Menu
2019-02-28T12:48:58-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Até R$ 100 bilhões

Leilão de excedentes da cessão onerosa será em 28 de outubro

Conselho Nacional de Política Energética não falou, no entanto, sobre a revisão do contrato entre Petrobras e União

28 de fevereiro de 2019
12:48
Plataforma de petróleo
Imagem: Shutterstock

O megaleilão de petróleo excedente da área do pré-sal da cessão onerosa foi marcado para o dia 28 de outubro e será feito por meio do regime de partilha. A decisão foi tomada após reunião do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), mas não houve manifestação sobre a aguardada revisão de contrato entre a Petrobras e a União.

A revisão desse contrato de 2010 entre Petrobras e o governo é aguardada com certa ansiedade pelos investidores, pois a estatal deverá receber uma grande quantidade de recursos em dinheiro ou barris equivalentes. Essa definição vai impactar no preço das ações da estatal.

Em nota, o Ministério de Minas e Energia (MME), informa que “a realização desse leilão ainda em 2019 configura-se numa extraordinária janela de oportunidade, que não pode ser desperdiçada”.

Estimativas feitas ao longo do ano passado apontaram para arrecadação de mais de R$ 100 bilhões com o chamado bônus de assinatura, parte do modelo de partilha, que tem esse bônus fixo e uma parte variável, que define os vencedores do leilão, chamada de óleo-lucro. Estados e municípios também estão de olho nesse dinheiro.

Segundo MME, esse leilão “tem despertado grande interesse das principais empresas pretroliferas do mundo e trará grandes benefícios econômicos, com geração de emprego e renda”.

Os campos ofertados são Atapu, Buzios, Itapu e Sépia. O vencedor deverá pagar à Petrobras uma compensação pelos investimentos realizados na área e, como contrapartida, adquirirá uma parte dos ativos e da produção.

No fim de março, o CPNE avaliará as simulações que serão feitas com diferentes cenários para definição do bônus de assinatura, percentual mínimo de óleo-lucro e compensação à Petrobras devida pelo vencedor do leilão.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Ano de eleição

Promessas de Bolsonaro estouram “folga” do Orçamento em 2022

A ampliação do Bolsa Família e um eventual aumento de 5% nos salários do funcionalismo público já superam o espaço adicional de R$ 25 bilhões para o próximo ano

Nova esperança?

Estados Unidos planejam investir US$ 3,2 bilhões em antivirais para tratar covid-19 e outras doenças

Segundo o Dr. Fauci, principal conselheiro do presidente Joe Biden no combate à pandemia, novo programa vai acelerar o que já está em andamento

PODCAST MESA QUADRADA

De pintor de parede a chef renomado, Alex Atala diz que competitividade foi empurrão: ‘se não fosse provocado, seria um bundão’

Chef de cozinha fala sobre sua trajetória e comenta crises e investimentos bem sucedidos

Amor e presentes

Demanda por crédito no País sobe 13% em maio, impulsionada por Dia das Mães

Índice Neurotech revela que o aumento das vendas no varejo, especialmente nas lojas de departamento e vestuário durante a data comemorativa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies