Menu
2019-04-05T15:39:39-03:00
Estadão Conteúdo
Índice de Preços ao Consumidor

IPC-S sobe 0,45% na 1ª quadrissemana de março ante 0,35% na anterior, diz FGV

Quatro das oito classes de despesas analisadas registraram aceleração, sendo que a maior contribuição para o avanço do IPC-S foi do grupo Alimentação, que passou de 0,94% para 1,18%

8 de março de 2019
11:37 - atualizado às 15:39
Frutas expostas em supermercado em São Paulo
Frutas expostas em supermercado em São Paulo - Imagem: J.F. Diorio/Estadão Conteúdo

O Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) subiu 0,45% na primeira quadrissemana de março, conforme divulgou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta sexta-feira (8). O resultado ficou 0,10 ponto porcentual acima da taxa da última leitura de fevereiro, de 0,35%.

Nesta apuração, quatro das oito classes de despesas analisadas registraram aceleração, sendo que a maior contribuição para o avanço do IPC-S foi do grupo Alimentação, que passou de 0,94% para 1,18%. Dentro do grupo, o destaque foi o item hortaliças e legumes, cuja taxa subiu de 5,93% para 9,50%.

As outras classes de despesa que registraram acréscimo da última leitura de fevereiro para a primeira medição de março foram Transportes (-0,01% para 0,20%), influenciado por gasolina (-1,71% para -0,79%); Educação, Leitura e Recreação (-0,65% para -0,36%), com contribuição de show musical (-3,17% para -1,26%); e Vestuário (-0,13% para 0,08%), com destaque para roupas femininas (0,28% para 0,44%).

Por outro lado, registraram desaceleração no período os grupos Habitação (0,44% para 0,37%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,50% para 0,47%) e Despesas Diversas (0,10% para -0,01%). Nestes segmentos, se destacam tarifa de eletricidade residencial (1,33% para 1,00%), medicamentos em geral (0,32% para 0,13%) e alimentos para animais domésticos (-0,28% para -0,85%), respectivamente.

Já o grupo Comunicação registrou variação zero na primeira quadrissemana de março, mesma taxa da medição anterior.

Maiores influências

Entre as principais contribuições individuais de alta, a FGV cita batata inglesa (27,96% para 28,64%), feijão carioca (a despeito da desaceleração de 37,86% para 36,99%), refeições em bares e restaurantes (0,40% para 0,45%), plano e seguro de saúde (que manteve a taxa de 0,63%), além de energia elétrica.

Em contrapartida, as maiores influências de baixa no IPC-S da primeira quadrissemana de março foram passagem aérea (mesmo com a aceleração de -10,42% para -6,46%), excursão e tour (-1,92% para -2,04%) e etanol (apesar do acréscimo na taxa, de -1,61% para -0,62%).

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Proventos

Banco do Brasil anuncia pagamento de R$ 416 milhões em Juros sobre Capital Próprio (JCP)

Terão direito ao provento os investidores com posição acionária na empresa no dia 11 de março

o melhor do seu dinheiro

Brandão balança mais não cai?

Chegamos ao fim de mais uma semana tensa nos mercados, que começou com a derrocada das ações da Petrobras, em razão da interferência do governo na presidência da estatal, e termina com pressões na bolsa e no dólar motivadas pelas preocupações dos investidores com a inflação nos Estados Unidos e alta nas taxas dos títulos […]

URGENTE

Hapvida e NotreDame chegam a um acordo sobre fusão, afirma site

A maior combinação entre duas empresas brasileiras criará uma gigante do setor de saúde, com um valor de R$ 110 bilhões.

fechamento da semana

Tensão em Brasília leva Ibovespa de volta aos 110 mil pontos e afunda estatais; dólar vai a R$ 5,60

Em semana marcada pela tensão entre governo e mercado, o Ibovespa recuou 7,09%, de volta aos 110 mil pontos. O dólar disparou acima dos R$ 5,60

Abandonando o barco?

Ações do Banco do Brasil recuam quase 5% com possibilidade de saída de André Brandão

Brandão tem mostrado insatisfação com o cargo e quer deixar o comando da estatal, segundo jornal; BB nega que presidente tenha renunciado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies