Menu
2019-01-10T18:13:05-02:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Foi bom enquanto durou

Divórcio de Jeff Bezos, fundador da Amazon, pode mexer com o ranking de bilionários

Jeff Bezos pode perder a liderança na lista com a divisão da fortuna que hoje é atribuída apenas a ele. E MacKenzie Bezos pode se tornar uma acionista relevante da Amazon

10 de janeiro de 2019
17:14 - atualizado às 18:13
Jeff Bezos e Mackenzie Bezos
Jeff Bezos e Mackenzie Bezos - Imagem: Reprodução Youtube

O anúncio do divórcio do fundador da Amazon Jeff Bezos levou o mundo financeiro a fazer contas. O homem mais rico do mundo anunciou ontem pelo Twitter a separação da escritora MacKenzie Bezos, com quem era casado há 25 anos.

Os termos do divórcio não foram divulgados, mas como o casal se conheceu antes da criação da empresa que revolucionou o varejo no mundo, MacKenzie pode ter direito a uma boa parte da fortuna do marido, estimada em US$ 137 bilhões (a bagatela de R$ 508 bilhões, nas cotações atuais), de acordo com a Bloomberg.

Como o patrimônio de Jeff Bezos é formado principalmente por ações da Amazon, MacKenzie pode se tornar uma acionista relevante da empresa. O fundador da Amazon é o maior acionista individual da companhia, com uma participação de 16%.

O executivo da Amazon também pode perder a liderança na lista com a divisão da fortuna que hoje é atribuída apenas a ele. O segundo lugar no ranking dos mais ricos hoje é de Bill Gates, fundador da Microsoft, que possui uma fortuna avaliada em US$ 93 bilhões (ou R$ 345 bilhões).

A mulher de Jeff Bezos também pode se tornar a mulher mais rica do mundo e quinta no ranking geral. O posto é ocupado hoje por Francoise Bettencourt Meyers, herdeira da L'Oreal e 11ª colocada no ranking dos bilionários, com US$ 45,7 bilhões (R$ 169 bilhões).

O divórcio bilionário atraiu a atenção até do presidente dos Estados Unidos, ao desejar "boa sorte" ao fundador da Amazon.

*Com agências internacionais

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Contas analisadas

CMN aprova balanço do Banco Central no 2º semestre de 2019, com lucro de R$ 64,5 bilhões

Com os R$ 21,04 bilhões de lucro no primeiro semestre, o resultado total do ano para a instituição em 2019 foi de R$ 85,57 bilhões

Novidade na área

Caixa confirma parceria om Visa em cartões

Acordo marca o primeiro negócio fechado pelo banco público para constituir um braço de meios de pagamentos

Ano trágico

Vale tem prejuízo de US$ 1,7 bilhão em 2019; provisões e despesas por Brumadinho chegam a US$ 7,4 bilhões

A Vale fechou 2019 com um prejuízo bilionário, fortemente pressionada pelas provisões relacionadas ao rompimento da barragem em Brumadinho — efeitos que superaram em muito os ganhos relacionados à valorização do minério de ferro no ano

Gigante do varejo

Carrefour registra lucro líquido a controladores de R$ 636 milhões no 4º trimestre de 2019

Resultado representa uma alta de quase 20% na comparação com o mesmo período do ano anterior

Adiou de vez

Bolsonaro confirma envio de reforma administrativa só depois do carnaval

Presidente disse que a reforma administrativa está “madura”, embora ainda não esteja pronta

Na ponta do lápis

Vale, SulAmérica, Carrefour e B2W: os balanços que movimentam o mercado no pré-Carnaval

Na maratona de balanços anuais de 2019, novos peso-pesados do mercado anunciaram seus números

Retorno maior com juro baixo

Menos liquidez, mais diversificação: como os clientes ricos do Itaú andam investindo

Com juro baixo, clientes private do Itaú vêm reduzindo alocação em renda fixa pós-fixada e migrando para ativos com mais risco de mercado ou liquidez, como ações, multimercados e investimentos de baixa liquidez.

Seu Dinheiro na sua noite

Hoje tem recorde do dólar?

Tem, sim senhor. Em mais um dia sem a presença do Banco Central no mercado, a moeda do país de Donald Trump tirou tinta dos R$ 4,40, mas perdeu um pouco de força e fechou aos R$ 4,391, alta de 0,60%. A alta recente do dólar, um movimento que na verdade começou lá em agosto […]

Sem alívio

Mais uma sessão, mais um recorde: dólar segue em alta e chega pela primeira vez aos R$ 4,39

O mercado de câmbio continuou pressionado pelo coronavírus e pela fraqueza da economia doméstica. Nesse cenário, o dólar à vista ficou a um triz de bater os R$ 4,40, enquanto o Ibovespa caiu mais de 1% e voltou aos 114 mil pontos

Ele fica

Ministro chama de ‘maior mentira’ história de pedido de saída de Guedes

Ruído sobre eventual saída do titular da Economia do governo se espalhou pelos mercados nesta semana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements