Menu
Marina Gazzoni
O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
É CEO do Seu Dinheiro
2019-04-05T10:41:10-03:00
TUDO QUE VAI MEXER COM SEU DINHEIRO HOJE

Você ainda está otimista com a bolsa em 2019?

29 de janeiro de 2019
9:55 - atualizado às 10:41
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

A abertura da bolsa ontem foi como aquela injeção que você sabe que vai doer, só não sabe quanto. 10%, 15%, 20%, 30%, quando a ação da Vale poderia cair no pregão de ontem depois do triste episódio em Brumadinho? Todos os olhos no monitor nos primeiros minutos do pregão. Começou o caindo 19%, terminou em 24%.

A Vale é uma gigante e sua queda pode provocar um “terremoto” na bolsa brasileira. A mineradora responde sozinha por cerca de 11% do Ibovespa, o principal índice de ações do mercado nacional. Então o problemão da Vale acabou com a festa na bolsa e interrompeu uma sequência de recordes.

Com a nova realidade da Vale, resolvi consultar novamente o Alexandre Mastrocinque, autor da coluna Que Bolsa é essa?, do Seu Dinheiro, para saber se ele ainda está confiante no potencial do Ibovespa. “Você mantém sua avaliação”, perguntei. “Mantenho”, respondeu o Alê.

Ele está na turma dos otimistas com a bolsa em 2019. Para ele, o cenário econômico é favorável aos investimentos em empresas de capital aberto no Brasil e o Ibovespa tem muito espaço para crescer. Um dos seus gigante está ferido e não dá para contar com ele para carregar o índice até os 100 mil pontos. Mas os fundamentos que puxam todas as outras permanecem. Saiba mais sobre a perspectiva do Alê para a Bolsa neste ano aqui.

Alguém foi preso?

Uma força-tarefa para buscar alguns dos culpados pela tragédia de Brumadinho começou hoje cedo. Em São Paulo, o Ministério Público e a Polícia Civil prenderam dois engenheiros responsáveis por atestar a segurança da barragem. A Polícia Federal também participa das investigações em busca de documentos que apontem indícios de fraudes nas inspeções de segurança. Acompanhe os desfechos da operação aqui.

Em queda livre

A Vale segue sofrendo as consequências pelo rompimento da barragem em Brumadinho. Ontem, a agência de classificação de risco Fitch anunciou o rebaixamento do rating da mineradora para BBB- e deixou a porta aberta para novos cortes. O pesado custo para arcar com as indenizações foi o fator determinante para o pessimismo com relação à empresa. Saiba mais.

Dias de luta

A Cielo vive um pesadelo público nos últimos meses: queda das ações, fortalecimento da concorrência, troca de comando… E o balanço divulgado ontem à noite foi mais um revés, com números decepcionantes. O Vinícius Pinheiro preparou esta análise especial para você do resultado. Recomendo a leitura!

Uma pressãozinha

Donald Trump aproveita a crise de Nicolás Maduro na Venezuela para aumentar a pressão contra seu inimigo. O governo americano decidiu impor sanções à petroleira venezuelana PDVSA, bloqueando US$ 7 bilhões em ativos da companhia, o que deve resultar em uma perda de US$ 11 bilhões em exportações. Tudo isso para ver se o Maduro cai e se vê forçado a apoiar o autoproclamado presidente interino, Juan Guaidó. Leia mais

Falando nisso…

Os EUA e a China devem retomar conversas para amenizar os impactos da guerra comercial amanhã. Nos bastidores, há rumores de que a delegação chinesa planeja oferecer um grande aumento nas compras de produtos agrícolas e de energia americanos. Já do lado de Washington, as demandas continuam por baixo dos panos. Mas agora a preocupação é que outro escândalo envolvendo a chinesa Huawei acabe ofuscando o diálogo entre ambos, apesar de Pequim já dizer que o caso é “independente”. Saiba mais

Dia de expectativas

Após um início de semana com os holofotes voltados à Vale após a tragédia de Brumadinho, o mercado deve começar a voltar à rotina hoje. O exterior deve ganhar os holofotes novamente. Nos EUA, a expectativa é grande com a véspera da decisão do Fed, que deve adotar um tom suave (“dovish”) em relação à condução da política monetária, diminuindo as chances de mais duas altas nos juros neste ano.

O BC americano também deve decidir os rumos da taxa básica de juros enquanto o mercado segue otimista de que um acordo entre China e EUA é possível.

Ontem, o tombo da Vale puxou o Ibovespa para baixo, que encerrou em queda de 2,49%, a 95.443 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,12%, a R$ 3,76.

Consulte a Bula do Mercado para saber como devem se comportar bolsa e dólar hoje!

Um grande abraço e ótima terça-feira!

Agenda

Índices
- Banco Central divulga dados sobre o crédito em dezembro e em 2018
- Tesouro Nacional divulga o resultado primário do Governo Central em dezembro e em 2018

Mercados
- Credit Suisse promove a Conferência Latinoamericana de Investimentos

Banco Centrais
- Fed inicia sua reunião de política monetária

Balanços 4º trimestre de 2018
- Lá fora: Pfizer, Verizon, 3M, Apple,
- Teleconferências: Cielo (10h)

Política
- Ministério de Minas e Energia e Vale se reúnem em Brasília para discutir a tragédia de Brumadinho
- Governo faz mais uma reunião do conselho ministerial
- Parlamento britânico debate e vota proposta de acordo do Brexit

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

fechamento dos mercados

Ibovespa fecha em leve alta com avanço da Petrobras, apesar de queda da Vale

Juros futuros se descomprimem com menor percepção de risco fiscal, enquanto dólar sobe com hedge de investidores após compra de bolsa

estagnação

Ideia de que investimento público pode ser substituído é engano, diz ex-ministro da Fazenda

Bresser-Pereira disse que o Brasil vive há 40 anos uma situação de semiestagnação econômica por causa de uma redução do investimento público,

Crypto News

“O bitcoin está vencendo a revolução monetária da Covid-19”

Apesar de ter estudado a História de várias nações no ensino médio, não entendia nada de como as economias se comportavam com o passar do tempo.

em queda

Juros fecham em forte queda com notícia de que Bolsonaro desistiu de criar programa social em 2020

Alívio foi maior nas taxas futuras de longo prazo, que acompanham mais o risco fiscal. Agentes repercutem perspectivas de que governo deverá retomar o Bolsa Família em 2021. Produção industrial abaixo da esperada e perspectiva de privatizações ano que vem também embalam recuo

OTIMISMO

BofA projeta Ibovespa em 130 mil pontos em 2021 e diz que está sendo conservador

Banco acredita em pontuação maior, mas isso dependerá da situação fiscal estar ajustada, diz chefe de economia para Brasil

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies