Menu
2020-11-13T18:41:17-03:00
Estadão Conteúdo
Possível respiro

FMI defende alívio em dívida e novos financiamentos a países em dificuldade

Kristalina Georgieva também enfatizou a importância do setor privado participar do movimento e cobrou pressa para se avançar nesse ponto.

13 de novembro de 2020
18:41
Fundo Monetário Internacional (FMI)
Imagem: Shutterstock

A Diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, ressaltou nesta sexta-feira que a crise atual "não acabou", e defendeu mais apoio a países em dificuldade, com alívio da dívida e novos financiamentos.

Leia também:

A declaração foi dada durante uma reunião de ministros das Finanças e de presidentes de bancos centrais do G-20, na qual foi discutida uma abordagem comum para o tratamento da dívida das nações em mais dificuldade, no contexto da pandemia da covid-19.

Georgieva disse que a Iniciativa de Suspensão do Serviço da Dívida (DSSI, na sigla em inglês) foi importante para dar algum fôlego a países em dificuldade, mas comentou que há países com níveis de dívida ainda "não sustentáveis".

Com isso, defendeu que o tempo de suspensão seja usado para permitir que eles retornem a níveis sustentáveis, em uma abordagem "padronizada, mas com resolução caso a caso".

Ela também enfatizou a importância do setor privado participar do movimento e cobrou pressa para se avançar nesse ponto.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

investimento

WEG conclui compra de fábrica de transformadores em Betim (MG)

Aquisição visa atender crescente demanda por investimentos em infraestrutura de transmissão e distribuição de energia, segundo diretor

conta alta

ONS confirma situação crítica de reservatórios das hidrelétricas

Aneel retomou o sistema de bandeiras tarifárias, com acionamento da bandeira vermelha patamar dois, o mais caro

Entrevista exclusiva

Os planos do Banco Bmg para crescer no digital e recuperar o preço das ações na B3

Ruídos envolvendo o Bmg ainda afetam as ações do banco um ano após o IPO na B3. Mas a CEO da instituição enxerga as cotações atuais como uma oportunidade e fala sobre avanço do banco digital

a hora e a vez do rali do câmbio

Dólar cai forte e fecha no menor nível desde julho; confira 5 razões para a queda da moeda

A moeda americana terminou novembro em queda firme e iniciou dezembro da mesma forma, tombando 2%. O que explica esse movimento? O Seu Dinheiro explica

dados do ministério da saúde

Covid-19: Brasil tem 173,8 mil mortes e 6,38 milhões de casos

Em 24 horas, foram registrados 50.909 diagnósticos positivos para a doença

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies