Menu
2019-06-07T18:45:24-03:00
Estadão Conteúdo
Inflação do aluguel

IGP-M sobe 0,92% em abril, após 1,26% em março, afirma FGV

Índice avançou de 8,27 para 8,64% em 12 meses. Em 2018, o indicador acumula alta de 3,10%

29 de abril de 2019
9:03 - atualizado às 18:45
Imóveis
Imagem: Shutterstock

O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) subiu 0,92% em abril, desacelerando do patamar de 1,26% alcançado em março, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta segunda-feira (29). A taxa, contudo, foi a maior para o mês desde 2015, quando havia sido de 1,17%.

Mesmo com o arrefecimento mensal, o IGP-M avançou em 12 meses, de 8,27% até março para 8,64% em abril. No ano, o indicador acumula alta de 3,10%.

O IGP-M de abril superou a mediana de expectativas da pesquisa do Projeções Broadcast, de 0,88%, mas ficou dentro do intervalo previsto, de 0,67% a 0,96%. Em 12 meses, as estimativas iam de 8,40% a 9,10%, com mediana de 8,59%.

O arrefecimento IGP-M entre março e abril foi determinado pela perda de força dos produtos no atacado no período. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-M) desacelerou de 1,67% no terceiro mês do ano para 1,07% neste mês.

Os preços agropecuários perderam força na passagem de março para abril. A desaceleração dos preços no atacado foi beneficiada pelo arrefecimento do IPA Agropecuário, que passou de 3,90% para 0,45% entre março e abril. Já o IPA Industrial acelerou de 0,93% para 1,28%.

Nos estágios de produção, houve arrefecimento nas três categorias analisadas. Bens Finais subiram 1,25% em abril, de 1,93% em março. Já os Bens Intermediários avançaram 0,47%, de 0,87%, enquanto as matérias-primas brutas tiveram alta de 1,57% em abril, ante 2,33% no mês anterior.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Interrompendo o casamento

Movida reforça pedido do Cade para barrar união entre Unidas e Localiza

De acordo com a companhia, isso geraria uma concorrência desleal no setor, com a nova empresa tendo 65% do mercado brasileiro de aluguel e 29% do mercado de frotas

vai mexer

Após polêmica com demissão de Castello Branco, governo indica nomes para o conselho da Petrobras

Cinco membros do colegiado pediram para não serem reconduzidos após interferência de Bolsonaro no comando da estatal

MERCADOS HOJE

Ibovespa opera em queda firme com piora da pandemia no país; dólar vai a R$ 5,72

Os mercados internacionais têm mais um dia de cautela, acompanhando uma nova alta do retorno dos títulos públicos americanos. No Brasil, o cenário da pandemia preocupa

Exile on Wall Street

Sem flores por hoje

Interrompemos nossa programação para uma verdade necessária: temos pouco a comemorar neste Dia Internacional da Mulher. Confesso que nunca aceitei bem a ideia de homenagem embutida nesta data. Sinto que temos tanto a conquistar e estamos tão atrasadas nessa agenda que, para mim, o 8 de março é menos sobre flores e mais sobre dar […]

ouça de graça

Tela Azul #22: A vida difícil dos PJs, Startups e o Venture Capital no Brasil

Na edição desta semana do Tela Azul, recebemos o Rodrigo Tognini, CEO do Conta Simples, uma startup brasileira que une serviços bancários para PJ, com ferramentas que facilitam a gestão financeiras das empresas.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies