Menu
2019-04-30T08:34:37-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
sem fato consumado

Para Guedes, Cintra foi mal interpretado ao dizer que até igreja pagaria imposto

A fala levou o presidente Jair Bolsonaro, que tem parte de sua base eleitoral formada pelo público evangélico, a gravar um vídeo desmentindo a informação

30 de abril de 2019
8:21 - atualizado às 8:34
Paulo Guedes
O ministro da Economia, Paulo Guedes - Imagem: Alan Santos/PR

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta segunda-feira, 29, que o secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, foi "mal interpretado" ao dizer que até igrejas pagariam o novo imposto sobre transações financeiras que o governo pretende criar.

A fala levou o presidente Jair Bolsonaro a gravar um vídeo desmentindo a informação de que haveria aumento de imposto para as igrejas. O presidente tem parte de sua base eleitoral formada pelo público evangélico.

Maia, por sua vez, reiterou que "a Câmara tem muita dificuldade de tratar de aumento de impostos". No entanto, ele ponderou que o secretário falou "em tese" na entrevista concedida ao jornal Folha de S.Paulo.

"Também não vamos transformar uma entrevista em tese em fato consumado, que não é verdadeiro, até porque não apresentou nenhuma proposta em concreto à Câmara dos Deputados", disse o deputado.

Cintra esteve com Bolsonaro no fim da tarde, em reunião no Palácio do Planalto. O compromisso já estava agendado. Segundo apurou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, o secretário relatou ao presidente que foi mal interpretado e que a proposta de acabar com a contribuição que as empresas recolhem sobre a folha de pagamento ao INSS - antecipada pelo Estado no início de abril - pode na verdade reduzir a carga tributária sobre as igrejas.

Hoje as instituições religiosas pagam, como as empresas, 20% sobre a folha de pessoal. Cintra defendeu ao presidente que, com um imposto sobre meios de pagamento, haverá uma carga tributária menor para as igrejas, uma vez que muitas têm custo elevado justamente com o pagamento de pessoal.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

ficou para esta quinta

Para privatizar Eletrobras, governo aceita mais 19 emendas à MP

Por acordo entre os senadores, o texto da MP será votado apenas amanhã, 17, a partir das 10h, e até lá, eles poderão apresentar sugestões de destaques, que podem alterar o teor do parecer

seu dinheiro na sua noite

A Selic subiu mais um pouco – e na próxima reunião tem mais

Esta “Super Quarta” terminou com os bancos centrais brasileiro e americano apertando um pouquinho mais a torneirinha dos juros. A inflação pressiona, aqui e na terra do Tio Sam, e as autoridades monetárias querem mostrar que permanecem vigilantes. O Federal Reserve ainda não elevou propriamente as taxas de juros, que foram mantidas entre zero e […]

Entrevista

Sinais do Copom apontam para Selic a 7% no fim do ano, diz Padovani, do banco BV

Economista-chefe do banco BV, Roberto Padovani destacou o tom mais ríspido do Banco Central e a indicação de que a Selic continuará em alta

MUDANÇA NOS JUROS

COMPARATIVO: Veja o que mudou no novo comunicado do Copom

Veja o que ficou igual e o que mudou no comunicado da decisão do Copom a respeito da taxa Selic, elevada ao patamar de 4,25% ao ano

Subiu de novo

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 4,25% ao ano

Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras de renda fixa agora que o Banco Central elevou a Selic mais uma vez

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies