Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-10-29T14:26:08-03:00
Estadão Conteúdo
aparando as arestas

Petrobras e União assinarão aditivo do contrato de cessão onerosa, diz ANP

Concluída essa fase, será possível realizar o leilão de áreas excedentes da cessão onerosa, marcado para o próximo dia 6

29 de outubro de 2019
14:26
Petrobras
Imagem: Tania Regô/Agência Brasil

A Petrobras e a União vão assinar nesta semana o aditivo do contrato de cessão onerosa, segundo o diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), Décio Oddone. Concluída essa fase, será possível realizar o leilão de áreas excedentes da cessão onerosa, marcado para o próximo dia 6.

Na última sexta-feira, Oddone esteve reunido no Rio com o ministro de Economia, Paulo Guedes, e com o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco.

A pauta foi o aditivo do contrato de cessão onerosa. O diretor-geral da ANP garantiu que está tudo pronto para que o documento seja assinado e que as duas partes, após anos de negociação, finalmente chegaram a um acordo.

Leilões

Concluído o acordo entre Petrobras e União sobre o aditivo do contrato de cessão onerosa, a ANP conta com uma presença relevante da Petrobras nos dois leilões de pré-sal deste ano, disse Oddone. "Esperamos que a Petrobras entre na cessão onerosa e na 6ª Rodada do pré-sal. Os leilões estão encaminhados. Os investimentos virão", comentou.

Ele destacou que se a Petrobras levar as duas áreas pelas quais demonstrou interesse vai responder sozinha por R$ 60 bilhões de bônus de assinatura.

Em palestra, reiterou a expectativa de arrecadação de R$ 400 bilhões em participações governamentais e impostos pelo setor na próxima década.

Oddone reclamou, porém, da falta de licenciamento do Ibama liberando a operação em novas fronteiras. Segundo ele, isso não acontece desde 2011.

Royalties

A arrecadação com royalties e outros tributos da área de petróleo e gás será maior do que o gasto da sociedade com combustíveis, tendo em vista o aumento da produção que se desenha para os próximos anos com a realização de leilões, disse Oddone. "Isso vai permitir que o governo use esses recursos para equilibrar os preços dos combustíveis com a inflação", comentou.

Ele também prevê que a mudança de mercado que está acontecendo no Brasil na área de downstream levará à concorrência entre combustíveis, principalmente em áreas remotas, onde o gás natural vai competir com o Gás Liquefeito de Petróleo (GLP). "Isso nunca aconteceu no Brasil porque o GLP sempre foi direcionado para gás de cozinha", destacou.

Oddone participou nesta terça-feira, 29, da abertura do evento OTC 2019, um dos maiores do setor de petróleo no mundo, que acontece até a próxima quinta-feira.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Palavra do CEO

Eduardo Ragasol, da Neogrid: Como o sucesso do cliente pode ajudar no desenvolvimento do seu negócio

Conhecimento é poder. Entenda a fundo seu cliente. Utilize toda a tecnologia e informações que estão à disposição. Alinhe expectativas. E meça o desempenho dos envolvidos

Se cuida, bitcoin!

Atualização EIP-1559 concluída: confira as mudanças do Ethereum (ETH) com o ‘London Fork’

Batizada de “hard fork London”, a Proposta de Melhoria do Ethereum 1559 (EIP-1559) deve reduzir taxas e tornar a moeda deflacionária

olho lá fora

Petrobras dispara 14% em NY, após balanço e antecipação de dividendos

Por volta das 21h (horário de Brasília), PBR subia 14%; empresa reportou forte fluxo de caixa e lucro surpreendeu analistas

Sem surpresas, mas depende...

Fim do ciclo de alta da Selic? Tudo depende da manutenção do teto de gastos e da política fiscal — e as próximas semanas devem ser decisivas

Para Marcelo Fonseca,chama a atenção o posicionamento do Copom de elevar a taxa até um patamar restritivo, mas o BC está no caminho certo. O economista vê o fim do ciclo de alta no patamar dos 7,5%, mas tudo depende do destino do teto de gastos

seu dinheiro na sua noite

Ibovespa em dia de nova taxa Selic expõe tensão; veja os destaques desta quarta

O Banco Central divulgou há pouco a elevação da taxa básica de juros, a Selic, de 4,25% para 5,25%. Essa alta de 1,00 ponto percentual já vinha sendo antecipada e esperada pelo mercado financeiro, mas isso não impediu que o pregão pré-Copom desta quarta-feira fosse marcado pela cautela. E o Ibovespa que o diga. Receios sobre […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies