Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-09-26T19:13:41-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Amo muito tudo isso

McPlanta Feliz: o McDonald’s se uniu à Beyond Meat para vender hambúrgueres vegetais

A Beyond Meat fechou a tão aguardada parceria com o McDonald’s para vender seu hambúrguer vegetal. Como resultado, suas ações dispararam em NY

26 de setembro de 2019
16:22 - atualizado às 19:13
McDonald's lanche vegetal
O PLT, novo sanduíche do McDonald's que irá usar um hambúrguer vegetal produzido pela Beyond MeatImagem: McDonald's / Divulgação

A moda do hambúrguer vegetal veio para ficar. O que soava como uma excentricidade há alguns meses foi ganhando cada vez mais espaço nas prateleiras dos supermercados, no menu dos restaurantes e nas carteiras de investimento — e, nesta quinta-feira (26), as carnes veganas da Beyond Meat conquistaram um território emblemático.

  • O Melhor Curso de Análise Gráfica está com INSCRIÇÕES ABERTAS. Vagas exclusivas e promocionais para leitores Seu Dinheiro, apenas por este link.

De alguns meses para cá, as grandes redes de fast food dos EUA começaram a se render aos hambúrgueres feitos de plantas: Burger King, Taco Bell, Dunkin' Donuts e Carl's Jr. são algumas das franquias que começaram a usar os produtos da Beyond Meat — ou de sua principal concorrente, a Impossible Foods — em seus cardápios.

Mas, apesar de toda a expansão para os restaurantes com apelo mais popular, ainda faltava capturar a joia da coroa do fast food: o McDonald's. A empresa dos arcos dourados, afinal, sinalizou em maio que não tinha interesse em embarcar na moda do hambúrguer vegetal — seu menu continuaria usando apenas as carnes... convencionais.

Ah, como as coisas podem mudar em quatro meses.

Nesta manhã, o McDonald's anunciou uma parceria com a Beyond Meat para testar um novo sanduíche em seu cardápio, o PLT — uma sigla para plant, lettuce and tomato (planta, alface e tomate, numa tradução literal). E, como resultado, as ações da fabricante de hambúrgueres vegetais dispararam na bolsa americana.

Os papéis da Beyond Meat (BYND) fecharam em forte alta de 11,58%, a US$ 154,34, acumulando uma valorização de mais de 500% desde a abertura de capital, em 2 de maio — as ações estrearam na bolsa americana a US$ 25.

E olha que esse não é nem o topo histórico para os ativos da empresa de carnes veganas: no fim de julho, os papéis da Beyond Meat chegaram a ser negociados acima dos US$ 230. As ações do McDonald's (MCD), por outro lado, têm um desempenho discreto: no mesmo horário, subiam 0,32%, a US$ 213,34.

De acordo com o McDonald's, o novo sanduíche começará a ser vendido na próxima segunda-feira (30), em fase experimental, em apenas 28 unidades localizadas na província de Ontario, no Canadá. Essa etapa de testes irá durar por 12 semanas.

"O McDonald's tem orgulho de seu legado de produção de alimentos divertidos e deliciosos — e, agora, estamos prolongando esse legado para um teste com um suculento hambúrguer vegetal", disse Ann Wahlgren, vice-presidente de estratégia global da empresa. "Estávamos trabalhando na receita e, agora, estamos prontos para saber a opinião dos nossos clientes".

O PLT custará 6,49 dólares canadenses, mais taxas — o valor corresponde a pouco mais de R$ 20, no câmbio atual. Apenas como base de comparação, o Burger King começou a vender no Brasil, no início do mês, uma opção de sanduíche que usa hambúrgueres vegetais da Marfrig, o Rebel Whopper, por R$ 24,90.

O enorme alcance e dispersão geográfica do McDonald's — a rede de fast food possui cerca de 38 mil unidades em mais de 100 países — explicam a reação entusiasmada do mercado em relação à Beyond Meat. E o próprio fundador da empresa de hambúrgueres vegetais, Ethan Brown, tornou pública sua empolgação com a conquista.

"Prestar serviços ao McDonald's sempre foi uma de minhas metas centrais e definitivas desde a criação da Beyond Meat, há uma década", disse o executivo. "[A parceria] foi fechada depois de uma longa e produtiva colaboração para criar um hambúrguer vegetal que se encaixasse perfeitamente no menu, e estamos emocionados com o desfecho".

Agora, resta saber se a união com o McDonald's irá prosperar — e se a conquista da maior rede de fast food do mundo irá se reverter em rentabilidade para a Beyond Meat. Apesar de todo o frenesi envolvendo as carnes veganas, a companhia teve um prejuízo líquido de US$ 9,4 milhões no segundo trimestre deste ano, acima das perdas de US$ 7,4 milhões contabilizadas no mesmo intervalo de 2018.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Ventos contrários

Renova Energia não consegue “proteção” contra minoritários da própria empresa

Empresa perdeu ação no TJ-SP que tentata impedir os acionistas de produzirem provas contra a empresa, relativas à investigação sobre desvio de recursos

Preocupação

Vidas secas? Bolsonaro admite que Brasil vive “enorme crise hidrológica”

Presidente citou a falta de chuvas como um dos grandes problemas econômicos do país, juntamente com os efeitos causados pela pandemia

MESA QUADRADA

“Não me arrependo de nada. Só não posso dar conselhos financeiros para ninguém”, diz Bob Wolfenson, o fotógrafo das celebridades entrevistado no 7º episódio do Mesa Quadrada

Em em conversa para o podcast Mesa Quadrada, Dan Stulbach, Teco Medina e Caio Mesquita, conversam sobre dinheiro e carreira com Bob Wolfenson, ícone da fotografia brasileira

Situação preocupante

Cuidado com as luzes acesas! Aneel mantém taxa adicional mais alta na contas de agosto

Tarifa cobrada na bandeira vermelha nível 2 é de R$ 9,49 por 100 quilowatts-hora (kWh), e agência continua avaliando se vai elevar o valor

O melhor do Seu Dinheiro

Os melhores investimentos do mês e as notícias que foram destaque na semana

lém do ranking, tivemos o Ibovespa em queda de 2,60, e uma entrevista exclusiva com o CEO da Ânima Educação, que busca um “modelo Magalu”

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies