Menu
2019-04-04T14:50:51-03:00
Estadão Conteúdo
Enquadrado na Lava Jato

Quem é Coronel Lima, amigo de Temer apontado como intermediário de propinas

Temer e Lima são amigos há mais de 30 anos e se conheceram quando o ex-presidente foi secretário de Segurança Pública em São Paulo

21 de março de 2019
16:31 - atualizado às 14:50
Michel Temer
Presidente Michel Temer - Imagem: Marcos Corrêa/PR

A prisão do ex-presidente Michel Temer pela Operação Lava Jato do Rio de Janeiro trouxe de volta às manchetes o nome de João Batista Lima Filho, o coronel Lima, amigo de Temer que é apontado como o principal intermediário do ex-presidente para recebimento de propinas e que também foi alvo de mandado de prisão.

Temer e Coronel Lima são amigos há mais de 30 anos e se conheceram quando o ex-presidente foi secretário de Segurança Pública em São Paulo, nos anos 1980, durante o governo de André Franco Montoro.

Lima, um coronel reformado da Polícia Militar de São Paulo, é visto pela Polícia Militar como o responsável pela criação de uma "engenharia" para o recebimento de propinas supostamente em nome de Temer. Citado por delatores em diferentes investigações, ele tem uma relação pessoal com Temer. As suspeitas sobre as operações entre o policial militar da reserva e o ex-presidente envolvem familiares dos dois.

A ação que resultou na prisão de Temer é decorrente da Operação Radioatividade, que apurou crimes de formação de cartel e prévio ajustamento de licitações, além do pagamento de propina a empregados da Eletronuclear. Após decisão do Supremo Tribunal Federal, o caso foi desmembrado e remetido à Justiça Federal do Rio de Janeiro.

O inquérito que mira Temer e seus aliados tem como base as delações do empresário José Antunes Sobrinho, ligado à Engevix. Sobrinho foi um dos primeiros a citar o coronel Lima em depoimento a investigadores. Ele disse ter pago ao coronel pelo menos R$ 1 milhão que iriam para campanhas de Temer.

Também há suspeitas sobre Lima relacionadas à JBS. Ricardo Saud, diretor da empresa, disse em delação que Temer pediu que R$ 1 milhão em espécie fosse entregue na empresa do coronel em 2014. Saud afirmou também que o dinheiro fazia parte de um acordo para pagar um total de R$ 15 milhões ao MDB, mas que Temer "roubou dele mesmo" ao pegar o dinheiro por fora.

Além disso, há a suspeita de que Lima também atuava resolvendo pendências financeiras de Temer. Um desses casos é o da reforma da casa de uma das filhas do ex-presidente, Maristela de Toledo Temer Lulia, que chegou a admitir que o coronel "deu uma ajuda" por "camaradagem" em uma reforma em sua casa. A relação com o coronel foi descrita como "quase familiar".

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

atenção, acionista

Itaú Unibanco anuncia pagamento de juros sobre capital próprio

Segundo a empresa, os valores serão pagos com base na posição acionária do dia 10 de dezembro

seu dinheiro na sua noite

Um zero a zero para se comemorar

O gol é um detalhe. A frase atribuída a Carlos Alberto Parreira representa um marco do estilo considerado retranqueiro do ex-técnico da seleção brasileira. Ainda que Parreira negue a afirmação, o fato é que o Brasil sagrou-se campeão da Copa de 1994 sob o comando do técnico depois de um empate por zero a zero […]

separação em curso

Conselho de administração do Itaú aprova criação da Newco, dona de parte da XP

Cisão ainda precisa ser aprovada pelos acionistas, e caso isso aconteça, eles vão passar a deter participação também na Newco

fechamento dos mercados

Ibovespa perde ímpeto sem NY, mas consegue fechar em leve alta aos 110 mil pontos

Índice acionário estendeu sequência de altas em sessão de marasmo por liquidez reduzida. Embate entre Guedes e Campos Neto realça questão fiscal, mas juros recuam com leilão do Tesouro

eleição em são paulo

Empresários e investidores entregam manifesto a favor da candidatura de Boulos

Candidato é tratado como empreendedor social e, em conversas reservadas, o MTST é comparado a uma startup de sucesso

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies