Menu
2019-08-27T16:07:33-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
De olho nas contas públicas

Guedes cobra pagamento da Caixa e do BNDES para liberar R$ 13 bilhões no Orçamento

A ideia de repassar o percentual do lucro que é distribuído entre os acionistas das companhias é permitida por lei. No ano passado, o repasse dos dividendos à União foi de 25% do lucro, o que era o percentual mínimo permitido

27 de agosto de 2019
9:46 - atualizado às 16:07
Paulo Guedes
Ministro da Economia, Paulo Guedes, em audiência no Senado - Imagem: Pedro França/Agência Senado

Para dar um alívio financeiro aos ministérios e ao Orçamento, o ministro da Economia, Paulo Guedes, quer que a Caixa e o BNDES antecipem o repasse de 50% e 60% dos dividendos, respectivamente, do primeiro semestre. As informações são do jornal "O Estado de S.Paulo".

A ideia de repassar o percentual do lucro que é distribuído entre os acionistas das companhias é permitida por lei. No ano passado, o repasse dos dividendos à União foi de 25% do lucro, o que era o percentual mínimo permitido. Agora, o percentual será feito com o valor máximo que é autorizado.

Nas contas do ministério, a entrada dos dividendos do primeiro semestre do ano pode chegar à cifra de R$ 13 bilhões, sendo que R$ 9 bilhões do BNDES e cerca de R$ 4 bilhões da Caixa.

O valor entraria no Orçamento como receitas extras, o que permitiria, em contrapartida, liberar na mesma magnitude parte das despesas bloqueadas – que chegam a R$ 34 bilhões. No ano passado inteiro, as estatais pagaram R$ 7,7 bilhões aos cofres federais.

A antecipação de pagamentos no próprio ano, antes mesmo de apurar o lucro líquido total de um ano, está de acordo com o que diz a lei. Ofício pedindo o repasse foi enviado a todos os bancos públicos.

Contudo, a área técnica identificou que os bancos vêm apresentando restrições a esse repasse, o que tem desagradado à equipe econômica, segundo apurou o jornal "O Estado de S.Paulo". A assessores, Guedes tem reclamado do corporativismo dos bancos públicos.

Com o repasse dos dividendos, o ministro quer afastar de vez a necessidade de pedir ao Congresso a mudança da meta fiscal para conseguir desbloquear o Orçamento ainda em setembro.

A meta atual prevê a possibilidade de um déficit de até R$ 139 bilhões em 2019. O governo não quer ficar refém do Congresso nesse ponto tão crucial para a gestão orçamentária até dezembro.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

seu dinheiro na sua noite

Uma conversa sobre investimentos para o meu pai

O primeiro salário que recebi na vida foi em julho de 1994, mês inaugural do Plano Real. Foi com esse dinheiro que saí pelas lojas do bairro do Gonzaga, em Santos, em busca de um presente para dar no Dia dos Pais. Desde então, esse sempre foi um problema para mim, porque meu pai não […]

Preferência

Oi fecha acordo de exclusividade com Vivo, Claro e Tim para venda de operação móvel, diz jornal

Após fim da exclusividade da Highline, que desistiu de fazer nova oferta, teles brasileiras passam à frente, com oferta de R$ 16,5 bilhões

Mercados hoje

Guerra comercial arrasta o Ibovespa e leva o dólar acima da marca de R$ 5,40

Trump eleva o tom contra a China e Ibovespa encerra a primeira semana de agosto em queda; dólar fecha no nível mais alto desde 30 de junho

primeira-dama

Extratos bancários de Queiroz provam depósitos de 21 cheque a Michelle Bolsonaro

Extratos bancários de Queiroz anexados a investigação sobre suposto esquema de rachadinha revelam 21 depósitos em cheques em nome de Michelle Bolsonaro

de olho na estatal

Petrobras alerta que operações e finanças podem ser afetadas pela covid-19

Estatal destacou especialmente os efeitos na mão de obra e entre seus fornecedores de bens e serviços, como a China

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements