Menu
2019-10-07T10:26:33-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
revisando as expectativas

Mercado baixa estimativa para a inflação em 2019 para 3,42%

Boletim Focus divulgado na semana passada estimava que o IPCA – o índice oficial de preços – em 3,43%; expectativa para Selic, PIB e Câmbio foram mantidas as mesmas nesta semana

7 de outubro de 2019
8:56 - atualizado às 10:26
inflação
Imagem: Shutterstock

O boletim Focus divulgado nesta segunda-feira, 7, estima que o IPCA - o índice oficial de preços - para este ano fique em 3,42%, ante 3,43% esperado na semana passada. A projeção para o índice em 2020 passou de 3,79% para 3,78%.

O relatório Focus trouxe ainda a projeção para o IPCA em 2021, que seguiu em 3,75%. No caso de 2022, a expectativa permaneceu em 3,50%. Há quatro semanas, essas projeções eram de 3,75% e 3,50%, respectivamente.

Já a previsão do Focus para a cotação do dólar ao fim deste ano permaneceu em R$ 4,00. Para 2020, permaneceu passou de R$ 3,91 para R$ 3,95.

Ainda segundo os economistas do mercado financeiro no Boletim Focus, a Selic deve ficar em 4,75% no final de 2019 - mesma estimativa da semana passada. Para 2020 e os dois anos seguinte as estimativas foram mantidas em 5%, 6,5% e 7%.

Crescimento da economia

A expectativa de crescimento da economia em 2019 seguiu em 0,87%, conforme o Relatório de Mercado Focus. Há quatro semanas, a estimativa de alta era a mesma.

Para 2020, o mercado financeiro manteve a previsão de alta do Produto Interno Bruto (PIB), em 2,00%. Quatro semanas atrás, estava em 2,07%.

No fim de agosto, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o PIB do segundo trimestre de 2019 subiu 0,4% em relação ao primeiro trimestre.

Em setembro, o BC atualizou, por meio do Relatório Trimestral de Inflação (RTI), sua projeção para o PIB em 2019, de alta de 0,8% para elevação de 0,9%.

No Focus agora divulgado, a projeção para a produção industrial de 2019 passou de baixa de 0,54% para retração de 0,65%. Há um mês, estava em baixa de 0,29%. No caso de 2020, a estimativa de crescimento da produção industrial foi de 2,10% para 2,29%, ante 2,75% de quatro semanas antes.

A pesquisa Focus mostrou ainda que a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2019 foi de 56,30% para 56,10%. Há um mês, estava em 56,57%. Para 2020, a expectativa passou de 58,15% para 58,30%, ante 58,55% de um mês atrás.

Resultado primário

O Focus trouxe também manutenção na projeção para o resultado primário do governo em 2019. A relação entre o déficit primário e o PIB este ano seguiu em 1,40%. No caso de 2020, passou de 1,13% para 1,16%. Há um mês, os porcentuais estavam em 1,37% e 1,00%, respectivamente.

Já a relação entre déficit nominal e PIB em 2019 foi de 6,40% para 6,30%, conforme as projeções dos economistas do mercado financeiro. Para 2020, permaneceu em 5,90%. Há quatro semanas, estas relações estavam em 6,30% e 5,99%, nesta ordem.

O resultado primário reflete o saldo entre receitas e despesas do governo, antes do pagamento dos juros da dívida pública. Já o resultado nominal reflete o saldo já após as despesas com juros.

Balança comercial

Os economistas do mercado financeiro alteraram a projeção para a balança comercial em 2019 na pesquisa Focus, de superávit comercial de US$ 51,71 bilhões para US$ 50,55 bilhões. Um mês atrás, a previsão era de US$ 52,00 bilhões. Para 2020, a estimativa de superávit passou de US$ 48,20 bilhões para US$ 47,50 bilhões. Há um mês, estava em US$ 49,00 bilhões.

Na estimativa mais recente do BC, o saldo positivo de 2019 ficara em US$ 43,0 bilhões. Esta projeção foi atualizada no Relatório Trimestral de Inflação de setembro.

No caso da conta corrente, a previsão contida no Focus para 2019 foi de déficit de US$ 26,00 bilhões para US$ 26,50 bilhões, ante US$ 22,00 bilhões de um mês antes. Para 2020, a projeção de rombo seguiu em US$ 33,00 bilhões. Um mês atrás, o rombo projetado era de US$ 31,33 bilhões.

O BC projeta déficit em conta de US$ 36,3 bilhões em 2019.

Para os analistas consultados semanalmente pelo BC, o ingresso de Investimento Direto no País (IDP) será mais do que suficiente para cobrir o resultado deficitário nos próximos anos. A mediana das previsões para o IDP em 2019 foi de US$ 83,40 bilhões para US$ 83,00 bilhões. Há um mês, estava em US$ 85,00 bilhões. Para 2020, a expectativa foi de US$ 83,20 bilhões para US$ 84,00 bilhões, ante US$ 84,68 bilhões de um mês antes.

O BC projeta IDP de US$ 75,0 bilhões em 2019.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Após vacinação e apoio fiscal

Economia dos EUA está “em ponto de inflexão” positivo, diz Powell, do Fed

Economia norte-americana está prestes a começar a crescer muito mais rapidamente, afirmou presidente do banco central norte-americano em entrevista

nos estados unidos

Remuneração de CEOs cresceu em meio à pandemia

Recuperação do mercado de ações impulsionou ganhos de executivos em 2020, que tiveram remuneração média de US$ 13,7 mi no período

Após estremecimentos

China quer parceria estratégia com Brasil, diz chanceler asiático

Chanceler chinês, Wang Yi, falou com o novo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos Alberto Franco França.

entrevista

Bittar reafirma que Guedes sabia de acordo para destinar verba a emendas

Apontado como um dos artífices da “maquiagem” no Orçamento, o senador Marcio Bittar diz que não chegou sozinho ao valor de R$ 29 bilhões em emendas

Apesar da pandemia

Saúde perde espaço em emendas parlamentares

Números mostram estratégia dos parlamentares para destinar recursos para obras e projetos de interesse eleitoral em seus redutos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies