Menu
2019-11-21T11:55:49-03:00
Estadão Conteúdo
sobe

Monitor do PIB aponta alta 0,3% em setembro ante agosto, diz FGV

Monitor do PIB antecipa a tendência do principal índice da economia a partir das mesmas fontes de dados e metodologia empregadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo cálculo oficial das Contas Nacionais

21 de novembro de 2019
11:55
Touros e Ursos CAPA – PIB
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,3% na passagem de agosto para setembro, segundo o Monitor do PIB, apurado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV). No terceiro trimestre, a atividade teve ligeira alta de 0,1% em relação ao segundo trimestre do ano. Na comparação com setembro do ano passado, a economia cresceu 2,1% em setembro deste ano.

Em relação ao terceiro trimestre de 2018, houve expansão de 0,9% no terceiro trimestre de 2019.

Sob a ótica da demanda, o consumo das famílias cresceu 1,9% no terceiro trimestre em comparação ao mesmo trimestre de 2018. A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF, medida dos investimentos no PIB) aumentou 2,5%. As exportações recuaram 4,7%, enquanto as importações avançaram 2,1%.

"O crescimento da economia no terceiro trimestre, pelo lado da oferta, é resultado do bom desempenho registrado na agropecuária, indústria (exceto transformação) e serviços (exceto transportes e intermediação financeira). Pelo lado da demanda destaca-se a formação bruta de capital fixo com todos seus componentes positivos inclusive a construção. Enquanto a indústria de transformação estagnou no terceiro trimestre, a exportação apresentou a terceira queda consecutiva. O desempenho da exportação é explicado, de forma geral, pela desaceleração da economia mundial e, de maneira específica pela retração da economia argentina, importante parceira comercial do Brasil", justificou Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV, em nota oficial.

O Monitor do PIB antecipa a tendência do principal índice da economia a partir das mesmas fontes de dados e metodologia empregadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo cálculo oficial das Contas Nacionais.

Os resultados do terceiro trimestre são calculados de maneira diferente das demais divulgações do indicador, devido à divulgação, em novembro, do Sistema de Contas Nacionais de 2017, com o desempenho definitivo do PIB daquele ano. A próxima divulgação do PIB trimestral pelo IBGE, em 3 de dezembro, incorporará o resultado anual atualizado recém-divulgados do PIB de 2017, o que deve motivar revisões no crescimento de 2018 e nos resultados trimestrais a partir de então, lembrou a FGV.

"Na busca de antecipar essas alterações, a despeito das limitações deste exercício, o Monitor do PIB-FGV estima que a taxa de crescimento do PIB de 2018 será revista para cima (de 1,1% para 1,4%), e estima também novos resultados trimestrais para 2018 e 2019", observou o Ibre/FGV, em nota.

O Monitor do PIB revisou para cima o crescimento da economia em todos os trimestres nos últimos dois anos e meio, a partir da incorporação do resultado definitivo de 2017. Na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, a taxa de crescimento do PIB passou a 0,7% no primeiro trimestre deste ano (ante uma alta divulgada de 0,5%) e 1,3% no segundo trimestre (ante aumento divulgado de 1,0%).

Em termos monetários, o PIB alcançou aproximadamente R$ 5,395 trilhões, em valores correntes, no acumulado de janeiro a setembro de 2019.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

REVIRAVOLTA

Ibovespa recua 3% e dólar vai a R$ 5,78 após STF anular condenações de Lula na Lava Jato

Diante de um cenário já negativo, a decisão aumenta o nível de incertezas domésticas, segundo analistas

Ajuda na crise

Guedes revela o valor do novo auxílio emergencial e diz que governo pode gastar mais se necessário

Os valores da nova rodada de auxílio emergencial irão de R$ 175 a R$ 375, sendo R$ 250 em média, de acordo com o ministro

apetite chinês

O ano do boi será o ano dos frigoríficos, e o Credit Suisse aponta melhor ação para aproveitar o momento

Peste suína africana nos rebanhos de suínos chineses e demanda por alimentos devem resultar em importação recorde de carne pela China

prepara o bolso

Mais um? Petrobras anuncia novo aumento nos preços do diesel e da gasolina

Diesel vai subir R$ 0,15 por litro e a gasolina será de R$ 0,23 por litro a partir de amanhã nas refinarias da empresa, diz Abicom

Interrompendo o casamento

Movida reforça pedido do Cade para barrar união entre Unidas e Localiza

De acordo com a companhia, isso geraria uma concorrência desleal no setor, com a nova empresa tendo 65% do mercado brasileiro de aluguel e 29% do mercado de frotas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies