Menu
2019-11-28T10:48:26-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
agenda da estatal

Petrobras prevê investimentos de US$ 76 bilhões até 2024

Segundo a estatal, 85% do valor a ser investido está concentrado no segmento de exploração e produção; alocação tem como foco especial o pré-sal

28 de novembro de 2019
10:43 - atualizado às 10:48
Prédio da Petrobras no Rio de Janeiro
Imagem: Shutterstock

A Petrobras aprovou seu plano estratégico para 2020 até 2024, prevendo um investimento de US$ 75,7 bilhões. Os desinvestimentos previstos no plano variam entre US$ 20 e 30 bilhões.

Segundo a estatal, 85% do valor a ser investido está concentrado no segmento de exploração e produção. A alocação tem como foco especial o pré-sal - que geram mais retorno para os investimentos, além de ser a área em que a Petrobras tem vantagem competitiva.

Nesta quarta-feira (28), as ações da Petrobras sofriam leve baixa. Por volta das 10h40, os ativos PN (PETR4) recuavam 1,19%, a R$ 28,98. Já os papéis ON (PETR3) caíam 1,11%, a R$ 31,10. Acompanhe a cobertura de mercados. 

Definido como "Mind the Gap", o plano estratégico da empresa visa aproximar a performance da brasileira a de outras companhias globais de petróleo.

O plano tem como base pilares estabelecidos pela estatal anteriormente, como a maximização do retorno sobre o capital empregado, redução do custo de capital, entre outros.

"Com respeito a fontes de energia revoáveis, a companhia atuará em pesquisas buscando adquirir competências para o eventual posicionamento no longo prazo em energia eólica e solar", diz a empresa em documento divulgado ao mercado.

O plano conta com três métricas com foco na segurança das pessoas, na redução do endividamento e na geração de valor, segundo a própria empresa.

Números da companhia

No terceiro trimestre, a Petrobras registrou um lucro líquido de R$ 9,087 bilhões, alta de 36,8% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Segundo a Bloomberg, os analistas previam lucro líquido de R$ 8,622 bilhões no período.

O resultado foi impulsionado pelo aumento da produção de óleo e gás e pelos recursos provenientes da venda da participação na BR Distribuidora, que somaram R$ 13,9 bilhões. No período, houve um efeito negativo de R$ 2,9 bilhões de contingências judiciais e de baixas contábeis (impairment) de R$ 2,4 bilhões.

A produção forte foi um destaque no trimestre. A produção total (Brasil e exterior) de óleo, LGN e gás natural foi de 2,878 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed) no trimestre, aumento de 14,6% na comparação anual.

No terceiro trimestre, os investimentos totalizaram US$ 2,6 bilhões. No acumulado do ano, o montante US$ 7,6 bilhões, em trajetória convergente com a nova meta de investir US$ 10 a 11 bilhões, divulgada no balanço anterior.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

busca por acordo

Investidores cobram até R$ 60 bi da Petrobras em processos de arbitragem

Casos incluem tanto investidores nacionais quanto estrangeiros e vieram na esteira da Operação Lava Jato, que apontou práticas ilícitas na estatal

país em crise

Concorrente do Uber, Cabify encerra operações no Brasil por conta da pandemia

Fundada há 10 anos em Madri, empresa enfrentou um mercado altamente competitivo no Brasil, mas crise recente foi decisiva para startup deixar o país

TIM Brasil poderá emitir até R$ 5,7 bilhões em debêntures incentivadas

O projeto da operadora para melhorias nas redes fixas e móveis de 21 unidades da federação entrou na lista de autorizações do Ministério das Comunicações

quem vai levar?

Tem ação fresquinha vindo aí, minha amiga, com o IPO da Hortifruti Natural da Terra

Com tese de investimento sendo que ela é o melhor do supermercado e da feira, companhia busca recursos para expandir operações

Ligando na tomada

Renault traz a nova geração de carros elétricos ao Brasil — e Weg e EDP garantem a recarga

A Renault firmou parceria com EDP e WEG para o fornecimento de infraestrutura do novo Zoe, veículo 100% elétrico da montadora francesa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies