Menu
2019-11-24T17:20:55-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Luxo

Louis Vuitton está perto de fechar acordo para comprar Tiffany por US$ 16,3 bi

Anúncio da conclusão da compra deve ser feito ainda hoje ou no máximo nesta segunda-feira

24 de novembro de 2019
15:53 - atualizado às 17:20
A atriz Audrey Hepburn no filme "Bonequinha de Luxo" ("Breakfast at Tiffany's")
A atriz Audrey Hepburn no filme "Bonequinha de Luxo" ("Breakfast at Tiffany's") - Imagem: Divulgação

A LVMH Moët Hennessy Louis Vuitton está perto de fechar o acordo de compra da joalheria Tiffany & Co.. As duas companhias chegaram a um acordo preliminar que precifica a Tiffany em US$ 135 por ação ou cerca de US$ 16,3 bilhões.

As informações são da agência de notícias Dow Jones Newswires, que cita fontes a par do assunto. De acordo com a agência, os conselhos das empresas se reúnem neste domingo (24) para finalizar o acordo, que deve ser anunciado amanhã (25) ou ainda hoje.

Oferta mais alta

No fim de outubro, a dona da marca Louis Vuitton confirmou a proposta de compra feita à Tiffany por US$ 14,5 bilhões, ou US$ 120 por ação.

De início, não se acreditava que a companhia iria aceitar. Mas a empresa de joias pediu uma elevação do valor da oferta, o que acabou ocorrendo na última semana.

A Tiffany tem ações negociadas na bolsa de Nova York (NYSE). A proposta de US$ 135 por ação está acima do preço de fechamento do último pregão, de US$ 125,51.

Popularizada pelo filme "Bonequinha de Luxo", a Tiffany foi fundada nos Estados Unidos há quase 200 anos. Sua aquisição pela LVMH reflete um desejo de expansão do conglomerado de luxo europeu nos EUA.

Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Segredos da bolsa

Com PIB brasileiro em foco, investidores monitoram juros futuros americanos e tensão em Brasília

O grande evento da semana é a divulgação dos números do Produto Interno Bruto brasileiro no ano passado, mas os investidores também monitoram o clima político em Brasília e os sinais de “superaquecimento” da economia americana

Novos tempos

Alvo de Bolsonaro, home office avança no setor público

Bolsonaro usou trabalho remoto para atacar presidente da Petrobras

Mais uma na área

FDA autoriza uso emergencial de vacina de dose única nos EUA

Imunizante é produzido pela Johnson & Johnson

Contra a pandemia

Matéria-prima para produção de 12 milhões de doses de vacina chega ao Rio

Total de efetivamente imunizados não chega a 1% da população brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies