Menu
2019-10-08T14:40:49-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
planos da estatal

Petrobras quer usar recursos de refinarias para investir no pré-sal

Informação foi passada por presidente da companhia, que participou de audiência pública na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados

8 de outubro de 2019
13:47 - atualizado às 14:40
Roberto Castello Branco, presidente da Petrobras
Imagem: Will Shutter/Câmara dos Deputados

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, afirmou nesta terça-feira, 8, que a companhia pretende usar os recursos levantados com a venda de oito refinarias para acelerar os investimentos na exploração do pré-sal.

Para ele, refinaria não é um negócio muito bom porque exige um custo baixo e o "custo de pessoal da Petrobras é alto". "As maiores petroleiras do mundo inclusive venderam 30% da sua capacidade de refino nos últimos anos", afirmou.

O presidente da companhia falou em audiência pública na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados.
Castello Branco alegou ainda que, apesar da venda de ativos no setor, não sairá totalmente do negócio de refino.

"Contemplamos, por exemplo, o crescimento no setor de petroquímica no futuro, utilizando as reservas de gás do pré-sal", completou o presidente da Petrobras.

No início da tarde desta terça-feira, 8, as ações ordinárias da estatal PETR3 eram negociadas a R$ 28,59, numa alta de 0,63%. Veja nossa cobertura de mercados. 

Preço dos combustíveis

Segundo Castello Branco, a venda das refinarias pela empresa não irá culminar no aumento do preço dos combustíveis para os consumidores. "O que altera o preço dos derivados nas bombas é a competição", afirmou.

"A maior garantia para o consumidor é a competição, o custo pode até cair, mas aumentar não vai não", respondeu, em audiência pública na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados. "As refinarias no Brasil continuarão utilizando petróleo da Petrobras, dificilmente trarão de outros continentes", completou.

Questionado sobre o impacto na economia brasileira decorrente dos desinvestimentos da empresa em diversas áreas, Castello Branco rebateu que o desenvolvimento econômico não pode ser o resultado de uma única empresa.

Ele citou os exemplos de Venezuela e Angola como países que apostaram em suas petrolíferas como motores da economia.

"Nenhuma empresa pode se jactar de ser o motor da economia nacional. Se a Petrobras foi o motor do Brasil, fez um mau trabalho, porque o PIB per capita brasileiro ainda é baixo. Toda empresa lucrativa pode contribuir para o desenvolvimento nacional, desde que seja lucrativa", concluiu Castello Branco.

Produção na Bahia

O presidente da Petrobras afirmou que "natureza trabalhou contra" a Bahia que, segundo ele, já foi um Estado muito importante para a empresa, mas hoje só representa 1,5% da produção da companhia.

"Infelizmente a nossa produção na Bahia hoje ficou irrelevante, assim como outros Estados do Nordeste, como Ceará, Rio Grande do Norte, Alagoas e Sergipe", afirmou Castello Branco, em audiência pública na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados.

O tema da sessão na comissão é "o fechamento da Petrobras na Bahia e o desmonte da Petrobras no Nordeste". "Não estamos fechando nossas operações no Nordeste. Nós estamos vendendo para empresas privadas interessadas nesses ativos, que estão investindo na região e vão gerar empregos. A Petrobras não tem dinheiro para investir em tudo", completou.

Castello Branco citou ainda a sede da Petrobras em Salvador - conhecida como Conjunto Pituba - formada por uma torre de 22 andares que custou R$ 2,087 bilhões, enquanto a empresa mal ocupa cinco andares do prédio. "Tomamos a decisão de desocupar prédio, que é um monumento ao desperdício, um verdadeiro templo da corrupção", concluiu.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Mulheres investidoras

Através dos investimentos, mulheres podem transformar suas vidas e alcançar liberdade financeira e emocional, ressaltam analista da Empiricus e diretora do BTG Pactual

Em live no Instagram, Larissa Quaresma, analista da Empiricus, e Gabi Vicentini, associate director no BTG Pactual, comentam sobre o que impede mulheres de investirem mais na Bolsa e no Tesouro

Em terras indígenas

Governo aceita atropelar Ibama e Funai em linhão de Roraima para garantir privatização da Eletrobras

A obra, planejada para conectar o estado ao sistema elétrico nacional, deveria ter sido entregue em 2015, mas esbarrou em um impasse com comunidades indígenas

Ao vivo

Líderes do PSDB e Podemos orientam partidos a votarem contra a MP da Eletrobras; acompanhe a análise no Senado

A Medida Provisória (MP) que viabiliza a privatização da Eletrobras é analisada pelo Senado nesta quinta-feira (17)

Novela sem fim

Senadores articulam aprovação da MP da Eletrobras sem os ‘jabutis’ polêmicos, mas fazem novas adições ao texto

Os senadores sabem, no entanto, que essa alternativa pode não ser bem sucedida e que a Câmara vai resgatar os trechos retirados

Parlamentares furiosos

CPI suspende trabalhos pede condução coercitiva do empresário Carlos Wizard

Wizard é apontado como um dos integrantes de um suposto “gabinete paralelo” de aconselhamento ao governo para ações de combate à pandemia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies