avaliou. Sobre os investimentos do programa Nova Geração da União Europeia, "esperamos que ele estimule reformas", disse Georgieva, mais uma vez enfatizando uma economia verde.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Negócio fechado

Petrobras assina venda de sua fatia de 50% no campo terrestre de Rabo Branco

O campo teve produção média em 2020 de 131 barris de petróleo por dia (bpd).

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Fundo Verde e a tragédia grega do Brasil

Ao despertar a fúria de Zeus por ter entregue o fogo do Olimpo aos mortais, Prometeu foi acorrentado e punido: durante o dia, uma águia devorava seu fígado; durante a noite, o órgão se regenerava — um ciclo de tormento eterno. Tragédias gregas, infelizmente, costumam ser úteis ao falarmos sobre o Brasil. Reformas econômicas demandam […]

FECHAMENTO

Commodities amenizam a queda da bolsa, mas exterior negativo e nova crise em Brasília falam mais alto

As commodities mais uma vez tentaram salvar a bolsa brasileira de um dia no vermelho, mas o exterior negativo e a cautela em Brasília falaram mais alto

Presidente otimista

EUA devem ter retomada econômica mais rápida em quase 40 anos, diz Biden

Segundo o democrata, o foco de seu governo se manterá em criar empregos e combater a pandemia de covid-19

Gestão na crise

Brasil vive uma espécie trágica de dia da marmota, diz Verde Asset

Navegar os mercados locais vem sendo uma odisseia extremamente complexa e nada indica que vai melhorar, diz a gestora de Luis Stuhlberger

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies