Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-03-20T16:18:29-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Alô, alô Petro

Petrobras espera receber mais de US$18 bilhões como pagamento por reservas de petróleo

Segundo fontes da Bloomberg, a ideia é que a questão, que se arrasta desde 2013, chegue finalmente a um desfecho

20 de março de 2019
8:42 - atualizado às 16:18
Petrobras
Imagem: shutterstock

A Petrobras pode receber uma notícia positiva em breve. Isso porque a petroleira espera receber mais de US$ 18 bilhões do governo e da iniciativa privada como forma de pagamento pelas reservas de petróleo. Segundo fontes, a ideia é que a questão, que se arrasta desde 2013, chegue finalmente a um desfecho. As informações são da Bloomberg.

Do lado público, o governo brasileiro pretende chegar a um acordo até o fim deste mês sobre a compensação que irá pagar à petroleira. Na reclamação, a Petrobras diz que o governo deve dinheiro à ela quando a estatal comprou do governo o direito de produzir bilhões de barris de petróleo.

O ponto é que, durante o processo de exploração, foi feita a descoberta de uma quantidade maior de petróleo. Isso fez com que o governo saísse com mais vantagens e a Petrobras ficasse apenas como a única companhia autorizada a explorar o campo. Por causa disso, a estatal e o governo devem entrar em acordo até o final do mês, antes de que ocorra leilão de parte dos 15 milhões de barris estimados.

O governo brasileiro antecipou também que há companhias que estão de olho em participar de projetos de exploração profunda e que essas empresas estariam dispostas a pagar mais de US$ 9 bilhões à Petrobras para fazer parte da iniciativa. Segundo as fontes, isso acrescentaria cerca de US$ 9 bilhões ao valor que o Estado estaria disposto a pagar à petroleira.

Leilões à vista

Para resolver a questão, o governo planeja realizar um leilão em 28 de outubro com grandes companhias como a Exxon Mobil e a Royal Dutch Shell Plc, que são duas das maiores petrolíferas dos Estados Unidos e do Reino Unido, respectivamente.

Ambas já manifestaram interesse em fazer uma licitação e parceria com a Petrobras, segundo informações já ditas pelo ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque, e o presidente da própria Petrobras, Roberto Castello Branco.

Olha o dinheiro

O pagamento que a empresa espera receber de terceiros vai compensar especialmente os investimentos que a Petrobras já fez. No caso do campo de Búzios, um dos maiores e que pode ir a leilão, a companhia gastou mais do que US$ 10 bilhões com a produção de dois sistemas. Hoje, a petroleira possui 3 bilhões de barris de reservas de petróleo, mas o governo estima que haja ao menos mais 3 bilhões a mais que possam ser explorados.

De acordo com a Bloomberg, a ideia de trazer parceiros internacionais para explorar campos ajuda a Petrobras a chegar a um acordo mais próximo com o governo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

O futuro está no céu

A acirrada corrida pelo ‘carro voador’

Além de chamar a atenção no mercado de capitais, as startups de “carros voadores” estão atraindo talentos e parceiros de setores mais tradicionais da economia

XP anuncia investimento na edtech Resilia

A Resilia é uma edtech que combina tecnologias que potencializam o aprendizado individualizado e em comunidade com um método de ensino que capacita potenciais talentos de uma forma mais rápida para o mercado digital

Análise

Investir em ações de banco ainda é uma boa? Veja 3 motivos que deixam a XP Investimentos cautelosa

Se no ano passado a postura era otimista, agora os analistas do setor financeiro da XP estão mais cautelosos, já que o cenário é de preços elevados dos ativos e uma concorrência e intervenções regulatórias preocupantes.

REFORMA TRIBUTÁRIA

PIB pode crescer 1,6% com redução de IR para empresas, indica estudo

O cálculo de 20% teve como base comportamento das empresas depois de um dos maiores aumentos na alíquota do imposto sobre dividendos no mundo – na França, em 2013, de 15,5% para 46%

ESG

‘Equidade racial se tornou prioridade dentro da Vivo’, diz presidente

Dentro da extensa agenda ESG, que concentra ações ambientais, sociais e de governança, a Vivo aposta na equidade racial

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies