Menu
2019-04-04T14:24:37-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Temporada de balanços

Olha a Magalu aí gente! Magazine Luiza supera expectativa de analistas e registra lucro líquido anual de R$597,4 milhões em 2018

Nas estimativas dos analistas ouvidos pela Bloomberg, a previsão era de um lucro líquido de R$ 389 milhões no ano passado

21 de fevereiro de 2019
23:47 - atualizado às 14:24
Magazine Luiza Totvs
Imagem: Shutterstock

Depois de um trimestre de investimentos para aumentar a sua presença no varejo on-line, a Magazine Luiza superou as expectativas dos analistas ouvidos pelo Bloomberg e registrou lucro líquido anual de R$ 597,4 milhões em 2018, o que representa um valor 53,6% superior ao mesmo período do ano anterior.

O resultado foi além do previsto pelos analistas ouvidos pela Bloomberg, que era de R$ 389 milhões. A receita líquida anual e o Ebitda anual (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) também foram melhores do que o esperado em 2018.

A empresa atingiu R$ 15,59 bilhões de receita líquida em 2018, o que representa uma expansão de 30,1%, com um lucro bruto de R$ 4,537 bilhões e uma margem bruta de 29,1% (-1,0 p.p.). A expectativa dos analistas era de R$ 15,51 bilhões de receita líquida no ano passado. E o Ebitda fechou 2018 em R$ 1,24 bilhão, alta de 20,8%, com uma margem de 8% (-0,6 p.p.).

Já o resultado financeiro líquido ajustado do ano passado foi negativo em R$ 276,7 milhões. No ano anterior, as perdas somaram R$ 358,6 milhões.

Quarto trimestre

A rede varejista Magazine Luiza registrou um lucro líquido de R$ 189,6 milhões no quarto trimestre do ano passado, um desempenho 14,5% superior ao registrado no mesmo intervalo de 2017, de R$ 165,6 milhões.

A receita líquida do quarto trimestre de 2018 também melhorou e somou R$ 4,610 bilhões, alta de 27,3%, enquanto o lucro bruto avançou 22,8%, para R$ 1,296 bilhão, resultando numa margem bruta de 28,1% (-1,1 p.p.).

Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 353,5 milhões no quarto trimestre do ano passado, um aumento de 13% sobre igual período de 2017, com uma margem Ebitda de 7,7% (-0,9 ponto porcentual).

Apesar dos números melhores, o resultado financeiro líquido ajustado apontou perdas de R$ 87,4 milhões no quarto trimestre, ante um desempenho negativo de R$ 57,1 milhões de igual período de 2017. De acordo com a companhia, a despesa financeira líquida ajustada aumentou “devido ao crescimento acelerado do Cartão Luiza em linha com a estratégia de fidelização dos melhores clientes.”

A varejista reforça que a linha de despesas financeiras, por outro lado, foi positivamente impactada pela redução de 76% nos juros de empréstimos e financiamentos e pela forte geração de caixa operacional da Companhia.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Energia elétrica

IPCA pode ir a 6,5% na bandeira vermelha

A bandeira vermelha 2, que tem custo adicional de R$ 6,243, iria a R$ 7,571 caso adotada a proposta da consulta pública

Esquenta dos Mercados

Relatório da inflação, leitura do PIB dos EUA e queda de ministro devem guiar a bolsa hoje

Assim como uma noite no deserto, o investidor deve ficar atento aos sinais para atravessar um momento de dificuldade

Volta ao original

Câmara rejeita emendas do Senado e retoma texto original de MP que eleva imposto para bancos

Deputados retomaram a alíquota de 25% na CSLL também para as agências de fomento e bancos de desenvolvimento estaduais

Para dar e vender

Defensivas e com potencial de crescimento: como as ações do setor de saúde ainda podem dar muitas alegrias na bolsa

A combinação de baixo endividamento, bons níveis de caixa e espaço para consolidação tornam as ações do segmento muito atrativas, segundo analistas

Fernando Cirne

A importância das fusões e aquisições para a Locaweb

Já avaliamos mais de 1.900 empresas e, desde o IPO, concluímos 10 importantes aquisições, que se somaram às outras seis concretizadas antes da abertura de capital

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies