Menu
2019-11-24T17:20:55-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Luxo

Louis Vuitton está perto de fechar acordo para comprar Tiffany por US$ 16,3 bi

Anúncio da conclusão da compra deve ser feito ainda hoje ou no máximo nesta segunda-feira

24 de novembro de 2019
15:53 - atualizado às 17:20
A atriz Audrey Hepburn no filme "Bonequinha de Luxo" ("Breakfast at Tiffany's")
A atriz Audrey Hepburn no filme "Bonequinha de Luxo" ("Breakfast at Tiffany's") - Imagem: Divulgação

A LVMH Moët Hennessy Louis Vuitton está perto de fechar o acordo de compra da joalheria Tiffany & Co.. As duas companhias chegaram a um acordo preliminar que precifica a Tiffany em US$ 135 por ação ou cerca de US$ 16,3 bilhões.

As informações são da agência de notícias Dow Jones Newswires, que cita fontes a par do assunto. De acordo com a agência, os conselhos das empresas se reúnem neste domingo (24) para finalizar o acordo, que deve ser anunciado amanhã (25) ou ainda hoje.

Oferta mais alta

No fim de outubro, a dona da marca Louis Vuitton confirmou a proposta de compra feita à Tiffany por US$ 14,5 bilhões, ou US$ 120 por ação.

De início, não se acreditava que a companhia iria aceitar. Mas a empresa de joias pediu uma elevação do valor da oferta, o que acabou ocorrendo na última semana.

A Tiffany tem ações negociadas na bolsa de Nova York (NYSE). A proposta de US$ 135 por ação está acima do preço de fechamento do último pregão, de US$ 125,51.

Popularizada pelo filme "Bonequinha de Luxo", a Tiffany foi fundada nos Estados Unidos há quase 200 anos. Sua aquisição pela LVMH reflete um desejo de expansão do conglomerado de luxo europeu nos EUA.

Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

CARREIRA

Empiricus lança MBA de Análise de Ações com Estácio e oferece emprego de até R$ 25 mil a melhor aluno

Curso terá diploma de pós-graduação do MEC; programa alia conteúdo acadêmico com a prática de mercado dos profissionais de investimento.

Custo bilionário

Governo prevê a contratação de quase 51 mil servidores no orçamento de 2021

A partir de 2022, o custo anualizado do governo para manter essas novas despesas sobe para R$ 4,5 bilhões.

SÓ ELOGIOS

O bom, o ótimo e a Weg: BofA eleva preço-alvo das ações a R$ 90

Para analistas, empresa tem tudo para manter os resultados em patamares alto, justificando valor de mercado caro

MAIS UMA

Dona da Puket e da Imaginarium quer listar ações na bolsa

Uni.co, controladora das marcas, pretende utilizar recursos para expandir operações e vender participação do fundo Squadra

Desemprego

Brasil perdeu 382,5 mil empresas em 5 anos de saldos negativos, diz IBGE

Em cinco anos de dificuldades e fechamentos de empreendimentos, 2,9 milhões de trabalhadores perderam seus postos de trabalho

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies