Menu
2020-07-17T15:10:59-03:00
Estadão Conteúdo
diagnóstico

EUA devem sofrer contração de 6,6% e necessitarão de mais medidas, diz FMI

Fundo diz que a economia americana deve crescer 3,9% em 2021; 3,3% em 2022; 2,3% em 2023

17 de julho de 2020
14:45 - atualizado às 15:10
Estados Unidos
Imagem: Shutterstock

O Fundo Monetário Internacional (FMI) projeta que os Estados Unidos tenham sofrido contração de 37% no segundo trimestre, em números anualizados, e que em todo o ano de 2020 a economia do país encolha 6,6%. Nesse quadro, o Fundo recomenda que os americanos adotem mais medidas fiscais, para apoiar a demanda e ajudar aqueles em mais dificuldade, diante da pandemia da covid-19.

As declarações estão no comunicado de conclusão da visita oficial ("missão") do FMI ao país, no âmbito do Artigo IV dos acordos do Fundo. Esse comunicado traz as conclusões preliminares da avaliação.

O FMI destaca o choque inesperado da covid-19 sobre a economia americana, que vivia a expansão mais prolongada de sua história, e também que as famílias mais pobres enfrentam "perspectivas particularmente precárias".

Para o FMI, os formuladores da política agiram rápido nos EUA, com medidas de apoio monetário e fiscal. Ainda assim, isso não será suficiente para evitar a contração neste ano, aponta o Fundo, que destaca o aumento da pobreza e também a dimensão racial nesse problema no país. Em suas projeções, o FMI diz que não incorporou possíveis acontecimentos positivos, como mais medidas de estímulo fiscal ou monetário.

De qualquer modo, o FMI sustenta que serão necessárias mais medidas fiscais nos próximos meses, a fim de apoiar a demanda, aumentar o nível de preparação dos serviços de saúde e o apoio aos mais pobres.

O Fundo diz que a economia americana deve crescer 3,9% em 2021; 3,3% em 2022; 2,3% em 2023; 1,9% em 2024; e 1,8% em 2025. Já a taxa de desemprego deve chegar ao fim deste ano em 9,7%, recuando a 7,4% em 2021 e a 5,7% em 2022, nas projeções do Fundo.

Fitch sobre coronavírus

A Fitch Ratings diz que o avanço do novo coronavírus nos Estados Unidos pode pesar no processo de recuperação econômica do país e nas projeções da agência de classificação de risco, que hoje estima contração de 5,6% do Produto Interno Bruto (PIB) americano em 2020.

"Uma queda acentuada e sustentada da mobilidade nos EUA prejudicaria muito o setor de lazer e hospitalidade", destaca a Fitch, em relatório publicado nesta sexta-feira, 17.

A agência de classificação de risco destacou que a nova onda de covid-19 tem levado muitos estados americanos a retomarem bloqueios, ameaçando a recuperação econômica ainda incipiente.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

via de mão dupla

PEC do auxílio tem de ter contrapartida, diz Funchal

“Se essa PEC não andar com as contrapartidas, o vulnerável que vai ter o benefício hoje será o desempregado dos próximos anos”, diz Funchal.

Mudanças a caminho

Se PEC for aprovada, 14 Estados já podem congelar salário de servidor

Pela proposta, as medidas de ajuste seriam acionadas sempre que as despesas obrigatórias primárias excedessem 95% das receitas correntes.

Décimo Andar

[Vídeo] O que aconteceu (e acontecerá) com os fundos imobiliários?

Tijolos, argamassa, tinta e cimento. É nisso que investem pessoas que tem fundos imobiliários? Não exatamente. Os empreendimentos como shoppings, escritórios e lojas é que geram valor a esses materiais. E com a pandemia de covid-19, diversos desses estabelecimentos acabaram entregando as chaves, o que provocou um certo desconforto no setor imobiliário. Acompanha o comentário […]

Crise

Vendas do comércio encerram 2020 com queda histórica de 12,2%, diz Serasa

Essa é a maior retração de toda a série, iniciada em 2001.

o que está acontecendo?

5 pontos para entender o resultado e a reação ao PIB do 4º trimestre

Atividade fecha com pior queda da história em 2020, mas vem acima do esperado, só que bolsa está caindo; confira os motivos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies