Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-10-18T09:31:39-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
de olho no desempenho

Produção da Petrobras cresce 16,9% no terceiro trimestre

Segundo especialista, resultado abre caminho para que outras empresas se interessem pelo investimento no Brasil. 

18 de outubro de 2019
7:43 - atualizado às 9:31
Petrobras
Petrobras - Imagem: Shutterstock

A Petrobras atingiu produção de óleo e LGN de 2,264 milhões de barris por dia (bpd) no terceiro trimestre de 2019, o que representa alta de 16,9% na comparação com os 1,937 mi de bpd em igual período do ano anterior. Na comparação trimestral, a produção avançou 10,3%. Os números foram divulgados ela estatal, em relatório de produção.

Segundo Edmar Almeida, professor do Grupo de Economia da Energia (GEE) da UFRJ, ao ampliar a produção de petróleo e gás natural no terceiro trimestre deste ano, a Petrobras abriu caminho para que outras empresas se interessem pelo investimento no Brasil.

"A Petrobras está atravessando um momento muito positivo com relação ao seu desempenho operacional. Isto é muito bom para todo o setor de óleo e gás do País porque aumenta a confiança no potencial de crescimento do setor", disse.

Almeida destaca ainda que o "bom desempenho operacional é uma dimensão fundamental para a recuperação da empresa", que entrou em crise em 2014, após o preço da commodity despencar no mercado internacional e ainda ser alvo da Operação Lava Jato, que investigou escândalos de corrupção envolvendo a empresa.

O bom desempenho operacional da companhia petroleira deve ser revertido em resultado financeiro no terceiro trimestre, acrescenta o professor da UFRJ.

Nesta quinta-feira, as ações ordinárias da estatal fecharam o dia cotadas a R$ 30,20. No ano a alta dos papeis é da ordem de 19%. Veja como deve ser o dia dos investidores na Bula do Mercado.

Olho nos números

A produção total (Brasil e exterior) de óleo, LGN e gás natural foi de 2,878 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed) no trimestre, aumento de 9,3% em relação ao trimestre anterior e 14,6% na comparação anual. Segundo a empresa, "o avanço refletiu sobretudo o ramp-up dos 7 novos sistemas que entraram em produção em 2018 e 2019 nos campos de Búzios (P-74, P-75, P-76 e P-77), Lula (P-67 e P-69) e Tartaruga Verde (FPSO Campos dos Goytacazes)".

A produção de óleo do pré-sal no trimestre foi de 1,367 mi de boed, aumento de 17,0% na comparação trimestral, reflexo do ramp-up de seis plataformas.

"Destaque para as unidades do campo de Búzios, que elevaram sua produção em 64% no terceiro trimestre de 2019, com a entrada de quatro poços produtores. No terceiro trimestre deste ano, a produção de óleo no pré-sal teve um aumento de 40,2%, em relação ao mesmo período do ano passado, refletindo, principalmente, a entrada de novos poços produtores nos campos de Lula e Búzios e em linha com nossa estratégia de concentrar esforços em ativos que geram maior retorno aos nossos acionistas", destacou a empresa.

Recorde mensal

Com o auxílio do ramp-up de novas plataformas, a Petrobras conseguiu bater novos recordes de produção diários, deixando para trás as dificuldades enfrentadas no trimestre anterior em algumas áreas de produção e reforçando sua perspectiva para 2019.

Segundo a estatal, sua produção atingiu novo recorde mensal de 3 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), além de um novo recorde diário de 3,1 milhões de boed alcançados no mês de agosto. "Já a produção operada atingiu o recorde mensal de 3,7 milhões de boed no mesmo mês", apontou.

Segundo a empresa, com o resultado, ela mantém sua trajetória "para o cumprimento da meta de produção anual, em 2,7 milhões de boed, com variação de 2,5% para mais ou para menos".

A empresa destacou o desempenho de FPSOs como a de Campos dos Goytacazes em Tartaruga Verde, no pós-sal, em que conseguiram alcançar 555 mil de bpd, aumento de 48% em relação ao trimestre imediatamente anterior, com a entrada em operação de nove poços produtores.

"Vale ainda destacar que as plataformas P-69 e P-76, nos campos de Lula e Búzios, atingiram a capacidade de produção de 150 Mbpd com ramp-up de 10,3 e 7,7 meses (tempo recorde no pré-sal), respectivamente", apontou a empresa.

No segundo trimestre deste ano, a estatal se viu obrigada a cortar em 3,6% suas projeções de produção para o ano, sobretudo por causa de dificuldades enfrentadas no mês de junho com a estabilização das plantas de gás dos novos sistemas de produção de Búzios, devido a sua maior complexidade, o que elevou o tempo de comissionamento das plantas de gás. As dificuldades, entretanto, foram contornadas desde então, colaborando com o avanço nos números.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Ele está de volta?

Setores fazem pressão por volta do horário de verão

Criado com a finalidade de aproveitar o maior período de luz solar durante a época mais quente do ano, o horário de verão foi instituído no Brasil em 1931 pelo então presidente Getúlio Vargas e adotado em caráter permanente a partir de 2008.

MANOBRAS

Juiz põe no banco dos réus ex-gestores do banco Máxima por gestão fraudulenta

O Banco Máxima S.A. informa que seus atuais acionistas assumiram a administração do banco em 2018, após aprovação pelo Banco Central, e que os integrantes da antiga gestão não têm mais qualquer relação com a instituição financeira

Foguete? Tô fora!

Warren Buffet: o bilionário que não quer conhecer as estrelas

Enquanto Bezos, Musk e Branson protagonizam a nova corrida especial, o Oráculo de Omaha prefere apenas observar

O melhor do Seu Dinheiro

O seu momento Sherlock Holmes

Na adolescência, ouvia que quem buscasse por romance policial brasileiro deveria ler algo do Rubem Fonseca. Era uma vontade minha achar uma história desse gênero que fosse mais próxima da minha realidade — e o filtro nacionalidade me pareceu o mais adequado.  A ideia surgiu depois de ter conhecido parte das histórias criadas por Agatha […]

Mesa Quadrada

Comentarista da ESPN Paulo Antunes fala da sua paixão por futebol americano e experiência no mercado financeiro

Ele conta sobre suas aventuras na cobertura de futebol americano e basquete e ainda revela seus investimentos na Bolsa em novo episódio do podcast Mesa Quadrada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies