Menu
2019-08-28T13:07:26-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
fazendo as contas

Dívida pública federal chega a R$ 3,99 trilhões em julho

DPF inclui a dívida interna e externa; dados são do Tesouro Nacional divulgados nesta quarta-feira, 28

28 de agosto de 2019
12:36 - atualizado às 13:07
Notas de dinheiro
Imagem: Shutterstock

O estoque da Dívida Pública Federal (DPF) subiu 0,38% em julho, quando atingiu R$ 3,993 trilhões. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 28, pelo Tesouro Nacional.

Em junho, o estoque estava em R$ 3,977 trilhões. A correção de juros no estoque da DPF foi de R$ 23,59 bilhões no mês passado, quando houve resgate líquido de R$ 8,38 bilhões.

A DPF inclui a dívida interna e externa. A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) subiu 0,52% e fechou o mês em R$ 3,846 trilhões.  Já a Dívida Pública Federal externa (DPFe) ficou 3,19% menor, somando R$ 146,85 bilhões no mês passado.

12 meses

A parcela da DPF a vencer em 12 meses subiu de 13,92% em junho para 16,97% em julho, segundo o Tesouro Nacional. O prazo médio da dívida manteve-se estável em 4,18 anos.

O custo médio acumulado em 12 meses da DPF passou de 8,83% ao ano em junho para 8,66% ao ano em julho.

Estrangeiros

Os estrangeiros ampliaram o montante financeiro em títulos públicos da dívida interna brasileira detido por eles em julho, mas a participação total dos não-residentes recuou levemente no mês em relação a junho.

De acordo com dados divulgados pelo Tesouro Nacional, a participação dos investidores no Brasil no estoque da DPMFi passou de 12,34% para 12,31% em julho, somando R$ 473,45 bilhões. Em junho, o estoque estava em R$ 472,08 bilhões.

A categoria das instituições financeiras teve queda na participação do estoque da DPMFi de 23,17% em junho para 22,72% em julho.

Os fundos de investimentos reduziram a fatia de 26,85% para 25,59%. Já a participação das seguradores passou de 4,01% para 3,98%.

Composição

A parcela de títulos prefixados na DPF caiu de 31,80% em junho para 31,05% em julho. Já os papéis atrelados à Selic tiveram a participação aumentada, de 37,78% para 38,37%.

Os títulos remunerados pela inflação subiram para 26,73% do estoque da DPF em julho, ante 26,44% em junho. Os papéis cambiais reduziram a participação na DPF de 3,98% em junho para 3,85% em julho.

Todos os papéis estão dentro das metas do PAF para este ano, incluindo os remunerados pela Selic, que estavam abaixo do patamar até o mês passado.

O intervalo do objetivo perseguido pelo Tesouro para os títulos remunerados pela Selic em 2019 vai de 38% a 42%.

Para os pré-fixados, o intervalo vai de 29% a 33%. No caso dos que têm índices de preço como referência, a meta é de 24% a 28% e, no de câmbio, de 3% a 7%.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Sem concentração?

Vivo, TIM e Claro defendem compra da Oi

As empresas encaminharam ao Cade respostas às críticas que sofrem de outros agentes do setor de telecomunicações causadas pela transação entre elas

Fenômeno da internet

O ataque dos memes: Conheça 5 ações de empresas “quebradas” que mexem com Wall Street

O caso mais famoso foi o da GameStop, mas outras empresas que não contam com fundamentos sólidos vêm passando por movimentos de valorização estimulados por fóruns de internet

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies