A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2019-04-25T17:28:23-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Escolha feita hoje

Conselho da Lojas Renner elege Fabio Faccio como diretor presidente

Varejista de moda confirma o processo de transição que havia sido anunciado em novembro de 2018, com a saída de José Galló do cargo

18 de abril de 2019
20:23 - atualizado às 17:28
Fabio Adegas Faccio, presidente da Lojas Renner
Fabio Adegas Faccio, presidente da Lojas Renner - Imagem: Julio Bittencourt/Divulgação

A Lojas Renner anunciou na noite desta quinta-feira, 18, que seu conselho de administração elegeu Fabio Adegas Faccio como diretor presidente da companhia. O executivo substituirá José Galló, que esteve à frente dos negócios durante 27 anos e agora foi eleito presidente do conselho.

Em comunicado ao mercado, a varejista de moda confirma o processo de transição que havia sido anunciado em novembro de 2018. Na mesma reunião, Henry Costa foi escolhido como novo diretor de produto, cargo ocupado até então por Faccio.

O novo presidente da Renner, que entrou na empresa como estagiário 20 anos atrás, terá a missão de comandar uma gigante com mais de R$ 11 bilhões em faturamento e que vive um momento de grande mudança, tanto no mundo do varejo como nos próprios negócios.

Para muitos, o desafio de Faccio será acompanhar as novidades constantes nos hábitos de consumo dos brasileiros em meio ao avanço do comércio eletrônico. Ele também terá o papel de liderar o processo de internacionalização da rede de lojas.

Chefe de uma empresa sem controlador

A sucessão no comando sempre foi um dos pontos de maior preocupação em relação à Renner, avaliada na bolsa em mais de R$ 30 bilhões. Não que a varejista não esteja habituada a mudanças.

Do controle familiar, a empresa passou em 1998 para as mãos da americana J.C. Penney, que apenas sete anos depois decidiu se desfazer da companhia. Na falta de um comprador direto, tomou um caminho inusitado: vendeu suas ações diretamente na bolsa.

Desta forma, a Lojas Renner se tornou a primeira “corporation”, ou seja, empresa sem um acionista controlador, no mercado brasileiro. E foi um caso de extremo sucesso.

Como a Lojas Renner não possui a figura de um controlador com mais de 50%, a escolha de quem vai ocupar a cadeira de presidente é ainda mais importante do que na maioria das empresas listadas na bolsa. Mas o processo vem sendo em geral encarado de forma tranquila pelo mercado.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Inflação americana perde força, Curry dispara e XP decepciona; confira os destaques do dia

10 de agosto de 2022 - 19:14

O indicador de inflação ao consumidor dos EUA ficou estável, contrariando a expectativa de alta, e realimentou a esperança de que o Federal Reserve não deve agir de forma tão dura

MISSÃO CUMPRIDA

Banco do Brasil tem lucro de R$ 7,8 bilhões no 2T22 e cumpre promessa de se equiparar a bancos privados em rentabilidade

10 de agosto de 2022 - 19:12

Lucro do Banco do Brasil aumentou 54,8% em relação ao mesmo período de 2011 e rentabilidade sobre o patrimônio líquido superou a do Bradesco

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa emplaca sétima alta consecutiva com inflação americana estável e vai aos 110 mil pontos; dólar cai a R$ 5,08

10 de agosto de 2022 - 18:53

Os indicadores de inflação dos Estados Unidos apontam para uma maior tranquilodade – e o Ibovespa acompanhou Wall Street na festa

MICKEY RINDO À TOA

Não entrem em pânico! Resultado da Disney (DISB34) mostra que gigantes do streaming estão mais vivas do que nunca — ações avançam em Nova York

10 de agosto de 2022 - 17:24

Disney supera previsões e mostra que o mercado global de streaming não está se aproximando da saturação, mas anuncia reajuste de preços na América do Norte

MATCH POINT

Serena Williams, das quadras para o mundo dos investimentos, traz boas lições para quem quer planejar a transição de carreira

10 de agosto de 2022 - 17:10

A atleta se dividia entre as quadras de tênis e o mundo dos investimentos nos últimos seis anos; ela ainda deve disputar o torneio US Open antes de se dedicar integralmente à atividade de empresária e investidora

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies