Menu
2019-11-03T08:52:40-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
olha ela aí

Arábia Saudita anuncia IPO da Saudi Aramco, após quatro anos de adiamentos

Companhia produz cerca de 10 milhões de barris de petróleo por dia e é responsável por 10% da demanda global da commodity; empresa entra no mercado de ações com listagem na Saudi Stock Exchange

3 de novembro de 2019
8:52
Central da Aramco, na cidade de Dammam, na Arábia Saudita.
Central da Aramco, na cidade de Dammam, na Arábia Saudita. - Imagem: Shutterstock

A petrolífera Saudi Aramco anunciou neste domingo (3) sua oferta pública inicial de ações (IPO), após cerca de quatro anos de adiamentos. O príncipe saudita Mohammed bin Salman deu autorização para a listagem nos últimos dias.

A companhia, que produz cerca de 10 milhões de barris de petróleo por dia e é responsável por 10% da demanda global da commodity, vai entrar no mercado doméstico de ações, com listagem na Saudi Stock Exchange (Tadawul).

O órgão regulador de mercado da Arábia Saudita afirmou neste domingo que seu conselho aprovou o pedido da companhia para realizar a oferta pública. A Aramco, por sua vez, informou que vai iniciar em 9 de novembro reuniões com investidores para atrair demanda doméstica e internacional para a colocação de ações, e que espera fazer a listagem "pouco depois".

A petrolífera pretende vender de 2% a 5% de suas ações durante a distribuição, com metade do lote comprada por investidores internacionais e a outra metade por sauditas.

Neste domingo, a empresa afirmou que teve um lucro de US$ 68 bilhões nos nove primeiros meses de 2019. O CEO da empresa, Yasir al-Rumayyan, afirmou que ela não foi afetada pelos ataques às suas instalações em 14 de setembro.

Na documentação submetida no processo de listagem, a Aramco afirmou ainda que a porcentagem das ações oferecidas será determinada ao fim do processo de coleta de demanda pelas ações (bookbuilding). Além disso, a companhia disse ter tido lucro líquido de US$ 111,1 bilhões em 2018, e reservas comprovadas de 226,8 bilhões de barris.

Dúvidas

O valor de mercado da companhia é um dos pontos em questão. O príncipe Mohammed bin Salman acredita que a petrolífera estatal vale US$ 2 trilhões, mas analistas que trabalham no IPO indicaram que investidores não devem comprar ações neste nível.

A companhia e os bancos que participam da oferta tentam emplacar um piso de valor de mercado de US$ 1,7 trilhão, ou um ponto médio entre US$ 1,6 trilhão e US$ 1,8 trilhão, de acordo com fontes envolvidas nas discussões. Alguns investidores internacionais, porém, avaliam que a Aramco vale cerca de US$ 1,5 trilhão.

Nove bancos atuam na oferta: JPMorgan Chase, Morgan Stanley, Goldman Sachs, Bank of America Merrill Lynch, Citigroup, HSBC, Credit Suisse e dois bancos de investimento da Arábia Saudita.

O governo saudita espera levantar US$ 100 bilhões na abertura de capital da empresa, e de acordo com informações do The Wall Street Journal, pretende listar a Saudi Aramco em uma bolsa internacional no próximo ano.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Oportunidade para o investidor

Conselho da Iguatemi aprova emissão de R$ 264 milhões em debêntures

Trata-se da oitava emissão dos títulos pela empresa, que serão negociados em série única e vinculados a uma emissão de CRI

Seu Dinheiro na sua noite

O que mudou e o que não mudou na bolsa

Quando surgiram as primeiras notícias sobre o surto do coronavírus na China, havia poucos elementos para afirmar se estávamos ou não diante de uma crise de saúde de proporções globais. Hoje já não temos mais dúvidas disso. A dolorosa queda de 7% da bolsa na quarta-feira de cinzas marcou a passagem da incerteza que tínhamos […]

É dólar na veia

Na luta para conter o dólar, Banco Central anuncia oferta de US$ 1 bilhão em contratos de swap nesta sexta-feira

Negociação será realizada na bolsa entre 9h30 e 9h40 e deve contemplar até 20 mil contratos

Dados do Banco Central

Reservas internacionais subiram US$ 976 milhões no dia 26 de fevereiro, para US$ 360,578 bilhões

Resultado reflete sobretudo a oscilação do valor de mercado dos ativos que compõem as reservas

Menor nível em quatro meses

Pressionado pelo coronavírus, Ibovespa cai mais 2,59% e fecha na mínima do dia; dólar sobe a R$ 4,47

O mercado até ensaiou um movimento de recuperação no meio da tarde, mas a cautela com o surto de coronavírus prevaleceu, derrubando o Ibovespa — apenas quatro ações do índice fecharam em alta. O dólar cravou mais uma máxima

No radar

Abimaq diz não ter dado que indique desabastecimento por causa do novo coronavírus

Setor de máquinas está promovendo ações preventivas para evitar qualquer risco de desabastecimento

Negócio em aberto

Bayer concorda com nova revisão sobre aquisição da Monsanto

Empresa vai permitir que um especialista independente revise suas regras e examine os seus principais negócios

Enchentes

Chuvas de fevereiro dão prejuízo de R$ 203 milhões ao comércio do sudeste, diz CNC

Mais da metade do rombo foi concentrado no Estado de São Paulo

Não vai dar

Facebook e Microsoft cancelam participação em eventos por temor com coronavírus

Sony, Electronic Arts e Unity Technologies também já tinham informado que não participariam de conferência

Embraer monitorada

S&P mantém rating BBB da Embraer em observação para eventual rebaixamento

Avaliação reflete a aprovação ainda pendente da Comissão Europeia sobre o acordo entre a empresa brasileira e a Boeing, diz agência

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements