Menu
2019-11-22T17:58:04-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Reajuste

Gerdau vai aumentar o preço do aço longo entre 8% e 12% em janeiro

Em relatório aos clientes, os bancos BTG Pactual e Credit Suisse confirmaram que a Gerdau vai elevar preços a partir de janeiro — notícia que foi bem recebida pelo mercado

22 de novembro de 2019
17:58
Siderúrgica Gerdau CSN Usiminas
Imagem: Karan Bhatia / Unsplash

A Gerdau, uma das principais empresas do setor de siderurgia no Brasil, irá promover aumentos de 8% a 12% no aço longo — barras, fios e vergalhões, entre outros produtos — a partir de janeiro. A elevação foi confirmada por dois grandes bancos, o BTG Pactual e o Credit Suisse.

Ambas as instituições receberam bem a notícia e reafirmaram suas percepções positivas em relação à empresa. O mercado também reagiu bem: por volta de 17h30, as ações PN da Gerdau (GGBR4) subiam 1,64%, a R$ 16,72 — no mesmo horário, o Ibovespa operava em alta de 0,81%, aos 108.366,56 pontos.

Em relatório, os analistas Leonardo Correa e Caio Greiner, do BTG Pactual lembram que, nos últimos meses, a Gerdau já promoveu ajustes nos preços dos aços longos, e que a implantação desses aumentos foi "desafiadora". No entanto, eles afirmam que as condições macroeconômicas para essa elevação no início de 2020 parecem ideais.

"Esperamos que a indústria de construção no Brasil continue dando suporte [às siderúrgicas], e acreditamos que o mercado possa estar com projeções excessivamente conservadoras para a Gerdau em 2020", escrevem os analistas — o BTG possui recomendação de compra para as ações da empresa, com preço-alvo de R$ 19,00 em 12 meses.

Correa e Greiner analisam que, apesar de a recuperação da indústria siderúrgica no Brasil ainda estar dando os primeiros passos, a tendência é de aceleração nesse processo, uma vez que o ciclo de retomada do mercado de construção civil deve se prolongar por alguns anos.

"Assim, acreditamos que deve haver um grande catalisador para a Gerdau, que foi afetada pela baixa atividade por anos. Esperamos que a demanda por aços longos supere em muito a por aços curtos em 2020".

Considerando todo esse cenário, os analistas o BTG Pactual acreditam que a Gerdau tem chances de atingir um Ebitda — isto é, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização — de cerca de R$ 7 bilhões já no ano que vem.

A Gerdau fechou o terceiro trimestre de 2019 com um lucro líquido consolidado de R$ 289 milhões, queda de 63,5% na base anual. A receita líquida caiu 22,6% na mesma base de comparação, para R$ 9,93 bilhões, enquanto o Ebitda ajustado teve baixa de 27,6%, para R$ 1,46 bilhão.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Oferta de ações

Caixa Seguridade (CXSE3): reservas para o IPO terminam no dia 26; veja os detalhes e se vale a pena investir

Banco público pretende captar até R$ 6,5 bilhões com a venda de parte de suas ações na empresa que reúne suas participações em seguros

Fechando o bolso

Republicanos contrariam Biden e propõem pacote alternativo de US$ 568 bilhões para infraestrutura

O valor defendido pela oposição é muito inferior aos mais de US$ 2 trilhões propostos pelo presidente democrata

Aceno a Biden

Na Cúpula do Clima, Bolsonaro promete zerar emissões de gases de efeito estufa até 2050

No encontro, organizado por Joe Biden, o presidente do Brasil também se comprometeu a zerar o desmatamento ilegal até 2030

Nem o agro se salva

Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) engrossa a lista de IPOs adiados em 2021

A empresa, que já havia interrompido a oferta por alguns dias em janeiro, citou a “deterioração” do mercado em seu segundo adiamento

perspectivas

Temporada de balanços 1º tri: quem deve ir bem e quem ainda está mal, segundo o BofA

Empresas começam a divulgar resultados de um período marcado por lockdowns e alta dos preços das commodities; veja o que esperar

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies