Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-12-05T17:37:40-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Ganhando tração

Conversas sobre potencial venda da rede móvel da Oi estão acelerando, diz presidente da Tim

Segundo Labriola, uma eventual avaliação da compra da Oi só vai ocorrer caso o ativo seja formalmente colocado à venda, o que ainda não ocorreu

5 de dezembro de 2019
17:11 - atualizado às 17:37
presi tim
Imagem: Divulgação YouTube

Na visão do presidente da Tim Brasil, Pietro Labriola, as negociações sobre uma eventual venda da rede móvel da Oi estão ganhando tração. Para ele, há cerca de três meses não havia qualquer notícia de que a rede estaria à venda.

Mas, segundo Labriola, uma eventual avaliação da compra da Oi só vai ocorrer caso o ativo seja formalmente colocado à venda, o que ainda não ocorreu. Ele também ponderou que não seria possível uma única empresa comprar a Oi porque isso geraria uma concentração de mercado elevada.

A ideia é que, em uma eventual venda, a rede móvel seja fatiada entre as rivais Tim, Claro e Vivo. E, nesse cenário, a Tim poderia arrematar a maior parte da Oi, porque a operadora italiana é a que possui menor espectro no mercado brasileiro, segundo o executivo.

Labriola disse ainda que a venda faria sentido para a Oi conseguir focar em sua rede de fibra ótica, segmento em que a tele tem maior participação de mercado, podendo comercializar o uso da rede para as demais operadoras.

O segmento de internet móvel, por outro lado, requer maiores investimentos e possui uma competição mais intensa. "O percurso que o Rodrigo (Abreu) está fazendo é certo", disse, ao fazer referência aos sinais de potencial venda da rede móvel.

Números da companhia

A venda da rede móvel viria em boa hora. A Oi apresentou com atraso os números do terceiro trimestre. Em recuperação judicial desde 2016, os resultados da empresa refletiram o mau momento que vive.

No terceiro trimestre, a Oi registrou um prejuízo líquido consolidado de R$ 5,747 bilhões, percentual 330% maior ante o mesmo período do ano passado, quando houve perda de R$ 1,336 bilhão.

No acumulado até setembro, a companhia reportou um prejuízo acumulado de R$ 6,738 bilhões. Os principais fatores que influenciaram o balanço foram a queda de 8,88% na receita (R$ 5,001 bilhões), a valorização do dólar (que afeta a dívida da empresa) e a baixa contábil de ativos, calculada em R$ 3,342 bilhões, conhecido como impairment.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) calculado segundo a norma contábil IFRS 16 foi de R$ 1,374 bilhão no terceiro trimestre, dentro da meta prevista para o ano. A margem Ebitda, por sua vez, ficou em 27,5%. Descontando os efeitos da IFRS 16, a margem Ebitda ficou em 19,6%, o que representa uma queda de sete pontos percentuais.

O faturamento também caiu nos três segmentos de negócios: móvel, fixo e corporativo. Na categoria residencial, a queda foi de 13,5%. Na móvel, 2,2% e na corporativa, conhecida como B2B, 7,9%.

A base de clientes da companhia também sofreu uma diminuição de 6,2%, sendo o segmento de clientes residenciais o mais afetado.

O resultado financeiro ficou negativo em R$ 2,376 bilhões, uma piora de 73% na comparação anual, puxado principalmente pela disparada do dólar, impactando a dívida na moeda estrangeira.

Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

IPO adiado

Bluefit: nem desconto de 20% garante estreia da rede de academias na bolsa

Inicialmente estimado em R$ 600 milhões, IPO da rede de academias de baixo custo agora deverá ter o valor reduzido e envolver apenas investidores institucionais, como fundos e fundações

Tensão EUA-China

Executiva da Huawei detida no Canadá em 2018 volta à China após acordo com os EUA

Confinada à cidade de Vancouver há quase três anos, onde havia sido presa sob acusação de fraude, CFO da Huawei, Meng Wangzhou, protagonizou incidente diplomático entre Canadá, EUA e China

o melhor do seu dinheiro

Mercados na semana: O destino da Evergrande, uma análise da Vale e seis ações indicadas por analistas

A semana que termina nos mercados foi marcada pela incerteza quanto ao futuro da incorporadora chinesa Evergrande e seus desdobramentos sobre a economia global. A crise na empresa, que tem um passivo oscilando à beira da insolvência, é consequência do aperto monetário e regulatório sobre o setor promovido pelo governo chinês desde o final do […]

Estimativas

Carrefour (CRFB3) divulga projeção para Atacadão e estima R$ 100 bi em vendas em 2024

A projeção de vendas brutas da rede no exercício social que se encerrará em 31 de dezembro de 2021 é de R$ 60 bilhões

PODCAST MESA PRA QUATRO

Da Conga até o Tik Tok: Gretchen conta de sua carreira artística e como administra seu dinheiro

Aos 60 anos, Gretchen relata sobre sua independência financeira e histórias de família e de carreira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies