Menu
2019-09-10T15:04:43-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Em 2017 a posição era pior

Até em ranking de promessa de crescimento, Brasil fica devendo

Estudo elaborado pela KPMG mostra que seguimos mal preparados para crescer, ocupando a 76ª posição entre 180 países, quando consideradas estabilidade econômica, abertura e qualidade da educação

10 de setembro de 2019
15:04
brasil-crise
Crise no Brasil - Imagem: Shutterstock

A consultoria KPMG apresentou nova edição do seu estudo "Indicadores de Promessa de Crescimento" (Growth Promise Indicators, em inglês) e o recado é que o Brasil continua mal preparado para crescer.

Levando em consideração indicadores como como estabilidade macroeconômica, infraestrutura e capital humano, o Brasil está na 76ª posição entre os 180 países analisados. O resultado não anima, mas estamos melhores que em 2017, quando estávamos na 91ª posição. O estudo é feito desde 1997.

"Este conteúdo oferece uma visão prática sobre o desempenho dos países em diversos pilares vitais. Trata-se de um guia de referência para a tomada de decisões estratégicas e a identificação de iniciativas e operações importantes", afirma Mauricio Endo, sócio e líder de Governo da KPMG no Brasil e na América do Sul, em nota.

A média final considera pontuações em cada um dos seguintes critérios: estabilidade macroeconômica (3,52), abertura (0,50), qualidade da infraestrutura (5,40), qualidade das instituições (4,45) e desenvolvimento humano (6,15).

Com esses desempenhos em cada quesito, a KPMG atribui uma nota final para o Brasil, que ficou com 4,83. Para dar um parâmetro, essa nota é quase a metade da primeira colocada, a Suíça, com 8,63, na sequencia está Holanda (8,5) e Singapura (8,4).

Assim, o Brasil fica atrás da China (5,71), Rússia (5,70) e África do Sul (5,19), mas acima da Índia (4,40).

Outros países que estão à frente do Brasil são República Checa (28ª colocação), Chile (32ª colocação), Uruguai (42ª), Panamá (60ª colocação) e Namíbia (74ª colocação).

A integra do estudo e sua metodologia completa podem ser acessadas aqui. Mas olhando os quesitos estudados, a nossa colocação não surpreende. Por outro lado, a agenda de reformas do governo mira, justamente, algumas dessas deficiências. Resultados podem aparecer na edição de 2020.

Dentro o pilar de estabilidade macroeconômica, são considerados a dívida do governo e o déficit. No lado da abertura da economia, são considerados os investimentos externos e corrente de comércio. Na infraestrutura, há uma avaliação sobre a qualidade dos diferentes meios de transporte, cobertura de 3G, e oferta de crédito ao setor.

No capital humano são consideradas a participação da população na educação primária, secundária e terciária, notas no exame PISA e expectativa de vida (uma curiosidade, os EUA foram o único país a perder nota no quesito expectativa de vida nos últimos cinco anos, resultado da onda de mortes relacionadas ao abuso de opioides.)

Para medir a força das instituições, são avaliadas a qualidade da regulação, independência do Judiciário, transparência das decisões de governo, corrupção e direto de propriedade e patentes.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

escolha da CEO

Criptomeme bilionário, $moda$ de Hering e Arezzo, aposta contra o BC… veja o que bombou na semana no Seu Dinheiro

Você apostaria contra o Banco Central do Brasil?  Não falo de apostas mequetrefes com a turma do escritório, do tipo “quem perder paga uma rodada”.  Estou falando de colocar o seu patrimônio em investimentos que podem dar retornos altos se o BC estiver errado. Pois é justamente o que defende Rogério Xavier, da SPX Capital, um […]

empresa de porto alegre

Startup Zenvia entra com pedido de IPO na Nasdaq

Empresa quer levantar até US$ 100 milhões; oferta terá seus recursos destinados para pagar o montante utilizado na aquisição da startup D1, entre outros

LDO

LDO de 2022 prevê ‘vacinas’ contra manobras do Orçamento

Proposta exclui a possibilidade de indicação das emendas de relator e proíbe o Congresso de subestimar despesas obrigatórias sem aval do Executivo

negociações no varejo

Negociação de venda da Hering à Arezzo envolve questões de negócio e familiares

Alta cúpula da Arezzo passou os últimos dias em reuniões e deverá formar um grupo de trabalho para tratar sobre a proposta para a Hering, afirmou uma fonte

fique de olho

Itaú anuncia pagamento de juros sobre capital próprio

Serão R$ 0,05648 por ação, com retenção de 15% de imposto de renda na fonte; pagamento é uma antecipação aos aos dividendos e JPC do resultado de 2021

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies