Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-07-17T15:10:59-03:00
Estadão Conteúdo
diagnóstico

EUA devem sofrer contração de 6,6% e necessitarão de mais medidas, diz FMI

Fundo diz que a economia americana deve crescer 3,9% em 2021; 3,3% em 2022; 2,3% em 2023

17 de julho de 2020
14:45 - atualizado às 15:10
Estados Unidos
Imagem: Shutterstock

O Fundo Monetário Internacional (FMI) projeta que os Estados Unidos tenham sofrido contração de 37% no segundo trimestre, em números anualizados, e que em todo o ano de 2020 a economia do país encolha 6,6%. Nesse quadro, o Fundo recomenda que os americanos adotem mais medidas fiscais, para apoiar a demanda e ajudar aqueles em mais dificuldade, diante da pandemia da covid-19.

As declarações estão no comunicado de conclusão da visita oficial ("missão") do FMI ao país, no âmbito do Artigo IV dos acordos do Fundo. Esse comunicado traz as conclusões preliminares da avaliação.

O FMI destaca o choque inesperado da covid-19 sobre a economia americana, que vivia a expansão mais prolongada de sua história, e também que as famílias mais pobres enfrentam "perspectivas particularmente precárias".

Para o FMI, os formuladores da política agiram rápido nos EUA, com medidas de apoio monetário e fiscal. Ainda assim, isso não será suficiente para evitar a contração neste ano, aponta o Fundo, que destaca o aumento da pobreza e também a dimensão racial nesse problema no país. Em suas projeções, o FMI diz que não incorporou possíveis acontecimentos positivos, como mais medidas de estímulo fiscal ou monetário.

De qualquer modo, o FMI sustenta que serão necessárias mais medidas fiscais nos próximos meses, a fim de apoiar a demanda, aumentar o nível de preparação dos serviços de saúde e o apoio aos mais pobres.

O Fundo diz que a economia americana deve crescer 3,9% em 2021; 3,3% em 2022; 2,3% em 2023; 1,9% em 2024; e 1,8% em 2025. Já a taxa de desemprego deve chegar ao fim deste ano em 9,7%, recuando a 7,4% em 2021 e a 5,7% em 2022, nas projeções do Fundo.

Fitch sobre coronavírus

A Fitch Ratings diz que o avanço do novo coronavírus nos Estados Unidos pode pesar no processo de recuperação econômica do país e nas projeções da agência de classificação de risco, que hoje estima contração de 5,6% do Produto Interno Bruto (PIB) americano em 2020.

"Uma queda acentuada e sustentada da mobilidade nos EUA prejudicaria muito o setor de lazer e hospitalidade", destaca a Fitch, em relatório publicado nesta sexta-feira, 17.

A agência de classificação de risco destacou que a nova onda de covid-19 tem levado muitos estados americanos a retomarem bloqueios, ameaçando a recuperação econômica ainda incipiente.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

em busca de recursos

AES Brasil (AESB3) aprova oferta pública e pode captar até R$ 1,8 bilhão

De acordo com a AES Brasil, o objetivo da oferta é acelerar seu plano de crescimento, com foco na diversificação do portfólio por meio de fontes complementares à hídrica, além de potencializar a criação de valor para os acionistas

o melhor do seu dinheiro

Mercados na semana: mais imposto, indefinição sobre dívidas e desaceleração na China

O Ibovespa acumulou uma perda de 2,5% na semana que termina e o dólar à vista avançou 0,28%, para R$ 5,28.  Foram três os principais fatores que impactaram os mercados: o anúncio de aumento de impostos, a indefinição sobre os precatórios — dívidas do governo com sentença judicial definitiva — e uma possível desaceleração da […]

Podcast Mesa Pra Quatro

De corretor de investimentos a árbitro e comentarista de futebol: conheça a trajetória de Arnaldo Cézar Coelho

O ex-árbitro e ex-comentarista de futebol é o convidado do podcast Mesa Pra Quatro. Ele conta como sua mãe influenciou a investir em imóveis e fala sobre a sua trajetória no mercado financeiro, um lado que poucos conhecem – confira agora

nome limpo na praça

Boa Vista (BOAS3): Itaú BBA inicia cobertura com ‘compra’ e potencial de alta de 27%

Preço-alvo para 2022 foi estabelecido em R$ 15,50, apoiado na tese de crescimento da companhia e do mercado de serviço de informações de crédito

de olho na inovação

Bitcoin é ineficiente como moeda e bom apenas para especulação, diz ‘Papa’ do valuation

Damodaran disse que a importância que tem sido dada ao bitcoin é desproporcional em relação ao seu papel na economia e minimizou a adoção da criptomoeda por El Salvador

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies