Menu
2020-01-01T16:28:25-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Hora das compras

Limite para compras em free shops subirá de US$ 500 para US$ 1 mil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, assinou portaria que aumenta cota a que brasileiros têm direito em viagens internacionais; medida vale a partir de 1º de janeiro

15 de outubro de 2019
13:13 - atualizado às 16:28
Paulo Guedes posse planalto
Cerimônia de Nomeação dos Ministros de Estado - Imagem: Marcos Corrêa/PR

Nesta segunda-feira, 14, o ministro da Economia, Paulo Guedes assinou a Portaria 559, que aumenta o limite de US$ 500 para US$ 1 mil para compras em free shop para brasileiros que voltam de viagem ao exterior. O teto é valido para o equivalente em outras moedas. A medida se tornará vigente em 1º de janeiro de 2020.

Atualmente, brasileiros podem fazer até US$ 500 em compras em free shop ao desembarcar no Brasil. Além disso, têm direito a mais US$ 500 para compras feitas no exterior e trazidas na bagagem.

A regra para o segundo caso se mantém, já que deve respeitar a norma limite que engloba todos os países do Mercosul.

A Portaria também afeta a cota para viagens internacionais terrestres, como a fronteira Brasil e Paraguai. A medida altera o limite de US$ 300 para US$ 500.

Os free shops são lojas que ficam nas áreas de embarque e desembarque de aeroportos, normalmente os produtos são vendidos sem encargos ou tributações, como  Imposto de Importação, IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e PIS/Cofins.

Por esses produtos serem isentos de imposto, a medida só pode entrar em vigor no próximo ano, pois seria necessário mudar a Lei Orçamentária de 2019, já que é um arrecadação que a União abre mão de receber.

A mudança foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira, 15. O presidente Jair Bolsonaro postou em suas redes a notícia:

* Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Reposicionamento

BNDES não tem pressa de vender ações e quer fomentar indústria de fundos

Presidente do banco, Gustavo Montezano, disse que BNDESPar venderá ações aos poucos durante três anos, à medida que mercado for absorvendo; objetivo é que carteira chegue perto de zero

OLHO NOS JUROS

FED decide manter juros entre 1,50% e 1,75%

No comunicado, o banco ressaltou que a atual política monetária é “apropriada para suportar a expansão econômica, condições mais fortes do mercado de trabalho e o retorno da inflação para perto da meta de 2%”

Privatização à vista

Objetivo é privatizar Eletrobrás no 2º semestre de 2020, diz o presidente Wilson Ferreira

Meta para o primeiro semestre é aprofundar a conversa com o Senado e aprovar capitalização no Congresso.

Rebatendo as críticas

Nenhum governo tem prática tão liberal quanto este, diz Salim Mattar

Secretário responsável pelas privatizações do governo Bolsonaro disse que gasta 80% do tempo para “descontruir o legado” que foi deixado por gestões anteriores

Nova cartada do bilionário

Warren Buffett vende seu império de jornais por US$ 140 milhões e deixa o setor de imprensa

A Berkshire Hathaway, conglomerado de investimentos administrado por Warren Buffett, vendeu hoje sua divisão de jornais à Lee Enterprises

Caixa vai fazer “road show” de IPO da Caixa Seguridade em todos os Estados

O banco pretende fazer a abertura de capital das subsidiárias de seguridade e de cartões neste ano. As outras duas unidades – loterias e gestora de fundos – devem demorar um pouco mais

martelo batido

CVM fecha acordo de R$ 450 mil em caso envolvendo executivos da Biosev

Processo era movido contra três ex-executivos da processadora de cana-de-açúcar; cada um vai ter que pagar R$ 150 mil

pingos os is

Investigação não encontrou irregularidades e não há mais nada a esclarecer, diz presidente do BNDES

Auditoria custou R$ 42,7 milhões; investigações internas do banco não encontraram nenhuma irregularidade nas operações

hora do balanço

Bancos liberam mais crédito no Brasil, mas custo segue elevado

Taxas de juros cobradas de empresas e famílias seguiram em níveis elevados. segundo dados do BC

Painel com gestores

Stuhlberger vê bolha se formando na bolsa, mas segue aplicado

Lendário gestor da Verde Asset diz que “olha porta de saída” da bolsa, mas vê boas perspectivas com avanço do PIB de consumo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements